Redes sociais e suas consequências: Publicitário e gestor de mídias sociais analisa caso Esfiharia Planet

Como uma atitude pode impactar sua vida para o bem e para o mal.

Neste final de semana, você deve visto algo, seja pelo whatsApp ou pelo facebook/instagram, sobre a polêmica que envolveu o jornalista Dênison Ventura e a Esfiharia Planet. O que ninguém imaginava era que a repercussão seria tamanha.

Entenda o caso

Para quem não está a par da situação, tudo começou com o pedido da Esfiharia ao jornalista em divulgar seus produtos nos stories dele. Ao recusar o pedido da parceria, Dênison justificou o ato citando seu currículo com 4 pós-graduações, mestrado e etc., sendo que desta forma seria impossível usar sua imagem para divulgar esfihas.

Repercussão

Talvez, Dênison e o proprietário da Esfiharia Planet não soubessem do poder que as mídias sociais tem. Em pouco tempo, os prints desse diálogo foram compartilhados em grupos de whatsApp, facebook, posts no instagram e tweets.

Seguidores se sensibilizam com o caso

Muita gente se solidarizou e a esfiharia passou de 1300 para 99 mil seguidores (até a conclusão desse artigo), além de bater recorde de pedidos. Há postagens com quase 7000 comentários! Até o digital Hugo Gloss comentou.

Se para a empresa, valeu a máxima que “há males que vem para o bem”, para o jornalista, o mesmo vai custar um pouco mais. Denison errou? Sim, errou! Ele poderia ter sido mais sucinto na resposta e ter dito apenas que não trabalha esse tipo de divulgação e por fim agradecer, e assim, teria evitado tal repercussão.

Massacre nas redes sociais

Não dá para negar que o massacre que Denison recebeu nas redes sociais foi desproporcional ao erro. Teve gente que desejou que ele ficasse doente com o corona vírus ou que simplesmente morresse; Eu, não desejo isso ao meu pior inimigo, mas como rede social não é terra de ninguém, o jornalista sofreu com vários ataques.

Próximos passos para Denison reerguer a imagem nas redes sociais

Denison se retratou e até publicou um vídeo com um pedido de desculpas, dizendo que o dono da esfiharia foi seu aluno. Por essa razão, esse mal virá para o bem com um pouco mais de tempo para que Denison assimile e perceba o que as redes sociais são capazes de fazer.

Dificilmente ele fará isso novamente. Um novo caminho ele irá trilhar até que as pessoas esqueçam o ocorrido e não o associem mais como o “cara que humilhou a esfiharia”. Competência, ele tem! Agora, é hora de andar para frente e seguir a vida. E, quem sabe esse recomeço possa ter um delicioso sabor de esfiha.

Por Assessoria de Imprensa/  Thiago Jacaúna

Comente: