Em entrevista, Edvaldo afirma que Aracaju não está em risco de surto de dengue

O prefeito Edvaldo Nogueira rebateu, nesta quinta-feira, 2,  as informações divulgadas de que Aracaju poderia ter surto de dengue. Em entrevista concedida à rádio Xodó FM, o gestor municipal enfatizou que as matérias veiculadas não refletem a realidade da capital sergipana, listada atualmente entre as seis capitais com menores índices de infestação das doenças transmitidas pelo agente. Segundo o gestor municipal, no último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti (LIRAa),  realizado em março, a cidade registrou a pontuação de 1.2, se classificando como  médio risco, mas fora da possibilidade de surtos.

“O que houve foi uma grande infestação no interior do estado, o que aumentou o índice nacional. Em Aracaju, ao contrário do que foi noticiado, temos tido um decréscimo grande de casos e mantemos a pontuação de 1.2 para o período. Desde que assumimos a gestão, realizamos um grande trabalho de combate à dengue, zika e chikungunya, colocando em prática diversas medidas preventivas e de monitoramento. Para se ter uma ideia, dos 103 casos suspeitos, apenas sete foram confirmados nestes primeiros meses do ano, o que mostra a eficácia do nosso trabalho para que não aconteça epidemia. O nosso trabalho tem sido feito, agora, o que precisamos fazer, e aproveito para fazer um chamamento à população, é nos conscientizar para não deixar água parada em casa. Peço para quem tem planta que cuide, se livrem de objetos que possam acumular água e ser foco. Precisamos nos unir”, destacou Edvaldo.

Perguntado sobre a realização do Forró Caju, o prefeito voltou a afirmar que só fará a festa se conseguir os recursos necessários. Para Edvaldo, apesar da importância da festa para a capital, “se tiver que optar entre investir na saúde, educação, em melhorias para a cidade, ou em realizar o Forró Caju, vou optar pela melhoria de vida dos aracajuanos”. “O martelo já está batido. Só realizaremos a festa se tivermos recursos. Não é que a festa não seja importante, porque ela é. Tivemos a felicidade, inclusive, de realizar as maiores edições do Forró Caju em nossos mandatos anteriores. Mas existem outras prioridades. Estamos fazendo tratativas com o Ministério do Turismo, mas ainda não temos uma resposta definitiva. No ano passado conseguimos R$ 3 milhões com o Ministério da Cultura, mas tivemos aquele desgaste porque o dinheiro acabou atrasando. Então esse ano só faremos se os recursos estiverem em caixa”, afirmou.

Durante a entrevista com o radialista Jairo Júnior, o prefeito também destacou a elaboração de um projeto para recuperar as ciclovias da cidade. De acordo com Edvaldo, além de incluir novas ciclovias em obras executadas, a gestão municipal dará início a restauração das já existentes. “Reconhecemos que as ciclovias precisam ser recuperadas, especialmente porque elas passaram quatro anos completamente abandonadas. Tenho uma relação antiga com a prática de atividade física, passei a me exercitar incentivado pela minha esposa, por isso conheço bem a necessidade. Além disso, foi nos meus dois mandatos anteriores que foi construída boa parte das ciclovias existentes. Mas até julho vamos apresentar um projeto de recuperação das ciclovias. Em alguns locais, como a avenida Rio de Janeiro, serão recuperadas com o Plano de Mobilidade Urbana”, detalhou.

Ao longo da sua participação, o gestor municipal fez, ainda, um balanço da administração, dando ênfase ao pagamento dos salários em dia, o investimento de R$ 300 milhões em obras estruturantes, transformando diversos bairros da cidade, e o Plano de Mobilidade Urbana, com o qual será possível recuperar importantes corredores de trânsito, modernizar os semáforos, com o sistema de semaforização inteligente, instalar 150 novos abrigos de ônibus, construir um novo terminal do Mercado e restaurar os terminais do Dia e Atalaia. Edvaldo listou também ações na educação, como a matrícula online, e saúde, a exemplo do prontuário eletrônico.

Comente: