Governador é homenageado no aniversário de 50 anos da Cehop

Jackson afirmou que a história da Cehop se confunde com a história do desenvolvimento de Sergipe, pelo fato da empresa ser a responsável pela execução da política habitacional e por obras fundamentais para o desenvolvimento do estado

O governador Jackson Barreto compareceu na manhã desta quinta-feira, 28, às comemorações dos 50 anos de fundação da Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas (Cehop), realizada na sede da Companhia. Uma placa em formato de pá de pedreiro foi descerrada pelo governador, em homenagem a todos os funcionários e dirigentes que contribuíram com seu trabalho para o desenvolvimento da empresa. Jackson Barreto, funcionários, diretores e ex-diretores também foram homenageados com uma placa comemorativa pela passagem do aniversário da empresa.

Jackson afirmou que a história da Cehop se confunde com a história do desenvolvimento de Sergipe, pelo fato da empresa ser a responsável pela execução da política habitacional e por obras fundamentais para o desenvolvimento do estado. Ele recordou que há 50 anos a Companhia foi criada pelo então governador Celso de Carvalho com o objetivo de construir as obras públicas de Sergipe, em especial os conjuntos habitacionais.

“Todas as obras importantes do estado passaram pela Cehop, especialmente os conjuntos habitacionais destinados à população carente. Acompanhei os vários conjuntos que surgiram como o Castelo Branco; o Augusto Franco com suas mais de cinco mil casas; o complexo Taiçoca, que foi uma revolução na construção de casas populares. A empresa hoje é um sucesso graças ao trabalho de seus funcionários, gestores, pedreiros, mestres de obras, empresários da construção”, acentuou.

O governador também agradeceu ao presidente da Companhia, Caetano Quaranta, que conseguiu com a ajuda de todos os funcionários e diretores retirar a empresa do vermelho. “Estou feliz e grato com o seu trabalho, que tirou a Cehop de uma situação de empresa quebrada, para hoje andar com as próprias pernas. O seu desempenho me lembra a frase do presidente Barack Obama em sua posse: Nós Podemos”, concluiu.

O presidente da Cehop, Caetano Quaranta, afirmou que a Companhia é a responsável pela construção de mais de 56 mil casas populares em Sergipe, tendo sido a executora da política habitacional do Estado nos últimos 50 anos. Além da construção de casas populares, ele informou que a empresa tem em seu currículo a construção de obras importantes, a exemplo dos mercados Thales Ferraz e Albano Franco, Teatro Tobias Barreto, Arena Batistão, anel viário do aeroporto, Parque Tecnológico de Sergipe, hospitais na capital e interior, reforma e construção de escolas, projetos de irrigação, penitenciárias e cadeias públicas, dentre várias outras construções.

De acordo com Caetano Quaranta, ao assumir o comando da empresa em 2014, atendendo ao convite do secretário de Infraestrutura, Valmor Barbosa, e sob a aprovação do governador, ele aceitou o desafio de tirar a companhia da crise em que se encontrava. Com o apoio dos funcionários e do governador, Quaranta disse que reequilibrou as finanças da empresa, renegociou as dívidas dos mutuários e mostrou a importância da companhia para o desenvolvimento do Estado. “Conclamo os funcionários a continuarmos trabalhando para manter a empresa equilibrada e executando os projetos e as obras públicas de interesse da população”, salientou.

O secretário da Infraestrutura, Valmor Barbosa, fez questão de dar um depoimento sobre o comportamento de Caetano como gestor da Cehop, ao se unir aos funcionários para tirar a companhia da crise. “De uma empresa pré-falimentar, temos hoje uma companhia que anda com as próprias pernas. Isso só foi possível por conta da visão humanista do governador Jackson Barreto que deu todo o apoio, bem como dos funcionários, gestores e empresas da construção que se uniram em favor da empresa”, acentuou.

Homenageados

Além do governador Jackson Barreto, a Cehop prestou uma homenagem ao ex-presidente da Companhia, Augusto Prado Leite. Emocionado, Augusto Leite lembrou que foi o responsável pela construção da sede da empresa e conseguiu fazer uma grande administração com a colaboração dos funcionários. “Sinto-me gratificado de saber que alguns diretores continuaram seguindo as diretrizes que eu plantei”, afirmou.

Também foi homenageada a funcionária Maria das Graças Freitas Cardoso. Ela entrou na Companhia em 1979, como advogada, e tem orgulho de ter participado dos projetos de licitação das grandes obras sergipanas que passaram pela Companhia. “É uma alegria muito grande comemorar os 50 anos da empresa em que durante 37 estou trabalhando. Nossa história se confunde com a história da empresa e com a do desenvolvimento do nosso estado”, afirmou.

Representante os funcionários terceirizados também foi homenageada a engenheira Ana Celeste Dórea Oliveira. Ela está há dez anos na Companhia e disse que se sente “muito feliz” por poder colaborar com o trabalho dos funcionários que representa, com o desenvolvimento da empresa.

Foram ainda homenageados a presidente da Associação dos Servidores, Maria Auxiliadora Menezes, o presidente Caetano Quaranta e o secretário Valmor Barbosa.
Presenças

Compareceram às comemorações de aniversário da Cehop, os deputados estaduais Garibaldi Mendonça e Padre Enaldo, o juiz federal Edmilson Pimenta, o secretário José Sales Neto, o presidente da Cohido, Mardoqueu Bodano, o presidente do DER, Antônio Vasconcelos, os vereadores Dr. Gonzaga, de Aracaju, e Betinho, de Socorro, o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Reginaldo Dórea e o chefe do Gabinete Militar, coronel Eduardo Henrique.

Histórico

Em 1966, no governo de Sebastião Celso de Carvalho, quando o Estado começava a preocupar-se com o crescente déficit habitacional, surgia a Companhia de Habitação Popular de Sergipe (Cohab). A missão do novo órgão era promover acesso moradia à população de baixa renda. Caberia à Cohab administrar no Estado o Sistema Financeiro de Habitação, sustentado pelo Banco Nacional de Habitação (BNH). A partir dessa integração foram contraídos empréstimos para a construção de conjuntos habitacionais. A Cohab foi formada como uma empresa de economia mista, com recursos do governo e da iniciativa privada.

Coube ao primeiro presidente da empresa, Monsenhor José Curvelo Soares, a missão de construir e comercializar habitações populares, especialmente para as famílias com renda de até 03 salários mínimos. Para ampliar o espectro de suas ações, atendendo faixas acima da prevista, mudou-se sua razão social. Em 10/03/1982 passou a chamar-se Companhia de Habitação de Sergipe.

Em abril de 199,  ocorreu a grande transformação na missão da Empresa. Em decorrência de reforma administrativa, a empresa assumiu as atividades do Departamento de Edificações Públicas (DEP), ganhando assim, uma nova denominação, Companhia Estadual de Habitação e Obras Públicas – Cehop, integrando a Secretaria de Estado de Obras Públicas, hoje Secretaria de Estado da Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra). Assim, a Empresa assumia dois universos de negócios, o habitacional e obras públicas.

Durante 50 anos de existência, a Cehop realizou um grande número de projetos e obras nas áreas de habitação, construindo conjuntos habitacionais para a população de baixa renda, como em projetos e obras de infraestrutura, bem como construção, reforma, manutenção e ampliação de edifícios e obras públicas, além de outras atividades de engenharia civil.

A Cehop construiu 56.188 unidades habitacionais, sendo 20.595 em Aracaju, 22.162 na Grande Aracaju e 13.431 no Interior, distribuídos em mais de 40 municípios do Estado de Sergipe. Também construiu obras fundamentais para o desenvolvimento do estado.

Comente: