Destaques dos principais jornais do Brasil

01 de maio de 2018

O Globo

 

Manchete: PF mira 660 brasileiros com contas secretas na Suíça

Três anos após caso vir à tona, polícia investiga evasão e lavagem

Pente-fino foi feito entre 9.325 clientes do país com contas no HSBC de Genebra

AGUIRRE TALENTO

Três anos depois do vazamento das contas secretas de milhares de brasileiros na Suíça, a Polícia Federal decidiu aprofundar a investigação contra 660 suspeitos de manter contas secretas no HSBC naquele país. Os crimes relacionados são de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. No caso conhecido como Swissleaks, a PF identificou um total de 9.325 clientes da instituição financeira com nacionalidade brasileira e contabilizou que eles mantiveram US$ 15,2 bilhões no HSBC Private Bank Genebra à época dos fatos investigados, de 2006 a 2007. (PÁGINA 3)

Dodge denuncia Lula, Gleisi e mais 4

O ex-presidente Lula, preso em Curitiba, a senadora Gleisi Hoffmann, o ex-ministro Paulo Bernardo e mais três foram denunciados ontem pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Eles teriam sido beneficiados em esquema da Odebrecht. (PÁGINAS 8 e 9)

A gazeta de Lupi

Presidente nacional do PDT e ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi não frequenta a Câmara dos Vereadores, para onde foi nomeado como assessor. (PÁGINA 4)

Sindicatos adotam negociação direta

Para driblar impasses nas negociações, sindicatos optam por fechar acordos diretamente com as empresas, sem convenção. No primeiro trimestre, houve queda nas duas modalidades, mas a das convenções foi maior. (PÁGINA 19)

Reunião ‘quase’ histórica

Como foi a reunião do presidente Costa e Silva com líderes da Passeata dos Cem Mil que poderia ter evitado o AI-5. (PÁGINA 6)

Míriam Leitão

INIMIGO ÍNTIMO

Com comércio intenso, EUA e China dependem um do outro. (PÁGINA 20)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete: Reforma trabalhista encolhe festa de centrais no 1º de Maio

Sem a contribuição sindical obrigatória, comemorações têm menos atrações; evento da Força Sindical em São Paulo perdeu R$ 500 mil em investimentos

A primeira comemoração do Dia do Trabalho após a reforma trabalhista será menor que em anos anteriores, sob efeito do fim da contribuição sindical obrigatória. Só a festa organizada pela Força Sindical em São Paulo, que costuma reunir o maior público da data, perdeu R$ 500 mil em investimento – a média de gasto no evento era de R$ 2,5 milhões. O número de carros sorteados diminuiu, assim como o palco que recebe artistas e políticos. “Os sindicatos, que bancam parte da festa, estão sem condições financeiras”, disse o secretário- geral da Força, João Carlos Gonçalves. A Central dos Sindicatos Brasileiros, que fez uma festa grandiosa no ano passado, não programou evento para hoje. A CUT, que organiza atos mais modestos, vai focar seus eventos pelo Brasil na defesa do ex-presidente Lula, condenado e preso na Operação Lava Jato. Ato em Curitiba pedirá a liberdade do petista e reunirá as centrais sindicais pela primeira vez após 20 anos. (POLÍTICA / PÁG. A9 e ECONOMIA / PÁG. B1)

PGR denuncia Lula, Palocci e Gleisi por propina da Odebrecht

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou ontem o ex-presidente Lula, o ex-ministro Antonio Palocci e a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Segundo a denúncia, a Odebrecht repassou US$ 40 milhões a Lula em troca de favores políticos. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Dólar supera R$ 3,50 pela primeira vez desde 2016

O dólar terminou o dia ontem cotado a R$ 3,5042, superando a marca dos R$ 3,50 pela primeira vez desde junho de 2016. No mês de abril, a valorização da moeda em relação ao real foi de 6,08%, influenciada pelo cenário externo e pela expectativa de alta nos juros nos Estados Unidos. (ECONOMIA / PÁG. B3)

Eliane Cantanhêde

Dilma, Aécio, Azeredo e Pimentel… não se fazem mais políticos mineiros como antigamente. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Notas & Informações

O escândalo pelo escândalo

A História recente é pródiga em cruzadas antipolítica, como se a política partidária fosse um mal em si e não o pilar da democracia. Os resultados dessa campanha não são alvissareiros. (PÁG. A3)

O Brasil no mundo

O Brasil perde protagonismo internacional, principalmente, pelos erros dos lulopetistas. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

 

Manchete: Projetos do governo emperram na Câmara

Pauta econômica de Temer enfrenta dificuldades por causa de intervenção militar no Rio e campanha eleitoral

Três meses após o início do ano legislativo, a Câmara dos Deputados demonstra dificuldade para aprovar projetos de relevância e votar a agenda econômica anunciada pelo governo Temer no início do ano. Até agora, foram aprovadas quatro medidas provisórias e 17 projetos de lei. Durante 2017, passaram no plenário 49 projetos de lei, 31 medidas provisórias e cinco PECs (Propostas de Emenda à Constituição). O abandono da reforma da Previdência em fevereiro foi o primeiro capítulo do marasmo legislativo e poucos projetos relevantes têm sido colocados em votação. Nesta semana, o feriado do Dia do Trabalho prejudicará as atividades. A intervenção federal na segurança pública do Rio, a janela de troca partidária, a proximidade do período eleitoral e a prisão do ex-presidente Lula são fatores que têm travado a pauta do Legislativo. As PECs, como a da Previdência e a que restringe o foro especial, não podem ser votadas enquanto estiver em vigor a intervenção no Rio, já que a Constituição não pode ter seu texto emendado nesse período. O presidente Michel Temer disse ontem que cancelou visita ao Sudeste Asiático para acompanhar as votações na Câmara. Já o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou que o Congresso “sempre foi um parceiro”. (Poder A4)

Trump adia sobretaxa para aço e alumínio e beneficia o Brasil

O presidente dos EUA, Donald Trump, decidiu prorrogar até Io de junho a isenção das tarifas de importação sobre o aço e o alumínio de Brasil, Argentina, União Europeia e Austrália. Os EUA são o maior comprador do aço brasileiro, e uma sobretaxa de 25%, como anunciara o americano, poderia comprometer as exportações do Brasil. A notícia foi antecipada pelo Wall Street Journal. (Mercado A13)

Temer anuncia reajuste de 5,67% no Bolsa Família

Na véspera do Dia do Trabalho, o governo anunciou reajuste no Bolsa Família, válido em julho. O valor médio passará de R$ 177,71 para R$ 187,79. (Mercado A14)

Dólar sobe 6% em abril e fecha o mês a RS 3,50

O dólar teve a maior alta mensal desde novembro de 2016, por conta de incertezas eleitorais no país e temor sobre os juros dos ELA. (Mercado A18)

Editoriais

Injustiças no IR

Sobre vantagens aos mais ricos na cobrança do tributo.

Retrocesso paulista

Acerca de proposta para elevar o teto dos servidores. (Opinião A2)

————————————————————————————

Comente: