Feiras de Artesanato e Comidas Típicas geram renda e viram atrativo em Aracaju

A partir do próximo domingo, 15, a capital sergipana será contemplada com um novo projeto idealizado pela Prefeitura de Aracaju: as Feiras de Artesanato e Comidas Típicas. Ao todo, 183 comerciantes de alimentos e peças artesanais terão a oportunidade de expor seus produtos, obter retorno financeiro e oferecer à população uma nova fonte de consumo. A ação é fruto de uma parceria entre a Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo (Semict), Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat), Coordenação de Vigilância Sanitária (Covisa), Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e Guarda Municipal.

Na manhã desta segunda-feira, 9, a iniciativa foi lançada oficialmente aos participantes, em uma explanação no Centro Cultural de Aracaju.  Nesta primeira etapa, a feira será instalada em seis localidades: nos bairros Aruana, 13 de Julho e Industrial, Conjunto Inácio Barbosa e nas praças Fausto Cardoso e General Valadão. Para que as inscrições fossem efetivadas, era obrigatório que os vendedores possuíssem certificado de conclusão em cursos da Fundação. “O propósito é trabalhar para a geração de renda. Eles atenderam a todos os pré-requisitos e depositaram a confiança em nós”, enfatiza a presidente da Fundat, Gláucia Guerra.

É o caso da artesã Joelina dos Santos, que já passou pelas turmas de Bijuteria, Caixa de Presente, Peso de Porta, Técnica em Fuxico, Boneca de Pano, Biscuit e Bolsas Finas. “Acho que já tenho uns 20 cursos na Fundat”, supõe a aluna e mais nova feirante, que atuará no Conjunto Inácio Barbosa e nas praças Fausto Cardoso e General Valadão. “Eu faço variedades, com perfeição e bom acabamento. Sobrevivo do meu artesanato. É gratificante”, afirma Joelina.

O projeto também beneficiará a artesã Edilene de Lima, moradora do Conjunto Augusto Franco. Desde o final do ano passado, quando conheceu a Fundat, ela já ingressou nas turmas de Boneca de Pano, Pintura em Tecido, Biscuit, Reciclagem, Patchwork e Atendimento ao Cliente. “Hoje, isso vem sendo minha renda. Estou começando a ganhar dinheiro, investindo, para depois vir o lucro. Veio essa oportunidade e estou cheia de expectativa”, revela Edilene, que comercializará no Mirante do Bairro 13 de Julho e na Praça General Valadão.

No quesito gastronômico, Isanete Costa dos Santos terminou, recentemente, o curso livre de Bolos e Tortas. Além disso, concluiu a capacitação no Programa Alimento Seguro (PAS), possibilitando que desempenhe suas funções conforme as normas da Vigilância Sanitária. “Faço salgados e bolos para festas, é minha fonte de renda”, informa Isanete, que pretende adaptar as ofertas ao público-alvo. “Para cada feira, será algo diferente. Por exemplo, na 13 de Julho, onde o pessoal faz caminhada, vou levar salada de frutas e sanduíche natural”, revela.

Ação integrada

Presente ao lançamento do projeto, o titular da Semict, Walker Carvalho, salientou a importância das Feiras de Artesanato e Comidas Típicas para a sociedade aracajuana. “A intenção é que vocês tenham condições de manter um trabalho e o sustento das famílias. Que seja apenas o primeiro passo e que essa feira se solidifique”, enfatiza o secretário. Já o coordenador da Vigilância Sanitária, Ávio Britto, explicou que o papel fiscalizador da Covisa visa ao bem comum. “É um trabalho em prol da saúde e da comunidade. Somos parceiros, estamos ali para mostrar como o serviço deve ser feito”, esclarece Ávio Britto.

Confira o cronograma das Feiras de Artesanato e Comidas Típicas, válido a partir do dia 15/05:

*Feira no Mirante da 13 Julho – aos domingos, das 15:00 às 21:00  horas

*Feira na Praça Fausto Cardoso – às terças-feiras, de 9:00 às 18:00 horas

*Feira na Praça General Valadão – às quartas-feiras, de 9:00 às 18:00 horas

*Feira no Bairro Inácio Barbosa – às sextas-feiras, das 14:00 às 20:00 horas

*Feira no Bairro Industrial – às sextas-feiras, das 15:00 às 21:00 horas

*Feira no Bairro Aruana – aos sábados, de 9:00 às 18:00 horas

Comente: