Áreas de atuação da PM são redistribuídas na Zona de Expansão da capital

c8df366a-b342-b083A Polícia Militar de Sergipe, por meio do Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC), reuniu-se com as lideranças do bairro Aruanda e conjunto Costa Nova, no intuito de apresentar a redistribuição das áreas de atuação das Companhias de Polícia Comunitária atuantes na Zona de Expansão da capital. A reunião ocorreu na noite da última terça-feira, 15, no Posto de Atendimento ao Cidadão (PAC) do conjunto Costa Nova.

 

Coronel Luiz AzevedoDurante o encontro, o comandante da CPMC, coronel Luiz Azevedo, esclareceu a nova formatação do policiamento comunitário para melhor atender as demandas dos moradores do bairro Aruanda, incluindo o conjunto Costa Nova. A região, que antes era de competência da 2ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Comunitária, passa a ser de abrangência da 5ª Companhia, também conhecida como Companhia de Policiamento Turístico (CPTur).

Com a redistribuição, compete à CPTur o policiamento preventivo dos bairros Coroa do Meio, Atalaia, Aruanda, Costa Nova, Robalo e Mosqueiro, sendo as quatro últimas comunidades anteriormente pertencentes à 2ª Companhia do 1º Batalhão. Dessa forma, essa Unidade passa a cobrir os bairros Farolândia, Aeroporto, conjuntos Orlando Dantas, Augusto Franco e Santa Tereza. As comunidades recebem o reforço das operações Sergipe Mais Seguro e Saturação, que utiliza o efetivo tanto do serviço ordinário quanto do extraordinário.

A readequação é fruto da avaliação das estatísticas de ocorrências registradas pelo Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (CIOSP), através do 190. “Identificamos que a formatação do policiamento existente já não mais atendia aos nossos pressupostos. Então, decidimos reforçar o efetivo em rondas ostensivas, reduzindo a área de atuação das viaturas e incrementamos a cobertura da área com cerca de 60 policiais que atuam em Ações de Policiamento Localizado (Apolo), ligados à CPTur”, destacou o comandante do CPMC.

PopulaçãoApesar dos esforços empreendidos pela PM para garantir a tranquilidade dos cidadãos, coronel Luiz frisou a necessidade da integração entre as polícias e a sociedade. “Policiamento não se faz só com a Polícia Militar, mas integrada com a Polícia Civil e com a própria comunidade. A participação da comunidade é fundamental para que possamos ter o termômetro do que ocorre aqui na região. Nós trabalhamos em cima de estatísticas. Sem identificar qual o mapa termal da área, onde e em que horários acontecem os crimes e quais são esses tipos de crimes, nós não temos como trabalhar”, pontuou.

O oficial exemplificou a experiência do bairro Santa Maria, que completou 34 dias sem registro de homicídio. “Diminuímos os índices de roubo e furto no bairro Santa Maria, em virtude da iniciativa de criação de um grupo de WhatApp pela comunidade, através do qual as pessoas mantém contato direto com a Polícia Militar, e logramos êxito quanto aos índices de homicídio, passando 34 dias sem qualquer registro desse tipo de crime”, comemorou.

O comandante do CPMC chamou a atenção para a responsabilidade de cada um no processo de melhoria da segurança pública. “É importante que a própria vizinha permaneça vigilante uns com os outros, atentando para situações e pessoas suspeitas, que evite transitar em locais ermos e mal iluminados e que reclamem às autoridades competentes, também, a falta de iluminação adequada nos bairros. Muitas vezes um roubo acontece por mera distração da vítima ao telefone celular”, salientou.

Dados

Entre os meses de agosto de 2014 e 2015, o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública registrou 1.419 solicitações no bairro Aruanda, através do 190, sendo a maior parte delas (601) denúncias de perturbação do sossego. Os dados excluem os boletins de ocorrência registrados nas delegacias da capital.

Major Melo“Analisamos as estatísticas, levantamos os pontos críticos do bairro e atualizamos os cartões-programa das viaturas, no intuito de readequar as rondas ostensivas e os pontos base e garantir uma cobertura satisfatória das áreas de interesse. É um trabalho que vem sendo construído continuamente e, com reuniões periódicas com a comunidade, ele vai sendo aperfeiçoado”, informou o major Melo, chefe de operações do CPMC.

Para ajustar o policiamento às novas demandas, devido ao crescimento e povoamento da área atendida, a primeira mudança investida pelo CPMC, conforme explica o major Melo, foi a criação da área integrada de segurança pública da 2ª Companhia do 1º Batalhão, que atende os bairros Farolândia, São Conrado e Aeroporto e dispõe de três viaturas, com sede no PAC do Aeroporto. O Costa Nova, como elucidado, fica atrelado à 5ª Cia/1º BPCom (ou CPTur).

A Aruanda terá viatura própria da CPTur e os boletins de ocorrência deverão ser prestados na Delegacia de Turismo, próximo à praça de eventos da Orla da Atalaia. “Estamos, de todas as formas, viabilizando o policiamento ostensivo dentro dos bairros. Equipes com novos policiais militares vêm reforçando o patrulhamento e estão conhecendo a área. É importante que a sociedade seja parceira e colabore com o nosso trabalho”, reforçou Melo.

Para o capitão Jorge Cirilo, comandante da CPTur, reuniões como esta são importantes para aproximar a polícia da comunidade. “Além de estreitar o diálogo com os moradores, esses encontros servem para diagnosticar os pontos críticos dos bairros e facilitar o emprego da tropa, com vistas a tornar o policiamento mais dinâmico e eficiente”, declarou.

DiáconoO diácono Francisco, administrador da Paróquia Irmã Dulce, parabenizou a iniciativa da PM em conversar e esclarecer à comunidade as novas diretrizes para o bairro Aruanda. “Parabéns ao Major Melo e ao Coronel Luiz pelo trabalho que vem sendo planejado. Minha expectativa é que tenhamos sempre a presença de vocês e o permanente diálogo. Clamo para que todos colaboremos com a PM, fazendo as denúncias, para que possamos incrementar as estatísticas e os policiais possam dar todo o apoio necessário à comunidade”, apelou o religioso que, como medida preventiva, antecipou as celebrações do sábado à noite, vislumbrando maior segurança para os fiéis.