Monumento Governador Marcelo Déda será inaugurado dia 11 de março

O governador Jackson Barreto, acompanhado da vice-prefeita e viúva do ex-governador Marcelo Déda, Eliane Aquino, visitou obras de construção do Monumento em homenagem ao ex-governador Marcelo Déda. O Monumento está sendo construído no Parque da Sementeira, como um espaço de reflexão e contemplação pela história de Déda

O governador Jackson Barreto, acompanhado da vice-prefeita e viúva do ex-governador Marcelo Déda, Eliane Aquino, esteve na manhã do domingo, 21, no Parque Augusto Franco (Sementeira), com o objetivo de acompanhar o andamento das obras de construção do Monumento em homenagem ao ex-governador Marcelo Déda. O Monumento deverá ser entregue no dia 11 de março, data do aniversário de Déda. A visita foi acompanhada também pelo presidente do Instituto Banese, Ézio Déda, secretário de Estado da Comunicação, Sales Neto, e pelos filhos e neto do ex-governador.

O Monumento Governador Marcelo Déda será um espaço de reflexão e contemplação. Na sombra da árvore que foi plantado por Marcelo no Parque da Sementeira será erguida uma estátua fiel de Déda com um jornal ‘A Semana’, de Simão Dias, em seu colo. Os visitantes do parque poderão sentar-se junto a ele, eternizar o momento em imagem ou apenas na lembrança, e vislumbrar detalhes sobre a vida pessoal e pública do ex-governador sergipano.

“Estamos aqui para cumprir aquilo que prometemos a Marcelo Déda. As suas cinzas estão aqui neste monumento no Parque da Sementeira e nós estamos retomando essa obra, prestando contas ao povo sergipano. Porque, aqui, não reverenciamos apenas um cidadão, mas um homem público que fez história em nosso estado. E aqui, sem dúvida alguma, ao lado de Eliane Aquino, das filhas, filhos e neto de Marcelo Déda, estamos construindo também a história de Sergipe, porque o Monumento no Parque da Sementeira será a presença viva de Marcelo Déda na vida política de Aracaju, de Sergipe e do Brasil. Marcelo Déda estará sempre presente!”, declarou o governador Jackson Barreto.

Para a vice-prefeita de Aracaju e viúva Eliane Aquino, a retomada da obra é extremamente importante não só pelo simbolismo que Marcelo Déda teve para todo nosso estado, mas principalmente para atender um pedido que ele fez em vida. “No leito de morte, ele pediu que as cinzas dele fossem colocadas nesta árvore que está aqui. Então, graças ao governo do Estado, através do Instituto Banese, principalmente, ao apoio do governador Jackson Barreto, nós conseguimos construir um projeto que dialogasse com o Parque da Sementeira e que deixasse aqui a marca na história. Eu quero fazer um agradecimento especial e dizer que para toda a família de Marcelo Déda: isto aqui tem uma importância imensa. Com certeza, vai dialogar com as novas gerações, fazendo com que todo mundo tenha a oportunidade de conhecer a história de grandes estadistas como Marcelo Déda. Então, eu só posso agradecer ao Instituto Banese, ao governo do Estado, por um novo marco na história da nossa Aracaju”, pontuou.

Satisfeita, a filha do ex-governador, Yasmin Déda, ressaltou a importância do projeto para a família. “É importante presenciar o símbolo e a memória de Marcelo Déda aqui no Parque da Sementeira. É recompensador para o Instituto Marcelo Déda que também sonhou com esta obra, assim como para o estado. Afinal, o homem é feito da sua memória e o estado também é feito dos homens que marcaram a história. É importante que isso fique marcado para que as demais gerações venham aqui e conheçam quem foi Marcelo Déda, sua obra e sua importância para o estado. Dessa maneira, nós agradecemos pelo iniciativa do governador Jackson Barreto que apoiou sempre este monumento em respeito à memória e em respeitos às lembranças que realmente devem ficar marcadas”, colocou.

Segundo o diretor presidente do Instituto Banese, Ézio Déda, a previsão é de que a inauguração realizada no dia 11 de março, data em que Marcelo Déda faz aniversário. “Atualmente, estamos na fase de acabamento. Na próxima semana, começa a instalação do piso e depois os últimos detalhes para o setor de paisagismo. Ele havia pedido para colocarmos parte das cinzas dele aqui, embaixo da árvore e nós entendemos que era oportunidade de ser fazer um monumento que o homenageasse enquanto estadista. É um monumento que dialoga com o Parque e que traz leveza. Será um espaço contemplativo que homenageia a memória desse homem com informações sobre os anos em que ele viveu. Uma obra que vai se comunicar com todas as gerações”, explicou.

Monumento 

Com 53 anos de trajetória e uma vida política marcada por grandes discursos e um posicionamento firme diante de seus ideais, Marcelo Déda recebe um monumento com nuances sobre sua existência. Entre as árvores que receberam cinzas do ex-governador estará um espelho d’água e um grande disco, que traz gravado em granito o mapa de Sergipe. Para marcar a terra natal de Déda, uma nascente foi colocada exatamente em cima da localização do município de Simão Dias. Ainda ali, porém na parte de baixo, foi depositada parte das cinzas dele.

Ao redor do espaço do espelho d´água, 52 duas estrelas, mais uma 53ª, localizada na nascente, representam os anos vividos por Déda. Combinadas com o azul escuro do céu, as estrelas acenderão noite após noite, conduzidas por sensores. E embaixo do grande disco, ao centro do Monumento, luzes de led darão efeito de que o ambiente estará flutuando, em consonância com o toque sutil do vento, que dará o ar da graça naquele pavimento.

Ao fundo, seis painéis, sendo cinco deles representando cada década vivida por Déda desde seu nascimento, trazem informações biográficas, que contextualizam a passagem do ex-governador por cada um de seus cargos, seja de filho, esposo, pai, irmão, amigo ou gestor. E, ao meio dos totens, um poema estará cravado como lembrança da oratória e de seus discursos marcantes. Assim como o grande disco, o local também receberá lâmpadas de led, tonando a iluminação um item indispensável para contemplação do espaço à noite.

Com total acessibilidade, através de duas rampas laterais, uma em cada canto do Monumento, o espaço em homenagem a Marcelo Déda terá também uma escadaria principal. No local, as pessoas que por ali passarem podem se refrescar e/ou matar a sede na própria fonte, que receberá um filtro do qual sairá água potável. Complementam ainda o memorial, duas árvores, também plantadas à época em que Déda e Eliane fincaram as raízes do Pau-brasil e do Ipê, sendo uma delas do ex-senador por Sergipe José Eduardo Dutra, falecido em 2015.

Comente: