Visita ao Museu da Gente Sergipana encanta alunos da Emef Oviêdo Teixeira

Ouvidos atentos à explicação do guia e olhos brilhando a cada nova descoberta. Foi assim a visita dos alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Oviêdo Teixiera ao Museu da Gente Sergipana, na manhã desta sexta-feira, 17. Com bastante interação e curiosidade, os estudantes puderam aprender mais sobre a cultura do estado e ainda reforçar os conhecimentos adquiridos em sala de aula. A Emef promove visitas guiadas ao local desde o ano passado.

Duas turmas do 4° ano participaram da atividade. Para a maioria dos alunos, de 9 a 11 anos, foi a primeira vez que visitaram o local. “É muito importante trazê-los para cá para que conheçam a história deles, pois muitos não conhecem, embora sejam nascidos e criados aqui. São detalhes que, para nós, é corriqueiro mas, para eles, é novidade”, conta a professora Elisabete Vasconcelos, que acompanhou umas das turmas.

Expressões linguísticas, personagens históricos, contação de histórias relacionadas a lendas e  brincadeiras sobre a gastronomia sergipana fizeram parte da visita de uma hora e meia. A atividade de visita ao museu faz parte do calendário pedagógico de várias escolas da rede municipal de Educação e reforçam o conteúdo repassado aos alunos na sala de aula.

“Estamos vendo aqui assuntos que, inclusive, vai cair na próxima prova, que é sobre o relevo e hidrografia de Sergipe. Percebi que eles estão conseguindo identificar e relacionar os assuntos que estudamos em sala de aula e o que estão vendo hoje, como as lendas do folclore sergipano. Essa não é apenas uma visita isolada, e sim uma forma de reforçar todo o conteúdo e aumentar a cultura dessas crianças”, completa Elisabete.

Kauane de Oliveira, de 9 anos, era uma das mais empolgadas e participativas. Empolgada, essa também foi a sua primeira vez no Museu da Gente Sergipana. “Está sendo muito educativo, principalmente porque a gente pode fazer perguntas e o guia responde tudo. Algumas coisas eu já sabia que aprendi na escola, mas a parte que eu mais gostei foi conhecer as roupas típicas de Sergipe e as lendas”, conta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *