Destaques dos principais jornais do Brasil

 

31 de julho de 2017

O Globo

Manchete : Reforço na segurança reduz roubo de carga

Operações militares diminuíram em 30% os assaltos a caminhões, mas índice ainda é alto

Após reunião e sobrevoo de áreas patrulhadas da cidade, Temer diz que a violência já caiu como um todo. Apesar dos bloqueios com soldados, Avenida Brasil teve arrastão e assalto em ônibus

Em visita relâmpago ao Rio, o presidente Michel Temer disse que a presença das Forças Armadas já provocou a queda da criminalidade, em especial do roubo de carga. Registros da Polícia Civil mostram que este tipo de crime caiu para 30 ocorrências na sexta-feira e no sábado, contra 43 nos mesmos dias da semana passada. Mas a presença dos militares não impediu um assalto a 20 passageiros em um ônibus e um arrastão a motoristas na Avenida Brasil. (Págs. 7,8 e 9)

Visita para reforçar imagem antes de votação

Presença do presidente no Rio é parte da estratégia de conquistar votos para derrubar denúncia na Câmara. (Pág. 3)

Violência domina eleição na Venezuela

Pelo menos 14 pessoas morreram em dia de protestos contra a eleição da Assembleia Constituinte na Venezuela. Vários países rechaçaram o processo. No Brasil, o Itamaraty lamentou o “desrespeito ao princípio da soberania popular’! (Pág. 23)

O amigo do comandante

Odebrecht

Delação de ex-executivo da empresa na Venezuela, que foi próximo a Hugo Chávez, revela rede de relações políticas e doações ilegais de campanhas, conta Guilherme Amado. (Pág. 4)

Empresas terão que renegociar até R$ 150 bi

Com a crise prolongada, empresas que renegociaram suas dívidas há um ou dois anos já precisam voltar a conversar com credores. Levantamento da consultoria Alvarez & Marsal indica que as companhias terão de reestruturar de R$ 125 bilhões a R$ 150 bilhões em débitos, o que pode dificultar a retomada da economia. (Pág. 17)

Santos Dumont vai a leilão em 2018

O governo espera arrecadar R$ 2 bilhões com a concessão do Aeroporto Santos Dumont. Ele será incluído na próxima rodada de leilões, no ano que vem. Falta definir se será oferecido sozinho ou em conjunto com outros terminais. (Pág. 19)

Petrobras venderá campos históricos

Para reduzir seu endividamento, a Petrobras pôs à venda 30 campos de petróleo em águas rasas. Entre eles, está o de Guaricema, onde começou a exploração no mar no Brasil, e o de Enchova, primeiro a produzir na Bacia de Campos. (Pág. 18)

Rússia expulsa americanos

O presidente Vladimir Putin anunciou que 755 diplomatas americanos terão que deixar o país, em retaliação à aprovação de uma lei que reforça sanções a Moscou. (Pág. 24)

Velódromo em chamas

Um balão pode ter sido a causa do incêndio que atingiu o Velódromo, no Parque Olímpico. Perícia avaliará se pista foi danificada. (Pág. 12)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete : Eleição na Venezuela tem 10 mortes e abstenção elevada

Ausência de eleitores é vista como um protesto; EUA dizem que país está dando ‘passo em direção à ditadura’

A eleição para a composição da Assembleia Constituinte na Venezuela foi marcada por elevada abstenção, protestos e ao menos 10 mortes entre sábado e ontem. O Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE), controlado pelo chavismo, anunciou no início da madrugada de hoje que 8.089.320 pessoas participaram da votação, 41,53% dos 19,5 milhões de eleitores. Durante todo o dia, o que se viu foram poucas pessoas aguardando para votar. A alta abstenção é interpretada como protesto dos venezuelanos contra os planos do presidente Nicolás Maduro de reescrever a Constituição. Pesquisas de opinião recentes indicam que 70% dos venezuelanos são contra a Constituinte, que a oposição considera uma manobra de Maduro para se perpetuar no poder. A embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, disse que a Venezuela está dando “um passo em direção à ditadura”. (Internacional A9 a A12)

ARTIGO – Nicholas Casey

O presidente Nicolás Maduro segue um plano radical para consolidar o controle sobre a nação: criou um órgão com poder de reorganizar – ou desmantelar – qualquer ramo do governo que pareça desleal. (A10)

Bancadas ‘boi, bala e Bíblia’ ampliam pedidos ao governo

Os deputados ligados às chamadas bancadas “BBB” (boi, bala e Bíblia), que representam 80% dos que não declararam voto em relação à admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer, ampliaram suas reivindicações junto ao governo. Temer já atendeu pedidos dos ruralistas e poderá apoiar outras demandas, como a transformação do aborto em crime hediondo e a revogação do Estatuto do Desarmamento. (Política A4)

De volta ao comando

O senador Aécio Neves deverá retomar em agosto a presidência do PSDB para coordenar eleição de seu substituto e tentar evitar que sigla deixe governo. (A6)

‘A Odebrecht não vai acabar’

