Ações educativas da SMTT contribuem para um trânsito melhor

Seja para novos habilitados ou motoristas acostumados com o trânsito de todo dia, dirigir é um ato que exige atenção e cuidado consigo mesmo e com o outro. Para auxiliar os motoristas aracajuanos, a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) mantém um setor voltado à educação para o trânsito que, através de palestras, intervenções culturais e outras atividades, desenvolve ações que ajudam a tornar as vias da cidade um lugar mais seguro para todos.

A Coordenadoria de Educação Para o Trânsito tem como objetivo educar crianças, jovens e adultos no resgate aos valores para o exercício da cidadania nas vias públicas. No total, 16 pessoas fazem parte da equipe, que é coordenada por Jorge Luiz da Conceição. Apesar de ter uma equipe fixa, todo o efetivo de agentes da SMTT acaba participando das ações que ocorrem em todas as regiões da cidade.

“A multa é o último recurso utilizado pela SMTT. Antes da multa, nós começamos com a educação no trânsito, cuja proposta é levar ao condutor todas as coisas que forem possíveis para que ele tenha um trânsito mais educado, mais ordeiro, mais humano”, afirma Jorge Luiz.

As ações são pensadas em níveis federal, estadual e municipal. Todos os anos, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) desenvolve temas que são seguidos pelos órgãos municipais, como o Maio Amarelo, que em 2018 terá o tema ‘Nós Somos o Trânsito’, e a Semana Nacional do Trânsito, em setembro.  Já em nível estadual, as orientações são enviadas pelo Detran.  Mas é no município que as ações são mais abrangentes, com as atividades realizadas pela SMTT.

São várias as formas que a Coordenadoria de Educação Para o Trânsito utiliza para abordar os motoristas, baseado em princípios e técnicas que estimulam a participação dinâmica da sociedade de acordo com a realidade de cada bairro. São palestras, vídeos educativos, folders informativos, ações nas ruas, peças teatrais, entre outros. A comunidade escolar também faz parte do público-alvo.

“Criamos, junto à Secretaria Municipal da Educação (Semed), um calendário de ação anual, principalmente na volta às aulas ou quando há uma ação alusiva ao trânsito. Dessa forma, todas as escolas municipais de Aracaju são atendidas com as nossas ações. Mas também vamos a escolas estaduais, particulares e universidades, basta a instituição enviar um ofício solicitando”, explica Jorge Luíz.

Nas escolas, a coordenadoria trabalha com palestras, peças teatrais e outras atividades lúdicas. “Nosso público alvo é a comunidade escolar, ou seja, o aluno e o professor. Mas depois descobrimos que vai além disso, pois quando um pai vai deixar o filho na escola e comete uma infração como a de estacionar em fila dupla, a criança que recebeu a orientação na escola pode passar a informação para o pai”, completa.

Alcance

Em 2017, a Coordenadoria de Educação para o Trânsito realizou, de janeiro a novembro, 172 atividades, alcançando de maneira direta 24.201 pessoas. Destas, 62 atividades foram realizadas pelo grupo de teatro Cones, 64 foram palestras e as outras 46 foram ações educativas variadas. Somente em janeiro de 2018, a equipe já passou por dez escolas, além da ala de trauma do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) e a USF Edézio Vieira de Melo, no bairro Siqueira Campos, alcançando mais de 1.700 pessoas.

Além das ações realizadas em Aracaju, a coordenadoria também aceita convites para eventos em municípios do interior do estado. “Como no estado de Sergipe os carros sempre acabam desaguando em Aracaju, quando recebemos o convite de uma cidade do interior a gente também atende, porque as orientações que esses motoristas receberem acabará refletindo no trânsito da capital”, aponta Jorge Luíz. A equipe da SMTT se desloca para eventos no interior de uma a duas vezes por mês.

“Ao contrário do que as pessoas pensam, a gente comemora quando o número de autuações mensal diminui, isso é um indicador que o usuário esta andando melhor. Quando o número de acidentes é menor, também comemoramos, porque é um termômetro  que indica que o nosso trabalho está surtindo efeito”, finaliza.

Ações

Ao transitar pelas ruas e avenidas de Aracaju, não é difícil encontrar em algum cruzamento, faixa de pedestre ou em entradas de escolas a equipe da SMTT realizando alguma atividade educativa. É que durante todo o ano, a coordenadoria está nas ruas colocando com prática um planejamento que é feito desde o início do ano.

– Curso de capacitação

O ano começa com a capacitação da equipe, que recebe instruções sobre a legislação de trânsito, primeiros socorros, psicologia do trânsito, mediação de conflitos e operação de trânsito.

– Volta às aulas

As ações abordam pais e alunos nas entradas das escolas com o objetivo de conscientizá-los para um trânsito mais seguro.

– Feriados

Antes dos períodos festivos e feriados prolongados, a SMTT também vai às ruas com abordagens a motoristas, motociclistas, pedestres e ciclistas sobre os riscos de acidentes que aumentam nesses períodos. Em 2017, as ações foram realizadas dias antes do Carnaval, Semana Santa e São João.

– Teatro

Através de peças teatrais, o grupo Cones leva muita informação para a população, seja nas escolas ou até mesmo nas ruas, como nas faixas de pedestre. A companhia de teatro ainda tem presença garantida em outras campanhas educativas da SMTT, contando sempre com o apoio dos agentes. Em 2017, o grupo recebeu o prêmio Educar-SE como reconhecimento pelo trabalho realizado durante o ano.

– 1 Minuto para o Trânsito

O projeto leva para as Unidades de Saúde da Família (USF) agentes da SMTT para, através de conversas e materiais impressos, conscientizar a população sobre suas atitudes no trânsito. O objetivo é aproveitar o tempo ocioso dos pacientes enquanto aguardam a consulta para estabelecer diálogos rápidos nas salas de espera.

A agente Heloísa de Rezende explica que as abordagens nos postos de saúde são uma opção a mais para conscientização da população. “Muitas vezes, no trânsito, com a correria, as pessoas acabam não assimilando totalmente a mensagem que queremos passar. Já nos postos de saúde, eles estão com tempo de ouvir e aprender. Isso mostra nossa preocupação com o bem-estar das pessoas, inclusive o físico e financeiro, pois acidentes acabam interferindo em várias áreas da vida”, comenta.

Comente: