Cortejo Cultural do Colégio Marco Maciel celebra o Dia da Consciência Negra

Projeto está em sua sexta edição

 

A comunidade dos bairros Cidade Nova, Santos Dumont e 18 do Forte, em Aracaju, assistiram nesta sexta-feira, 20, a mais uma edição do Cortejo Cultural do Colégio Marco Maciel. Resultado de um projeto desenvolvido por professores e alunos do dessa unidade escolar, o cortejo percorreu as principais ruas dos bairros adjacentes.

 

Tendo como tema para esta sexta edição as comunidades ribeirinhas de Sergipe, o Cortejo Cultural é a culminância do Projeto Cultura: Nossa Consciência, além de ser também uma comemoração alusiva ao Dia da Consciência Negra, celebrada em todo o país nesta sexta-feira, 20.

 

Em clima de festa, os estudantes saíram às ruas animados por um carro de som e representaram elementos da cultura afro-brasileira, como caboclos e orixás, além de exporem mensagens de conscientização sobre as condições degradantes do Rio São Francisco, que banha e serve de fonte de renda para as comunidades ribeirinhas, tema das pesquisas desenvolvidas pelos alunos do Marco Maciel.

 

O projeto é coordenado e desenvolvido pela professora Adalci Costa durante as aulas de arte e artes cênicas, com alunos do 9º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio. Este ano os estudantes realizaram apresentações e performances sobre questões relativas à diversidade cultural, etnicorracial, religiosa, sexual e inclusão de pessoas especiais.

 

Difusão

 

Conforme explica a diretora do colégio Marco Maciel, Adriana Hora, o objetivo do cortejo é integrar ainda mais a escola à comunidade, além de difundir a cultura brasileira. De acordo com ela, o projeto é também uma forma de aprendizado para os estudantes.

 

Valorização cultural

 

Coordenando as atividades culturais do cortejo, a professora Adalci Costa dos Santos explicou que muitos moradores se reconhecem em suas raízes ao assistirem ao desfile dos alunos, vestidos a caráter para simbolizar diversos temas de nossa cultura.

 

“Esse projeto é de fundamental importância porque as fronteiras da escola são rompidas. Tanto a comunidade se soma como a escola demonstra para a sociedade o conhecimento que vem sendo construído”, disse a professora Costa.

 

Essa atividade contou com a parceria da Secretaria de Estado da Educação, da DESO, da Secretaria de Estado da Saúde e da SMTT de Aracaju.

 

Comente: