Belivaldo participa das homenagens a Santo Antônio em Itabaiana e Aracaju

Às 16h ele acompanhou a procissão do santo casamenteiro em Itabaiana e, à noite, em Aracaju

O governador Belivaldo Chagas dedicou a tarde e a noite desta quarta-feira, 13, a Santo Antônio. Às 16h ele acompanhou a procissão do santo casamenteiro em Itabaiana e, à noite, em Aracaju. Santo Antônio é o padroeiro de diversos municípios sergipanos. Na capital, ele dá nome ao primeiro bairro da cidade.

“Acompanhando as procissões, renovamos a nossa fé e homenageamos esse santo que é reverenciado pelo nosso povo, em especial o de Itabaiana, por quem tenho um grande apreço. Santo Antônio também faz parte dos santos do ciclo junino, bastante comemorados em nosso estado”, ressaltou.

A procissao de Itabaiana atrai milhares de fiéis que acompanham o Santo por diversas ruas da cidade. Em Aracaju, o governador também assistiu à missa celebrada pelo Arcebispo de Aracaju, dom João José Costa.

História

Antonio ou Fernando Antônio de Bulhões, seu nome de nascença,  nasceu em Lisboa, Portugal, em 15 de agosto do ano de 1195. De família nobre e rica, era filho único de Martinho de Bulhões, oficial do exercito de Dom Afonso e de Tereza Taveira. Sua formação inicial foi feita pelos cônegos da Catedral de Lisboa. Antônio gostava de estudar e de ficar mais recolhido.

Aos 19 anos entrou para o Mosteiro de São Vicente dos Cônegos Regulares de Santo Agostinho, contra a vontade de seu pai. Morou lá por 2 anos. Com uma grande biblioteca em mãos, Antônio avança na sua história pelo estudo e pela oração. É transferido para Coimbra, que é um importante centro de estudos de Portugal, ficando lá por 10 anos. Em Coimbra ele  foi ordenado sacerdote. Logo se viu o dom da palavra que transbordava do jovem padre agostiniano. Ele tinha conhecimento e grande poder de pregação.

Em Coimbra o Padre Antônio conhece os freis franciscanos, entusiasma-se pelo fervor e radicalidade com que estes viviam o Evangelho e, pouco depois, torna-se Frei Antônio, mudando-se para o mosteiro de São Francisco de Assis.

Protetor das coisas perdidas. Protetor dos casamentos. Protetor dos pobres. É o Santo dos milagres. Fez muitos ainda em vida. Durante suas pregações nas praças e igrejas, muitos cegos, surdos, coxos e muitos doentes ficavam curados. Redigiu os Sermões, tratados sobre a quaresma e os evangelhos, que estão impressos em dois grandes volumes de sua obra.

Falecimento

Santo Antônio morreu em Pádua, na Itália, em 13 de junho de 1231, com 36 anos. Por isso ele é conhecido também como Santo Antônio de Pádua. Antes de falecer nas portas de Pádua, Santo Antônio diz: ó Virgem gloriosa que estais acima das estrelas. E completou, estou vendo o meu Senhor. Em seguida, faleceu.

Os meninos da cidade logo saíram a dar a notícia: o Santo morreu. E em Lisboa os sinos das igrejas começaram a repicar sozinhos e só depois o povo soube da morte do Santo. Ele também é chamado de Santo Antônio de Lisboa, por ser sua cidade de origem.

Presenças 

O governador estava acompanhado do ex-governador Jackson Barreto; do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luciano Bispo; deputado federal Laércio Oliveira; vice-prefeita de Aracaju, Eliane Aquino;  deputado estadual Francisco Gualberto; ex-deputado federal Rogério Carvalho; prefeito de Socorro, padre Inaldo; prefeito de Areia Branco, Alan de Agripino; prefeito de São Domingos, Pedrinho e seu vice Binho; ex-deputado federal Márcio Macedo.

Comente: