Alunos de Divina Pastora vencem concurso Cultural da OAB

Enquanto Ângelo Gustavo não se torna um professor de história, Jaínne Nascimento não se forma em medicina e Luciano Ferraz não entra na carreira militar, eles vão fazendo da vida arte. Orientados pela professora Irani Carvalho, da rede municipal de Divina Pastora, eles foram vencedores no 3º Concurso Cultural da OAB/SE, que foi divulgado no último 30 de agosto. Os alunos da Escola Municipal Fausto de Aguiar Cardoso conquistaram o 1º lugar e concorreram com mais de 200 crianças e adolescentes de todo o Estado. O objetivo da ação foi discutir temas relacionados à cidadania, igualdade, gênero e violência, meio ambiente, proteção aos animais, liberdade religiosa e família.

A professora Irani, que é a ganhadora da Olímpiada Nacional de Língua Portuguesa, destacou a importância do projeto. “Orientar, para mim, não é uma coisa fácil. É uma atividade desgastante, estressante. Não é fácil. É preciso conhecer o seu aluno e acreditar no seu potencial. Geralmente eu não oriento a turma inteira. Eu o informo dos concursos, explico os detalhes do edital e oriento o aluno que tem interesse, pois eu sei que se for orientar as turmas inteiras não terá um resultado positivo”, detalha sua metodologia a pedagoga, que é formada em Letras e leciona no município há mais de 10 anos.

Oportunidade e dedicação

O aluno Ângelo Gustavo afirmou sobre o processo de ensino que passou junto aos colegas. Quando a professora conversou conosco eu já sabia mais ou menos o que queria fazer e ela disse “esse é o caminho”. Depois nos passou mais algumas dicas dizendo “faça assim, veja isso, ajeite aquilo”, e, aos poucos, foi corrigindo e saiu. O estudante, que tem 15 anos, esperar cursar licenciatura em História e foi o primeiro colocado na sua categoria.

Cada aluno tem sua peculiaridade, afirma a professora. “Ângelo é o eu lírico do poema dele, quando ele escolheu a família, ele só colocou para fora. Ele vivencia o que escreveu. Jainne é uma menina muito antenada, que faz uma leitura de vida muito boa para a idade dela, depois de uma conversa, as coisas fluíram e ela desenvolveu muito bem. Ela trabalhou o tema ‘gênero e violência’ com muita leveza. É um tema difícil e ela consegui colocar na linguagem literária”, apontou Irani.

Da prática de pequenos rabiscos o aluno Luciano Ferraz conseguiu se destacar com o 1º lugar na categoria Modalidade de Desenho. Com o sonho de ser militar, o jovem se dedicou ao máximo quando viu a oportunidade de fazer um trabalho no concurso. “Quando eu vi que era desenho realista, eu percebi que era mais fácil de fazer e arrisquei”, relembrou.

A Escola também ganhou premiações em todas as categorias que se inscreveu, como foi o caso do aluno Pablo D’Alessandro Santos Lima, que recebeu Menção Honrosa na categoria Modalidade Desenho. Orgulhosa de seus alunos, a professora Irani espera conquistar mais resultados positivos em outros concursos, como o Cultural da Controladoria Geral da União (CGU). “A vida de todo mundo deveria ter um pouco mais de poesia para ficar mais leve. Tudo isso é o resultado de um trabalho que é feito com muita seriedade, com muito respeito”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *