Exposição “Cicatrizes Urbanas” é inaugurada na Galeria J. Inácio

Lançada nesta quinta-feira, 06, na Galeria J. Inácio, exposição mistura de elementos criando uma arte conceitual, criativa e rica em interpretações
Artista explicou sobre cada um dos trabalhos
Artista explicou sobre cada um dos trabalhos

Um livro ponto de presença guarda uma corrente. Outro se mistura a anúncios de pontos de prostituição. Um emaranhado de fita marca uma página emaranhada de palavras sobrepostas. A exposição “Cicatrizes Urbanas”, lançada nesta quinta-feira, 06, na Galeria J. Inácio, mistura de elementos criando uma arte conceitual, criativa e rica em interpretações. De autoria do artista visual, Roberto Müller, a mostra soma 19 obras inspirada em reflexões dos centros urbanos a partir de observações do cotidiano e objetos inerentes as práticas humanas.

“As cicatrizes urbanas são as marcas que a gente observa pelas cidades, tanto as que surgem espontaneamente como as que são impostas pelo governo. Como sou formado em arquitetura, o urbano é um tema que exploro já há algum tempo, misturando objetos com algumas fotografias minhas, imagens de satélite e outros com palavras e textos. Já participei de vários editais e achei ótima a iniciativa da Galeria”, destacou Roberto Müller.

Esta é a sexta e última exposição dentre as selecionadas pelo Edital de Ocupação da Galeria J. Inácio para este ano. Uma próxima edição do edital está prevista para ser lançada, em novembro deste ano, a fim de selecionar seis novas exposições para 2017 na Galeria. Além disso, também serão selecionados três trabalhos para serem expostos no hall da Biblioteca Pública Epifânio Dória.

“Alguns artistas pediram este edital para a secretaria, e nós o construímos em conjunto. As seis exposições que aconteceram aqui apresentaram trabalhos de qualidade, que receberam grande número de visitações e muitos elogios. Agora vamos para este segundo edital esperando que os artistas sergipanos participem mais mostrando seu trabalho”, afirmou o secretário de Estado da Cultura, Irineu Fontes.

Para o artista visual, Fábio Sampaio, um dos selecionados do primeiro edital, a experiência foi bastante positiva não são por expor, mas por poder prestigiar o trabalho de outros profissionais. “Até então não tínhamos um edital do Estado, e a ideia de abrir a nível nacional foi muito boa, por trazer artistas como Alessandra e Roberto Müller. Esse intercâmbio abre um diálogo que nos possibilita conhecer outros artistas, outros trabalhos numa troca que nos faz aprender muito, tanto com o artista iniciante, como com o veterano”, afirmou.

Sobre o artista

Natural de São Paulo, Roberto Müller vive e trabalha no Rio de Janeiro. Graduou-se em arquitetura pela Universidade Santa Ursula (RJ), estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Laje (RJ) e no Ateliê da Imagem. Participou de diversos workshops no Centro Cultural São Paulo (SP) e no Museu de Arte Moderna (MAM – RJ).

A exposição segue até o dia 06 novembro aberta ao público. Grupos e escolas interessadas e agendar visitas guiadas podem entrar em contato pelo telefone (79) 3179 – 1969. A Galeria J. Inácio está localizado junto à Biblioteca Pública Epifânio Dória, na Rua Dr. Leonardo Leite, s/n, no Bairro 13 de Julho, Aracaju.

Comente: