Destaques dos principais jornais do Brasil

17 de abril de 2018

O Globo

 

Manchete: Caixa reduz juros para casa própria

Limite de financiamento de imóveis usados sobe a 70%

Instituição tenta recuperar mercado com primeira queda de taxas desde 2016. Medida deve estimular economia

Para reconquistar mercado, a Caixa Econômica Federal reduziu juros e aumentou o limite de financiamento de imóveis usados. Para quem é cliente do banco, a taxa para empréstimos com recursos da poupança caiu de 10,25% para 9% ao ano. Trata-se da primeira redução desde 2016. No crédito para compra de imóveis mais caros, com recursos do Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), o percentual passou de 11,25% para 10% ao ano, mas a taxa ainda é maior do que a de concorrentes do setor privado. O banco também elevou o teto do financiamento de imóveis usados de 50% para 70%. Para analistas, medida deve estimular economia. (PÁGINA 15)

Ministro atribui assassinato de Marielle a milícia

Comando ameaça com deserção PMs que desobedecerem à ordem para deixar Alerj

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que a investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes aponta para a ação de milicianos. Já a Secretaria de Segurança do Rio ameaça com processo de deserção os PMs cedidos à Assembleia Legislativa que descumprirem a ordem para se apresentar ao QG da corporação. Ontem, apenas 40 dos 87 policiais nessa situação acataram a determinação. (PÁGINA 6)

Anotações de lobista indicam pagamento a ministro de Temer

Investigadores da Lava-Jato encontraram anotações no celular do lobista Milton Lyra, preso na semana passada, que indicam repasses de recursos ao ministro das Cidades, Alexandre Baldy (PP), que nega ter recebido dinheiro. (PÁGINA 3)

Marina cresce entre os mais pobres e menos escolarizados (PÁGINA 4)

 

Colunistas

MERVAL PEREIRA

Sem TV nem estrutura, Marina está no páreo. (PÁGINA 4)

MÍRIAM LEITÃO

A 173 dias das eleições, reina a indefinição. (PÁGINA 16)

Câncer é principal causa de morte em 10% das cidades

Tumores malignos avançam e já são mais fatais do que qualquer outra doença ou causa de morte violenta em mais de 500 municípios brasileiros, mostram dados do Observatório de Oncologia. (ÁGINA 23)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

 

Manchete: Indicações políticas travam processo de venda da Eletrobrás

‘Apadrinhados’ ocupam pelo menos 13 subsidiárias; estatal acumula prejuízos

Parlamentares, incluindo os da base aliada, resistem a votar o projeto de privatização da Eletrobrás no Congresso. O principal entrave está relacionado às subsidiárias da empresa – em pelo menos 13 os dirigentes cumprem exigências da Lei das Estatais, como experiência comprovada na área, mas foram “apadrinhados” por deputados e senadores de MDB, DEM, PP, PSB, PSDB e PSD. Com as indicações, políticos se beneficiam de favores que podem render votos, como obras em ritmo acelerado ou patrocínio de eventos em seus redutos eleitorais. A venda da Eletrobrás inclui dezenas de subsidiárias nos segmentos de geração, transmissão e distribuição de energia e um centro de pesquisas. A estatal também é dona de metade de Itaipu. Atualmente, a União tem 60% no capital da Eletrobrás. Nos últimos cinco anos, a empresa, que está envolvida em dois processos da Lava Jato, acumula prejuízo de R$ 28 bilhões. (ECONOMIA / PÁGS. B1, B3 e B4 )

Incertezas na economia e eleições fazem a Bolsa cair

A falta de previsibilidade para as eleições deste ano e um menor otimismo com o crescimento econômico levaram o Ibovespa a fechar abaixo dos 83 mil pontos, nível que não se via desde fevereiro. O índice caiu 1,75%, aos 82.861,57 pontos. A Bolsa brasileira destoou dos índices acionários em Nova York, que subiram com a avaliação de que o ataque dos EUA a alvos na Síria foi pontual. (ECONOMIA / PÁG. B5)

Caixa corta juro da casa própria

A Caixa anunciou ontem um corte nos juros de financiamento imobiliário pelo SFH de 10,25% para 9%. O limite para imóveis usados foi ampliado. (PÁG. B7)

PSB diz que candidatura de Barbosa já é ‘consenso’

Dez dias após filiar-se ao PSB, o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa vê sua candidatura ao Planalto ganhar impulso. A resistência inicial a um projeto eleitoral liderado pelo ex-ministro foi superada internamente, disse ao Estado o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira. “É um consenso”, afirmou. Segundo pesquisa Datafolha, Barbosa larga com aprovação entre 8 e 10 pontos porcentuais. (POLÍTICA / PÁG. A4)

STF decide se Aécio vira réu

A Primeira Turma do STF decide hoje se torna o senador Aécio Neves (PSDB-MG) réu por corrupção passiva e obstrução de Justiça. Ontem, Raquel Dodge reforçou pedido para que a denúncia, baseada na delação de Joesley Batista, seja aceita. Há outros oito inquéritos contra o tucano no Supremo. (POLÍTICA / PÁG. A8)

Grupo liderado por Boulos invade triplex do Guarujá

Cerca de 250 integrantes da Frente Povo Sem Medo, grupo liderado por Guilherme Boulos, invadiram, na manhã de ontem, o triplex no Guarujá pivô da condenação do ex-presidente Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Eles protestavam contra a prisão do petista. A ação durou pouco mais de três horas e foi monitorada pela PM. Segundo moradores, houve danos ao edifício na ação. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Planos de saúde poderão cobrar franquia, diz ANS

Operadoras de planos de saúde poderão cobrar franquia, como no mercado de seguros de veículos. As mudanças estão em norma da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) com previsão de publicação até junho. Entidades de defesa do consumidor temem prejuízos aos consumidores. (METRÓPOLE / PÁG. A14)

Notas & Informações

Alckmin está espremido entre Bolsonaro e Joaquim. E, se não for ele, quem capitaneará o “centro”? Ninguém sabe. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Eliane Cantanhêde

Alckmin está espremido entre Bolsonaro e Joaquim. E, se não for ele, quem capitaneará o “centro”? Ninguém sabe. (POLÍTICA / PÁG. A6)

Morre economista fundador do PT

Morreu ontem à noite em São Paulo o economista Paul Singer, aos 86 anos. Um dos fundadores do PT, Singer nasceu na Áustria, de onde sua família fugiu, perseguida pelo nazismo. (POLÍTICA / PÁG. A6)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

 

Manchete: Maioria apoio prisão após a condenação em segunda instância

A maior parte dos brasileiros apoia a prisão de réus condenados em segunda instância, de acordo com pesquisa Datafolha. O levantamento mostra que 57% consideram justo que um acusado seja detido após ter sua condenação confirmada em segundo grau, ainda que possa recorrer a instâncias superiores. O tema voltou a ser debatido antes da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no último dia 7.O Supremo Tribunal Federal rejeitou pedido de habeas corpus preventivo do petista, mantendo entendimento de 2016 de que a prisão pode ocorrer já nessa fase. Alguns ministros da corte tentam mudar o critério. Outros 36% dos entrevistados defendem que a detenção ocorra somente após esgotadas todas as possibilidades de recurso na Justiça. A Operação Lava Jato, por seu turno, mereceu amplo endosso dos entrevistados. Oitenta e quatro em cada cem eleitores julgam que as investigações devem continuar, pois ainda não cumpriram seu objetivo. Só 12% acham que deveriam acabar. A corrupção voltou a ser apontada como o maior problema do país, citada por 21% e empatada tecnicamente com a saúde (19%). O levantamento mostra ainda que 61% acreditam que comandantes militares podem opinar publicamente sobre temas políticos. (Poder A4)

Julgamento no STF sobre Aécio será teste para delação da JBS

A primeira turma do STF julgará hoje denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), acusado de corrupção e obstrução da Justiça. Se ela for recebida, o tucano se tornará réu. O julgamento ê considerado um teste. Será a primeira vez que o Supremo decidirá se aceita provas obtidas coma delação de executivos da JBS. (Poder A8)

Não há conflito nas investigações da Lava Jato em SP

O chefe do Ministério Público de SP diz ser importante investigar fatos da Lava Jato no estado, ainda que a Justiça os considere da alçada da Procuradoria federal. É o caso, por exemplo, das investigações sobre Paulo Preto, suposto operador do PSDB. Para Smanio, não há conflito. “Precisamos ter ressarcimento de danos.” (Poder A8)

Bruno Boghossian

Poderosos temem desfecho de caso do tucano no Supremo Figurões da política temem que o caso Aécio consolide um entendimento mais rigoroso sobre o que é corrupção. Para a procuradora-geral, Raquel Dodge, basta o “ato de oficio em potencial”, a meia possibilidade de o senador usar seu podei para beneficiar Joesley, para que o processo siga adiante. Se essa interpretação triunfar, Temei pode sei’ o próximo alvo. (Opinião A2)

Cai o estoque de ações pendentes na Justiça do Trabalho

0 estoque de processos pendentes na Justiça do Trabalho recuou 6,4% em fevereiro, três meses após entrar em vigor a reforma trabalhista. É a primeira queda na série histórica (desde 2014). Em 28 de fevereiro, havia no país 1,7 milhão de ações à espera de sentença na primeira instância. Em dezembro de 2017, eram 1,8 milhão. (Mercado A17)

Caixa reduz juro imobiliário e eleva limite financiado (Mercado A19)

 

Governador de SP congela mudança na Polícia Civil

A ideia do governador de SP, Márcio França (PSB), de transferir a Polícia Civil da Secretaria da Segurança Pública para a da Justiça por meio de decreto esfriou após críticas. Agora, França estuda elaborar projeto de lei, que seria enviado à Assembleia Legislativa. (Cotidiano B1)

Ministro da Justiça liga milícias à morte de Marielle Franco (Cotidiano B4)

 

Editoriais

Leia “Aécio na Justiça” , sobre perspectiva de o senador se tomar réu no STF, e “Economia na retranca”, acerca de indicadores decepcionantes deste ano. (Opinião A2)

————————————————————————————

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *