Inquérito vai investigar denúncia que o ex-prefeito Sukita teria sido torturado no Compajaf

As investigações serão conduzidas pelo titular da 9ª Delegacia Metropolitana, delegado Gilberto Guimarães, unidade responsável pela região do Santa Maria.

A Polícia Civil vai instaurar inquérito para apurar as graves denúncias feitas pelo ex-prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita, ao afirmar na manhã da última segunda-feira (9), durante uma entrevista em uma emissora de rádio da capital, que foi torturado enquanto esteve preso no Complexo Penitenciário Advogado Jacinto Filho (Compajaf).

 

As investigações serão conduzidas pelo titular da 9ª Delegacia Metropolitana, delegado Gilberto Guimarães, unidade responsável pela região do Santa Maria, onde está instalada a unidade penitenciária na qual Sukita esteve preso. O ex-prefeito foi encaminhado ao Compajaf depois de ser preso pela Polícia Federal, em cumprimento a ordens judiciais.

 

A determinação para instauração do inquérito policial partiu da delegada-geral da Polícia Civil, Katarina Feitoza, após Sukita afirmar em entrevista que a tortura aconteceu e até o momento nada foi investigado. Sukita alegou que em 40 dias, apenas tomava água à noite e que passou 37 dias sem ver a luz do sol.

Deixe uma resposta