Em Brasília, governadores do Nordeste dialogam sobre Reforma da Previdência

Os governadores do Nordeste defendem a manutenção dos Estados na reforma e sinalizam apoio às mudanças previdenciárias, desde que sejam suprimidas da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e aposentadoria rural

Nesta quarta-feira (26), o governador Belivaldo Chagas participou de nova reunião com os governadores do Nordeste e o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, em Brasília. Na pauta, a inclusão dos Estados na Reforma da Previdência, objetivando melhores condições de desenvolvimento para o país e consequentemente, para os estados.

Além da inclusão dos Estados na Reforma da Previdência, temas como a repartição da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), o Fundo Social, Cessão Onerosa, Securitização da Dívida, 30% do Fundo Constitucional do Nordeste – FNE, também vem sendo debatidos entre os gestores estaduais.

“Nossa disposição é de dialogar e ajudar e ao mesmo tempo fortalecer a região Nordeste. É fundamental para nosso futuro a aprovação de itens importantes como a securitização das dívidas, o bônus por assinatura, a cessão onerosa, a possibilidade de acessar recursos do Banco do Nordeste para investirmos em infraestrutura, o plano Mansueto, entre outras coisas. A nossa luta é para que Brasil e os estados possam avançar” disse Belivaldo.

Os governadores do Nordeste dialogam em defesa da manutenção dos Estados na reforma e sinalizam apoio às mudanças previdenciárias, desde que sejam suprimidas da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) as mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e aposentadoria rural.

No início deste mês, o governador Belivaldo Chagas e demais governadores do Nordeste divulgaram uma carta em defesa da manutenção dos Estados na reforma da Previdência. O documento reconhecia a necessidade das reformas da Previdência, tributária, política e a revisão do pacto federativo, porém ainda afirmava haver divergências em relação às alterações previstas para o BPC e para a aposentadoria rural, a qual os gestores consideram necessitar de atenção especial e proteção do setor público.

Comente: