Palácio Serigy ganha reforma externa e iluminação especial

bac530284b6594fd4323a898bedff768Um dos mais belos cartões postais e patrimoniais de Sergipe, o Palácio Serigy, prédio onde há quase 30 anos funciona a Secretaria de Estado da Saúde, ganhou uma reforma especial. Localizado à praça General Valadão, centro de Aracaju, o local está de cara nova.

“Inicialmente foi feita a pintura da parte externa e, em breve, iniciaremos a da parte interna, que contemplará toda a modernização da edificação. A pintura das fachadas, a recuperação do gradil externo da Secretaria de Estado da Saúde durou 60 dias”, destacou Evandro Galdino, diretor de Planejamento da SES.

Para o secretário de Estado da Saúde, José Sobral, “a reforma do Palácio Serigy teve como foco oferecer mais conforto aos servidores e visitantes, além de dar uma nova cara ao patrimônio sergipano. A praça General Valadão está cada vez mais bela e o prédio da SES, com a nova roupagem, tornará o local mais bonito para visitação da sociedade e até mesmo dos turistas. O Palácio Serigy é do povo sergipano”.

Outubro Rosa

Além da reforma externa, a fachada do prédio da Secretaria de Estado da Saúde ganhou uma iluminação especial. A luz faz parte das comemorações do Outubro Rosa, uma iniciativa celebrada em todo o mundo com o objetivo de alertar a população sobre a importância da prevenção do Câncer de Mama.

“Muitos monumentos e prédios públicos ganharam esta iluminação e a SES não faria diferente. Quem passa pela praça General Valadão à noite ficará encantado com a beleza da reforça e a sutileza da iluminação, que remete à esta causa tão importante, que é o Outubro Rosa. Através desta cor, devemos lembrar às mulheres de nossas famílias e todas as sergipanas sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. Após outubro, faremos a iluminação alusiva ao Novembro Azul, que é destinada ao câncer de próstata”, reforçou o secretário José Sobral.

Patrimônio de Sergipe

O Palácio Serigy faz parte da história de Sergipe. Diante disso, o prédio foi fruto de um estudo da historiadora Sandra Ribeiro Alves, que é servidora do Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu 192 Sergipe).

Segundo dados, registros fotográficos e documentos, todo o trabalho foi denominado ‘Palácio Serigy –  de Casa De Prisão à Secretaria Estadual de Saúde (143 Anos de História)’.

“Da sua origem como Casa de Prisão de Aracaju à Secretaria Estadual de Saúde, o Palácio Serigy reporta a momentos da história do povo sergipano. O olhar curioso e interessado do secretário José Sobral pela nossa história, das mais simples às mais rebuscadas, possibilitou a construção deste estudo com uma releitura sobre um dos mais antigos prédios públicos do Estado. O importante é a necessidade de conservação não apenas de sua edificação, mas também de memória”, afirma Sandra Ribeiro Alves.

Segundo a pesquisa da historiadora, o prédio nasceu à época do então presidente da província, Inácio Barbosa. “Os alicerces do que seria a Casa de Prisão de Aracaju começaram a ser construídos em 1855, sendo posteriormente vendidos à Companhia Baiana. Sua construção efetiva iniciou-se em 1864. Projetado pelo engenheiro sergipano Firmino Rodrigues Vieira, em estilo neogótico, o imponente prédio se destacava das demais construções com dois pavimentos “pés direitos avantajados e que lhe davam grande altura, estendido ao longo de uma fachada de cerca de 50 metros, com um corpo central que chegava até o alinhamento da rua e duas alas laterais recuadas, dando-lhe a forma de ‘T’”, relatou Sandra, em estudo, destacando ainda que o prédio foi inaugurado oficialmente em 1872, mas em funcionamento desde 1867.

Ainda de acordo com o documento, a Casa de Prisão de Aracaju continuou reproduzindo a problemática existente no sistema carcerário do império. Já no governo de Graccho Cardoso (1922-1926), o prédio do “Cadeião” foi demolido e os presos transferidos para um moderno presídio construído à época no Bairro América.

O estudo diz que “o antigo prédio foi demolido e, em seu lugar, foi construído um imponente edifício em estilo Art Decór apesar de ter perdido as partes externas das alas laterais, o que lhe concedia uma melhor proporção com a parte central, com linhas retas, mais simples, o que resultou em um prédio elegante e moderno”.

“Naquele tempo, devido a sua posição central e ao fato de abrigar diversos serviços de saúde, consultórios médicos, serviços de raios-X, sala de vacinação, toda a população do Estado dirigia-se ao prédio para receber atendimento gratuito. O fato de ter próximo a Estações da Leste Brasileiro e os pontos das ‘marinetes’ com embarque e desembarque de passageiros tornava o fluxo intenso durante os dias úteis. Segundo o memorialista Murillo Melins, foi o primeiro prédio a ter elevador o que atraía pessoas de todo o Estado unicamente para subir e descer os dois andares do prédio. O Palácio Serigy era funcional e atração turística nas décadas de 40 e 50”, enalteceu Sandra Ribeiro.

Desde quando foi construído até hoje, o Palácio Serigy passou por duas reformas, ambas nos governos de Albano Franco. Em 1997 quando foi inserida a estátua do Cacique Serigy, que dá nome ao prédio, trazida da Praça Teófilo Dantas.

“A historiadora Sandra Ribeiro está de parabéns pelo belo trabalho de resgate desses 143 anos de história do Palácio Serigy na capital sergipana. A memória nunca pode acabar. O prédio passou por esta revitalização em sua fachada para realçar toda a beleza que o Centro Histórico de Aracaju tem. É preciso preservar os monumentos e o Palácio Serigy é um patrimônio social de Sergipe”, comemora o secretário de Estado da Saúde, José Sobral.