Entrevista l Luciano Guidolin

PRESIDENTE DO GRUPO ODEBRECHT

Ao mesmo tempo em que tenta recuperar a credibilidade, após os escândalos da Lava Jato, o grupo Odebrecht quer atrair um sócio e estuda abrir o capital da construtora, ainda a maior do País. Os desafios estão nas mãos de Luciano Guidolin, novo presidente do grupo e substituto de Marcelo Odebrecht, preso em Curitiba. “É possível atuar numa conduta ética e transparente”, disse a Renée Pereira e David Friedlander. (Economia B1)

O império encolheu

Desde 2014, a receita da Odebrecht recuou 13%, para R$ 90 bilhões, e quase 100 mil foram demitidos. (B3)

Petroleiras são alvo de piratas no eixo Rio-SP (Economia B4)


Putin expulsa 755 diplomatas americanos após sanções

Vladimir Putin anunciou ontem que 755 diplomatas americanos devem deixar a Rússia. Também serão fechados dois prédios pertencentes à Embaixada
dos EUA. Na quinta, o Senado americano aprovou lei que reforça sanções contra a Rússia. Putin disse que, “no momento”, é contra novas represálias, mas elas não foram descartadas. (Internacional a12)

Cida Damasco

Governo deve se equilibrar entre a administração da crise e pautas ao gosto do mercado (Economia B6)

Notas&Informações

Na escuta da lei – Relatório da PF sobre gravações que o ex-senador Sérgio Machado fez de conversas com políticos manifesta um bom senso cada vez mais raro na aplicação da lei penal (A3)

A estabilidade no serviço público – Já passou da hora de o Brasil discutir seriamente a questão da estabilidade no serviço público, princípio absolutamente desvirtuado (A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : PF aponta falhas nas delações da Odebrecht

De acordo com órgão, problemas comprometem as investigações dos crimes

A Polícia Federal identificou falhas nas delações da Odebrecht que, em sua avaliação, dificultam e comprometem a apuração dos fatos que ex-executivos do grupo relataram à Procuradoria-Geral da República. Investigadores destacam, entre outros fatos, a mudança de versão por parte de alguns delatores e a falta de acesso da PF aos sistemas que embasaram as planilhas de repasses de dinheiro a parlamentares. Em relatórios parciais, policiais apontam outros problemas, como a ausência de documentos que comprovem as narrativas dos colaboradores e a apresentação de material que já fora apreendido na Lava Jato. Além disso, a PF considera exagerada a quantidade de delatores. Em uma só leva, 77 executivos e ex-executivos da Odebrecht assinaram acordos de colaboração em dezembro de 2016. Para a PF, o número não deveria ter passado de seis nomes, entre os quais Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo, Hilberto Mascarenhas, chefe do setor de propina, e Benedicto Júnior, que comandou a Odebrecht Infraestrutura. Segundo a Folha apurou, a PF se manifestará contra a concessão de benefícios a delatores por falta de eficácia dos relatos. (Poder A4)

LEANDRO COLON

Naufrágio da investigação ampliaria ainda mais a sensação de impunidade (Opinião A2)

Entrevista da 2a. – Eliseu Padilha : ‘É perfeitamente possível governar sem o PSDB’

O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) afirma que o Planalto deseja a permanência do PSDB na base aliada, mas diz ser “perfeitamente possível” governar sem a sigla. Segundo o peemedebista, o governo está pronto para votar a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer nesta quarta (2) na Câmara. Mas insiste que cabe à oposição conseguir o quorum mínimo. Ele diz ser natural que o governo exonere pessoas indicadas por deputados que votarem contra Temer. (A12)

Temer indica que tropas ficarão no RJ até fim de 2018

No Rio, Michel Temer indicou que pretende renovar atê o fim de 2018 a autorização para as F orças Armadas atuarem na segurança pública do Estado. O documento que permite a presença dos militares vale só para 2017, mas, segundo o presidente, isso se deve apenas a questões orçamentárias. (Cotidiano B3)

Juro menor força queda de taxa de gestão de fundos

A queda dos juros no país vai provocar a redução das taxas de administração dos fundos de renda fixa. A Selic de um dígito tem impacto no ganho desses produtos e pode levar investidores a buscar aplicações com retorno maior. (Especial pág. 1)

Saque de contas inativas do FGTS se encerra hoje (Mercado pág. 7)


Com mortos e baixa adesão, Venezuela vota em Constituinte

Com ao menos dez mortos e taxa de comparecimento estimada pela oposição em 12%, a Venezuela realizou a eleição de nova Assembleia Constituinte, relata a enviada Sylvia Colombo. O número oficial de adesão, divulgado na madrugada, é de 40%. No fim da tarde, a votação foi prorrogada por uma hora, e 0 presidente Nicolás Maduro pediu que as pessoas fossem às umas. (Mundo A9)

Em SP, mortes por atropelamento aumentam 21%

As mortes por atropelamento na cidade de São Paulo aumentaram 21% no primeiro semestre deste ano, em relação a igual período de 2016. Segundo dados do Infosiga, programa do Estado, os acidentes fatais passaram de 184 para 223. (Cotidiano B1)

Juca Kfouri

Balão começa a achar solução para o legado dos Jogos (B9)

Mato Grosso registra recorde em safra de algodão (Especial págs. 2 e 4)


Editoriais

Leia “Um dígito”, sobre decisão do BC de reduzir taxa de juros a 9,25%, e “Carga roubada”, acerca de aumento de crimes no Estado de São Paulo. (Opinião a2)

————————————————————————————

Comente: