Belivaldo participa da segunda noite do Festival de Arte de São Cristóvão

Belivaldo foi recepcionado pelo prefeito Marcos Santana, ao lado de quem acompanhou os shows dos artistas que se apresentaram na Praça São Francisco

O vice-governador Belivaldo Chagas prestigiou a segunda noite da 34° edição do Festival de Arte de São Cristóvão (Fasc), realizada neste sábado, 02. Belivaldo foi recepcionado pelo prefeito Marcos Santana, ao lado de quem acompanhou os shows dos artistas que se apresentaram na Praça São Francisco.

De acordo com o vice-governador, a revitalização do Fasc tem grande significado para a população sergipana. “Quero parabenizar o prefeito Marcos e dizer que ele acerta quando resgata um evento tão importante para Sergipe como este, afinal de contas são 12 anos sem que tivéssemos esse festival. A gente vê o carinho com que ele está tratando o município como um todo e principalmente a questão de ordem cultural. Por isso vim aqui, assim como já esteve o governador Jackson Barreto. Fiz questão de estar presente para prestigiar o evento e para dar essa força que Marcos precisa”, disse.

O prefeito Marcos Santana fez um balanço sobre a primeira noite do evento e falou sobre seu sentimento em relação às realização da festa. “O sentimento hoje é de alegria. O povo de Sergipe respondeu, acolheu e esperou por muito tempo este festival. São 12 anos sem realizá-lo e finalmente a gente conseguiu. Era uma proposta do nosso governo, eu não poderia deixar de fazer. Eu estava preocupado com a questão de segurança, mas está tudo correndo bem. Não tivemos nenhum episódio de violência. A gente tem que aproveitar esse momento de retomada como um aprendizado também. Mas o saldo é bastante positivo e eu estou muito alegre e emocionado”, relatou.

O secretário de Estado do Turismo, Fábio Henrique, enfatizou a relevância do festival no sentido de incentivo ao turismo. “O Festival de Arte de São Cristóvão é um dos mais importantes eventos culturais do Estado de Sergipe, que estava dormindo e agora foi resgatado. E isso é importante para o turismo também porque nós estamos na cidade mais importante do ponto de vista turístico para Sergipe. São Cristóvão é a primeira capital, é a cidade mãe, é patrimônio histórico da humanidade com a Praça São Francisco, é onde estão as igrejas, enfim. Então, vemos  hoje a praça cheia, a cidade movimentada e bonita, as pessoas vendendo seus produtos… E esse é o grande objetivo do turismo: a geração de emprego e renda”, pontuou.

No segundo dia do Fasc, se apresentaram no Palco João Bebe-Água (Praça São Francisco) Companhia de Dança Nelson Santos, Espaço Forma Escola de Dança, Mamulengo de Cheiroso, Patrícia Polayne, Os Filhos dos Caras, Margareth Menezes e Joésia Ramos. Subiram ao Palco Frei Santa Cecília (Praça do Carmo) Brinquedolelê, Grupo de Dança Free Step, Escola de Dança Rick Di Karllo, Kleber Melo, Heitor Mendonça, Plástico Lunar, Mestre Madruguinha e Reação. Além das atrações musicais, o Festival conta com manifestações folclóricas, oficinas, teatro, exposições, mostras de cinema e outras atividades.

Fasc

A 34ª edição do Festival de Arte de São Cristóvão marca a retomada do evento após 12 anos de interrupção. A primeira edição ocorreu em setembro de 1972 e prosseguiu de forma ininterrupta até 1995. A última edição aconteceu em 2005. Nesta edição, o evento é uma resultado de uma somação de forças entre a Prefeitura de São Cristóvão, o Governo do Estado através da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e a Universidade Federal de Sergipe (UFS). Para a realização do Festival, o Governo disponibilizou sua equipe de segurança e policiamento, enquanto a Secult colaborou através da Orquestra Sinfônica de Sergipe (Orsse), que fez sua participação no evento na primeira noite. A solenidade de abertura contou com a entrega da Medalha de Mérito Cultural do Fasc, que homenageou 11 personalidades que contribuíram com a história do festival, entre as quais o governador Jackson Barreto.

Presenças

Também prestigiaram o evento a deputada Estadual Sílvia Fontes, o deputado Federal João Daniel e o diretor-presidente da Fundação Aperipê Givaldo Ricardo.

Comente: