Ipea destaca redução de homicídios em Sergipe e atribui números a “reorganização do trabalho policial”

Levantamento anual divulgado hoje (5) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) destaca a redução dos homicídios dolosos em Sergipe. A pesquisa, que contabiliza apenas municípios com ao menos 100 mil habitantes, mostra que ainda muitas cidades violentas estão no nordeste, mas que Aracaju e o estado de Sergipe vêm apresentado seguidas reduções. O Ipea ressaltou o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Segurança Pública no combate às mortes violentas. 

O estudo é um desdobramento do Atlas da Violência que destrincha os dados das 310 cidades médias e grandes do país. Para medir o nível de violência, o Ipea se debruçou sobre a taxa de homicídio por 100 mil habitantes nos municípios brasileiros no ano de 2017.

Segundo a nota do Ipea especificamente sobre Sergipe, “devido ao patamar de mortes atipicamente alto em 2016, observou-se uma redução das mortes no último ano. Uma explicação alternativa passa pelo amadurecimento da reorganização do trabalho policial levada a cabo desde 2015, quando se passou a promover maior articulação das agências policiais (SSP, PM, especializadas, DHPP, etc.) e uso de indicadores estatísticos e análise criminal para a construção de diagnósticos locais sobre a dinâmica da violência”, ressaltou o Instituto de Pesquisa. 

O Ipea ainda diagnosticou que “o estado, que vinha tendo forte crescimento da taxa de homicídio nos anos anteriores, obteve em 2017 uma redução de 11,3%. Outra explicação possível poderia ser relacionada o retorno à média da taxa de crescimento da última década. De fato, enquanto nos nove anos anteriores a média anual de crescimento era de 10,8% ao ano, entre 2014 e 2016 o crescimento médio anual foi de 14,4%”, explicou. 

O secretário da Segurança da Segurança Pública, João Eloy de Menezes, disse que a análise criminal periódica e a excelente relação entre as forças policiais têm sido fundamental. “Fazemos reuniões semanais e discutimos as áreas mais problemáticas, direcionando nosso efetivo. Felizmente, os resultados vindos das nossas polícias são muito bons e vamos continuar trabalhando muito para manter a redução dos números”, avaliou Eloy.

Comente: