Emília Corrêa dispara: política não é profissão! Ou é?

A

defensora pública e vereadora Emília Corrêa (PEN), dispara que é preciso insistir que política não é profissão, e os legisladores precisam parar de fabricar normas com a clara finalidade de garantir mandatos sucessivos.

Segundo Emília, muito políticos e até uma parcela dos eleitores, têm desvirtuado o verdadeiro escopo da função pública. O político comprometido acaba sendo atingido por conta de um cenário de vantagens e privilégios. “É incansável o apetite dos políticos brasileiros por dinheiro. Em bom português popular, o que se sente em alguns políticos populares, ‘farinha pouca,meu pirão primeiro’; por isso a população tem colocado todo homem público, mesmo os sérios, na mesma vala”, pontuou.

Para Emília, o país passa por sucessivos escândalos políticos e se faz necessário que haja uma renovação nos quadros. Os espaços devem ser ocupados por pessoas honradas. “A política não pode ser profissão, tem que ter um objetivo para o coletivo, para cidade, e não para aproveito pessoal. A gente observa a dificuldade de acabar com algumas amarras e dinastias de geração para geração”, disse.

Por fim, Emília lembra que o político por vocação é um apaixonado pelo bem comum, e pelas varias garantias que todo cidadão tem seus direitos assegurados. O futuro do Brasil depende da luta de políticos vocacionados, contra aqueles profissionais. “É muito triste quando políticos sérios são chamados para política e não tem coragem de atender, por medo da vergonha de serem confundidos como malfeitores, usurpadores e que se assentam no dinheiro público”, concluiu.

Foto: César de Oliveira

Comente: