Prefeitura e Governo lançam o projeto Minha Comunidade Segura

Já dizia o poeta Frederico Salvo: “A arte é a forma mais bonita de expressar o que há em vida. Vive em todo coração, explode em todas as esquinas”. As manifestações artísticas não são apenas agradáveis aos olhos, elas têm o poder de transformar realidades e cenários de violência, por exemplo. Pensando na arte como mecanismo revolucionário é que o Governo de Sergipe e a Prefeitura de Aracaju lançaram o projeto ‘Minha Comunidade Segura’, na manhã deste sábado, 20, no colégio Albano Franco, no Bairro Santa Maria.

Além de várias secretarias estaduais, participaram ativamente do evento a Secretaria Municipal da Assistência Social e Cidadania (Semasc), Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria Municipal de Educação. A vice-prefeita e secretária da Assistência Social e Cidadania, Eliane Aquino, acredita que as ações levadas pelo projeto ‘Minha Comunidade Segura’ ao bairro Santa Maria empoderam a população e incentivam a qualidade de vida.

“O que a gente quer é elevar o índice educacional, é trazer mais qualificação para o bairro, para que as pessoas tenham o interesse de voltar a estudar, de buscar uma nova forma de empregabilidade, inclusive pelo empreendedorismo. O bairro Santa Maria é muito grande e tem uma população extremamente trabalhadora. O que nós queremos é oferecer muito mais oportunidades pra eles”, garante Eliane.

A comunidade teve um dia repleto de atividades, orientações e serviços ofertados pelo poder público. O vice-governador, Belivaldo Chagas, acredita na transformação que o projeto pode gerar. “Trouxemos serviços para a população, mas também palestras porque queremos que a comunidade participe, para que eles sejam transmissores da boa palavra, do bom ensinamento e conselho, para que a gente tenha a diminuição dos índices de violência desse território”.

O bairro Santa Maria está presente no Mapa da Violência como um dos territórios com maior índice de vulnerabilidade de Aracaju, mas isso não quer dizer que lá é necessária a ação da polícia de forma severa e repressiva. As gestões da Prefeitura de Aracaju e do Governo de Sergipe priorizam o diálogo com a população e entendem que a Polícia e a Guarda Municipal podem caminhar juntas desenvolvendo atividades preventivas, que possibilitem, através da arte, outras oportunidades de vida das crianças e dos adolescentes. Nesse sentido, a supervisora de carreira da Guarda Municipal Sabrina Smith explica a atuação da Guarda. “Nós levamos noções de cidadania através do teatro, das dinâmicas e discutimos sobre temas como as drogas, o bullying e violência. Mostramos para eles quais os benefícios das boas práticas e acreditamos que esse é um bom incentivo”, explica Sabrina.

Além das apresentações, o ‘Minha Comunidade Segura’ presta vários serviços, como a emissão de carteiras de identidade e trabalho, atendimento à mulher, oficinas sobre o Cadastro Único, oficinas sobre sexo e relações abusivas, atendimento na unidade móvel do Bolsa Família, aferição de pressão arterial, testes rápidos de doenças sexualmente transmissíveis, teste glicêmico, aferição do Índice de Massa Corpórea (IMC), academia da cidade, futebol, oficinas de prevenção ao Aedes aegypti e oficina de prevenção da saúde bucal.

Semasc

Em alusão ao Dia do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania (Semasc) realizou uma panfletagem instrutiva, conversando com as pessoas e incentivando a denúncia. “Nossas equipes estão hoje aqui numa sensibilização de todas as famílias que estão nesse evento pra tratar sobre a violência com crianças e adolescentes”, afirma Inácia Britto, diretora da Proteção Social da Semasc”. À tarde ainda foram realizadas atividades para os usuários vinculados ao Cadastro Único e ao Bolsa família.

Inácia Britto ainda afirma que o fortalecimento de vínculos com a comunidade se dá quando os próprios moradores do bairro participam intensamente  das atividades. “Estamos trazendo também apresentações culturais que são desenvolvidas pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) dos bairros Santa Maria e 17 de Março. Isso é fruto do trabalho do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos”.

A perspectiva é que o projeto “Minha Comunidade Segura” aconteça em outras localidades da cidade de Aracaju e em outros municípios de Sergipe, obedecendo às necessidades apontadas pelo Mapa da Violência.

Comente: