Novembro Azul traz alerta importante sobre a saúde do homem

Médicos especialistas orientam seus pacientes quanto à prevenção da doença e a importância de um diagnóstico precoce para uma maior chance de cura

Por causa da pandemia, muitos homens deixaram de ir ao médico e fazer exames essenciais para prevenir o câncer de próstata. Isso trouxe uma grande preocupação para médicos especialistas que orientam seus pacientes quanto à prevenção da doença e a importância de um diagnóstico precoce para uma maior chance de cura. É o que diz o oncologista clínico do Centro de Oncologia do Hospital de Urgências de Sergipe Governador João Alves Filho (Huse), Rafael Lessa. Segundo ele, a campanha Novembro Azul alerta para um assunto importante que é a saúde do homem.

“A gente sabe que com a pandemia o número de pessoas que deixaram de ir ao médico fazer seus exames foi muito grande, então essas campanhas vêm para mostrar a importância da realização desses exames e para que a gente evite diagnósticos em fases mais avançadas, onde a gente não consegue mais tratar o câncer com o intuito curativo. A data é importante para mostrar aos homens que eles devem estar atentos a sua saúde em geral, então é fundamental que eles não deixem de fazer seus exames porque isso vai ajudar muito na hora do tratamento”, explicou Rafael Lessa.

No Centro de Oncologia do Huse, mais de 400 pacientes são acompanhados pelo serviço para o tratamento de câncer de próstata. Os pacientes passam por consultas, tratamento de radioterapia e hormonioterapia e seguem sendo acompanhados pelo especialista. Para este ano, o Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima o surgimento de 65 mil casos da doença, mas, com o diagnóstico precoce, as chances de cura são de 90%.

O aposentado Antônio Carlos Lima, 67, sabe muito bem da importância de cuidar da saúde. Há 9 meses foi diagnosticado com um câncer de próstata depois de sofrer uma infecção urinária e passar por especialistas e alguns exames. Descoberto ainda no início, o paciente segue o tratamento com mais chances de cura. “Fui tratar uma coisa e descobri outra, mas graças a Deus que foi descoberto no início, já marquei uma consulta e comecei o meu tratamento. Estou me sentindo bem e tenho muita fé em Nossa Senhora Aparecida que vai ser assim até o final com a minha cura”, disse.

O oncologista clínico do Huse, ressalta que o câncer de próstata é muito comum em idosos, mas faz o alerta de que cada vez mais o diagnóstico acontece, também, em pessoas mais jovens. “Todo homem a partir dos 50 anos já deve começar a conversar com seu urologista sobre a realização de exames de prevenção e naqueles que tem algum outro fator de risco como obesidade, histórico na família, esses pacientes precisam conversar sobre exames de prevenção um pouco mais cedo, a partir dos 45 anos. O câncer não espera, quanto antes fizer o diagnóstico e iniciar o tratamento melhor”, pontuou Rafael Lessa.

Comente: