Agricultores familiares de 11 municípios recebem sementes de milho, feijão e sorgo

Governo de Sergipe concluiu a entrega de 43,6 toneladas, adquiridas em parceria com Embrapa, FIDA e Di Solo

Dentro do calendário agrícola de plantio para a safra 2020, o governo de Sergipe concluiu esta semana a distribuição de 43,6 toneladas de sementes de milho, feijão e sorgo. No total, foram atendidos os agricultores de 11 municípios: Aquidabã, Carira, Graccho Cardoso, Nossa Senhora Aparecida, Pinhão, Poço Verde, Porto da Folha, Simão Dias, Tobias Barreto, Canindé de São Francisco e Poço Redondo. A distribuição foi iniciada dia 28 de maio com entrega de 1.600 kg de sementes doadas pela Embrapa, e contou com a celeridade da equipe técnica da Secretaria de Estado da Agricultura do Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) e da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro), obedecendo todos os cuidados sanitários recomendados pelas organizações de saúde como medidas preventivas ao contágio pelo novo coronavírus.

O secretário de Estado da Agricultura, André Luiz Bomfim Ferreira, explica que o programa de distribuição de sementes buscou novas parcerias e fontes de recursos. Diferente dos anos anteriores, este ano, as sementes foram adquiridas através de parcerias com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e com a empresa Di Solo, distribuidora de sementes certificadas. Tradicionalmente, as sementes eram adquiridas a partir do Fundo Estadual de Combate à Pobreza, cujos os recursos, este ano, estão sendo aplicados em ações de enfrentamento à pandemia, como o Cartão Mais Inclusão e, dentro em breve, o Programa de Aquisição de Alimentos.

Segundo destacou o secretário, grande parte das sementes foram compradas com recursos do Projeto Dom Távora – o total de 28 toneladas de sementes, sendo 20 toneladas de milho e 8 toneladas de feijão, fruto da parceria Estado Sergipe e FIDA. Estas sementes foram distribuídas nos municípios da área de atuação do projeto, que coincidem como maiores produtores desses grãos. A única exceção foi Poço Redondo, para o qual solicitou permissão da instituição internacional, que entendeu ser um município com baixo desenvolvimento humano e ter grande número de famílias que vivem da agricultura, além de ser o maior municípios com famílias cadastradas no Programa Garantia Safra. “Gostaria de destacar também, a articulação que fizemos com a iniciativa privada para conseguir doação. Como resultado desse diálogo a empresa Di Solo sensibilizou-se e doou 14 toneladas de milho que beneficiou 1.400 famílias, nos dois municípios com maiores produtores inscritos no Garantia Safra”, completou Ande Bomfim, detalhando critérios de distribuição. 

Uma das comunidades atendidas com semente foi o assentamento São Cristóvão, localizado no município de Carira, a 112 quilômetros de Aracaju. O agricultor José Pereira dos Santos, líder no assentamento, disse estar satisfeito e que cada uma das 37 famílias recebeu 10 quilos de sementes de feijão. “O forte em nossa comunidade é o plantio do feijão, nós estamos satisfeitos com esse apoio do Projeto Dom Távora e também com a união de nossa comunidade. Se não estivermos unidos não conseguiremos nada”, destacou José. Outro exemplo vem do Povoado Poço da Clara, em Tobias Barreto. Lá, o agricultor João Batista dos Santos, conhecido como Dão, também recebeu 10 kg de sementes (cinco kg de feijão e cinco kg de milho). “A Semente que recebi é o suficiente para plantar uma tarefa consorciada entre milho e feijão”, assegura o agricultor, satisfeito.

O oficial do FIDA para a Divisão da América Latina e Caribe, Leonardo Bichara, pontuou que a iniciativa vem para ajudar a superar o momento de quarentena, que provoca efeitos para as populações do campo. “O FIDA tem apoiado os seus parceiros em todo o Nordeste na realocação de recursos de seus projetos para ações emergenciais de combate à COVID-19. A compra e distribuição de sementes a famílias agricultoras no semiárido sergipano é uma clara mensagem de que estamos sendo proativos nesse momento, em que há dificuldade de circulação de pessoas, de compras de insumos e sua distribuição. Esta ação coordenada da SEAGRI com recursos do projeto FIDA no Estado, o Dom Távora, ajuda àqueles que têm menos condições de correr atrás desses insumos durante a quarentena no campo”, pontuou.

De acordo com o diretor da Di Solo Sementes, Nicola Vincenzo Di Salvo, a empresa vem prestando serviços à agricultura nacional há 43 anos, desenvolvendo sementes de milho de sua pesquisa própria e com estudos baseados na Embrapa e outras empresa e universidades brasileiras. “A semente de milho Ipanema que disponibilizamos é voltada, principalmente, para o pequeno produtor, pois tem um custo benéfico muito alto. Para nós, é uma satisfação poder contribui com a agricultura sergipana. Deixamos, portanto, nossos votos de boa safra a todos os produtores rurais”, saudou o diretor.

Comente: