TRE/SE atento às Fakes News durante processo eleitoral

A Assessoria de Comunicação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE/SE) realizou nesta sexta-feira, 03 em parceria com a Escola Judiciária Eleitoral (EJESE), uma palestra sobre “O Processo Eleitoral e a Atuação da Imprensa”.

O evento realizado no auditório do TRE em Aracaju, contou com a participação de jornalistas e radialistas que atuam na Assembleia Legislativa de Sergipe (ALESE), na Câmara Municipal de Aracaju, em emissoras de rádio e tv, além de sites de notícias e assessorias de comunicação. Na ocasião, o secretário judiciário, Marcos Vinícius Linhares Constantino da Silva, esclareceu dúvidas sobre a legislação eleitoral quanto à Propaganda Eleitoral, Prestação de Contas, Financiamento de Campanha e Fake News.

Vedações na Internet

De acordo com ele, a Fake News (falsas notícias), não pode ser considerada como uma novidade no processo eleitoral e em outros períodos. “Na verdade, notícias falsas sempre existiram desde que o mundo é mundo, ainda mais em período de campanha. Não é novidade termos propagação de fatos inverídicos e notícias falsas. A novidade é que agora é um instrumento. Antigamente eram os panfletos anônimos, apócrifos, agora é a Internet”, ressalta.

Marcos Linhares destacou acreditar que a Fake News não venha a influenciar no resultado das eleições.

 

 

“Isso porque sempre existiu e nós temos mecanismos para punir, pois configura crime divulgar fatos inverídicos em relação a partidos e candidatos, que sejam de alguma forma, capazes de influenciar o eleitorado. Há instrumentos previstos na legislação eleitoral para penalizar as chamadas Fake News, não só quem fez, mas quem está propagando. Já faz parte da formação dos profissionais de imprensa, apurar as informações, mas o problema é maior com os eleitores, aqueles muitos apaixonados que, quando recebem uma notícia relacionada aos candidatos, replicam tudo o que recebem por não terem um preparo técnico e nem emocional”, entende.

Agências

Linhares falou ainda sobre a existência de algumas agências que ajudam as pessoas a pesquisar se a notícia é falsa ou verdadeira.

“A gente vai tentar colocar o endereço eletrônico de algumas dessas agências no site do TRE. Também estamos fazendo campanhas por meio da nossa Assessoria de Comunicação, divulgando vários posts no Facebook e no Instagram, alertando o eleitor a não divulgar notícias falsas; informando que é crime e que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já fez uma parceria com a Polícia Federal, para ir atrás dos grupos que fazem Fake News; semana passada, nós servidores e juízes do TRE/SE tivemos uma reunião com o pessoal do Facebook, do Google e do WatsApp sobre a criação de mecanismos para cada vez mais identificar as Fake News, principalmente agora no período eleitoral”, enfatiza acrescentando que os integrantes das redes sociais vão criar canais diretos visando identificar se as postagens são irregulares ou ofensivas.

Palestra

Marcos Linhares durante a palestra

A palestra durou mais de quatro horas com explanações do secretário judiciário e perguntas dos profissionais de imprensa.

 

 

 

 

Juíza Dauquíria de Melo

A diretora da Escola Judiciária Eleitoral, juíza Dauquíria de Melo Ferreira, enfatizou a importância da palestra voltada para os profissionais da imprensa sergipana. “A atuação de uma imprensa livre é fundamental para que tenhamos um processo eleitoral realmente democrático. Essa capacitação visa a munir os comunicadores de informações relevantes, notadamente, sobre as inovações legislativas relacionadas à propaganda”, diz.

“Nossa intenção é que os comunicadores do Estado possam tirar o máximo de dúvidas, de modo que desempenhem suas funções com amplo conhecimento da legislação correlata”, completa o assessor de Comunicação do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe, Ricardo Ribeiro.

Por Aldaci de Souza – Rede Alese
Fotos: Aldaci de Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *