Museu da Polícia Militar atrai cerca de 450 visitantes por mês em São Cristóvão

O Museu da PM é aberto ao público todos os dias da semana, de 9 às 17h

 
Você já visitou o Museu da PM? Criado em 1969, o Museu da Polícia Militar de Sergipe é hoje mais uma opção de lazer agregando cultura e conhecimento não somente para a população sergipana, como também para turistas que visitam a cidade histórica de São Cristóvão.
Mil peças diferentes como armamentos, fardamentos, equipamentos e documentos estão à disposição de todos que visitam as instalações do Museu, e desde 2014 artistas sergipanos podem expor sua arte.
O diretor executivo das atividades no Museu, coronel Dilson Ferraz,  relata que a a primeira exposição de artistas sergipanos ocorreu em 2014, após dois anos de funcionamento em São Cristóvão. “Houve uma grande necessidade de unir a importância do Museu com a importância da inserção da cultura artística local para, acima de tudo, dinamizar a funcionalidade do órgão”.

 

Como resultado, diversos artistas já expuseram agregando valor cultural como também mais visitantes ao estabelecimento, trazendo como diz o próprio coronel, “visibilidade por meio de uma associação em que a arte é o principal elo com a comunidade”.

 

Desde a sua idealização na década de 1969, o museu coleta materiais antigos que remetem à história da PM. Recentemente o Museu recebeu uma túnica pertencente a um capitão datada do século XX e um bacamarte, também do mesmo período. O vice-diretor do Museu, major Jorge Ferreira lembra que é fácil cooperar com o acervo do Museu, não há burocracia, basta apresentar o material na sede do próprio Museu na cidade de São Cristóvão ou no Quartel do Comando Geral, na capital.

 

O major Jorge Fernando ainda ressalta sobre a importância do museu para a comunidade. “A importância é puramente cultural, todo acontecimento do passado é tido como fato histórico e o resultado disso é que daqui a alguns anos as pessoas darão valor às coisas que hoje em dia não se importam. É nossa história, intrínseco, cultural”, conta o major.

 

O acervo do Museu é formado por meio de doações da sociedade sergipana, de forma a manter viva as memórias.  A Secretaria de Estado da Cultura também é um parceiro fundamental no projeto.
O museu tem ainda uma parceria com o Programa Educacional de Resistência às Drogas e Violência da Polícia Militar (Proerd), que engaja escolas das redes particular e  pública. A estudante Marianne Oliveira fez a sua primeira visita ao museu há um ano. “Por sorte eu fui a um museu que conta a história da polícia do meu estado e foi muito gratificante ver o tanto que eles evoluíram e que sempre estiveram dispostos a cumprir o seu papel”, revelou Marianne.

 

Funcionamento

 

Aberto a visitas diariamente das 9h às 17h, inclusive final de semana e feriados, o museu disponibiliza um guia que relata fatos históricos relacionados às peças, revelando curiosidades sobre a história da própria Polícia Militar.

 

O Museu recebe cerca de 15 visitantes diariamente tanto de turistas sergipanos como de pessoas oriundas de estados como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Pernambuco, curiosos em conhecer o berço da trajetória da Polícia do Estado de Sergipe.
Fotos: Fátima Silva

Comente: