Resumo dos principais jornais do Brasil

 

07 de agosto de 2017

O Globo

Manchete: Temer e cúpula do Congresso acertam agenda de reformas

Presidente chama Maia, Eunício e Meirelles para discutir estratégias

Em reunião atípica no Planalto, no domingo, governo e aliados decidem votar a MP do Refis e, em seguida, as mudanças na Previdência

Na primeira reunião após a Câmara rejeitar a denúncia por corrupção passiva contra o presidente Temer, o governo começou a montar estratégia para reorganizar a base aliada e retomar a agenda econômica. Presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Eunício Oliveira foram chamados ao Palácio do Planalto para reunião com Temer e os ministros Henrique Meirelles, Moreira Franco e Antonio Imbassahy. Ficou acertado que tentarão resolver logo a MP do Refis para retomar os trabalhos no Congresso. A MP foi desfigurada pelo relator, que incluiu descontos de até 99% em multas e juros, o que desagradou à equipe econômica. Além de fazer avançar a reforma política, o passo seguinte será votar a reforma da Previdência ainda em setembro, segundo Rodrigo Maia. (Pág. 3)

RICARDO NOBLAT

Lula e Temer têm mais coisas em comum do que parece. (Pág. 2)

Crise paralisa R$ 102 bi em investimentos

Novos projetos em telecomunicações, rodovias, ferrovias e gás estão parados à espera de mudanças em leis que regulam esses setores. Levantamento mostra que R$ 102 bilhões em investimentos em infraestrutura poderiam ser destravados com as novas regras que estão em discussão no governo e no Congresso, informam BRUNO ROSA e RAMONA ORDOÑEZ. A crise política paralisou as mudanças. (Pág. 17)

Policiais civis são atacados na Via Dutra

Um policial civil e uma vítima de assalto foram baleados, na manhã de ontem, na Via Dutra por bandidos que tentavam roubar uma moto. O carro da polícia foi atingido por um tiro e pegou fogo. No mesmo horário, criminosos fecharam a Linha Vermelha para assaltar motoristas. Sobre a megaoperação de sábado no Lins, o ministro Raul Jungmann (Defesa) disse que, “se os resultados não foram espetaculares, virão com o tempo”. (Págs. 8 e 9)

Rebelião mostra racha na Venezuela

Uma rebelião fracassada ontem num quartel de Valencia expôs as divisões dentro das Forças Armadas da Venezuela sobre o governo Maduro. O ataque, liderado por um ex-capitão acusado de traição, terminou com dois mortos e oito detidos, segundo o governo, que caça os fugitivos. O líder opositor Leopoldo López voltou à prisão domiciliar. (Págs. 23 e 24)

Ex-governadores no segundo turno

Os ex-governadores Amazonino Mendes (38,7%) e Eduardo Braga (25,2%) vão disputar o segundo turno da eleição pelo governo do Amazonas. O ex-governador José Melo foi cassado por compra de votos nas eleições de 2014. (Pág. 6)

————————————————————————————

O Estado de S. Paulo

Manchete: Bancos temem calote de R$ 2,5 bi com Viracopos

BNDES é o maior credor do consórcio que decidiu devolver a concessão do aeroporto de Campinas

Bancos que financiaram a expansão do aeroporto de Viracopos temem prejuízo de R$ 2,53 bilhões, depois que o consórcio do terminal em Campinas decidiu devolver a concessão. Maior credor, com mais de R$ 2 bilhões, o BNDES diz que “avaliará as medidas cabíveis para assegurar seus interesses no momento oportuno”. Itaú BBA, Bradesco, Banco do Brasil e Haitong têm R$ 423 milhões a receber. Ainda não foram definidos quais pagamentos serão priorizados nem como a concessionária será indenizada por investimentos, que somariam R$ 3 bilhões. Hoje, os débitos financeiros estão em dia e o aeroporto informa que “não existe previsão de interrupção”. Mas a concessionária já deixou de cumprir obrigações com o governo e há obras em atraso no terminal. Em nota, Viracopos informou que o “pagamento da dívida será tratado no bojo da indenização (como desconto) à que a concessionária terá direito”. Integrante do grupo que assumiu o aeroporto, a UTC é uma das empreiteiras envolvidas na Lava Jato. (ECONOMIA / PÁGS. B1 e B3)

Movimento abaixo do previsto

A demanda de passageiros está quase 30% abaixo do projetado nos leilões. Em 2016, foram 32 milhões a menos que o previsto nos seis aeroportos concedidos, causando perda de receitas para as empresas. (PÁG. B1)

Maia sugere a Temer que não ceda na reforma da Previdência

Depois de ver a denúncia por corrupção passiva rejeitada por 263 deputados, o presidente Michel Temer fez ontem um afago ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em reunião no Palácio do Planalto, da qual também participaram ministros. Temer aceitou as sugestões de Maia para não ceder antes da hora na negociação da reforma da Previdência. O presidente da Câmara defende, por exemplo, um modelo de transição para os que ingressaram no serviço público antes de 2003. (POLÍTICA / PÁG. A4)

Exército mata 2 e barra revolta contra Maduro

O Exército frustrou ontem uma rebelião contra o presidente Nicolás Maduro no Forte Paramacay, na cidade de Valencia, que fica no norte da Venezuela. Segundo o governo, duas pessoas morreram em confrontos dentro da base. Os chavistas chamaram a ação de “ato terrorista” e afirmaram que oito pessoas foram presas. (INTERNACIONAL / PÁG. A9)

Amazonino e Braga vão para o 2º turno no AM (Política / Pág. A8)


Foto-legenda: Sem cirurgia do coração

Os cortes orçamentários feitos pelo governo federal provocam redução de serviços de toda ordem e afetam até cirurgias do coração, que deixam de ser feitas pelo médico Angelo de Paola (à frente) e equipe, no Hospital São Paulo. (ECONOMIA / PÁGS. B4 e B5)

Colunistas

Cida Damasco

O futuro da reforma da Previdência parece duvidoso. (ECONOMIA / PÁG. B7)

Lúcia Guimarães

Mentir para os eleitores gera votos, sugere estudo. (CADERNO2 / PÁG. C6)

Notas & Informações

Uma foto na parede

O errático comportamento do PSDB ao longo da grave crise política, econômica e moral que atinge o País vai muito além de sua anedótica indecisão. (PÁG. A3)

O problema das delações

Em vez de esclarecer pontos obscuros, são as delações que estão suscitando, a cada dia que passa, mais dúvidas. (PÁG. A3)

————————————————————————————

Folha de S. Paulo

Manchete : Novas delações podem atingir Temer, diz Janot

Para procurador, Cunha tem de “entregar andar de cima” por benefício

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, 59, diz que “colaborações em curso” podem ser usadas contra Michel Temer para apurar se o presidente obstruiu a Justiça e integrou organização criminosa. A Procuradoria negocia a delação do ex-deputado Eduardo Cunha e do operador Lúcio Funaro, presos na Lava Jato. Em entrevista a Leandro Colon e Reinaldo Turollo Jr., Janot não quis confirmar as tratativas. Afirmou, porém, que Cunha teria de “entregar gente do andar de cima” para ter o benefício aprovado. Sobre seus métodos, Janot sustenta que a saída para o país não é “considerar bandido como político”. “Restam flechas”, disse, referindo-se a novas acusações até o final do seu mandato, em 17 de setembro. (Poder A8 e A9)

MONICA BERGAMO

Temer estuda pedir à Justiça suspeição de Janot (A9)

Kassab e Haddad pagaram R$ 5,5 mi em reforma fictícia

A Prefeitura de São Paulo gastou R$ 5,5 milhões em reforma que, na prática, não foi realizada no viaduto Alcântara Machado, que faz a ligação entre o centro e a zona leste da cidade. Auditorias obtidas pela Folha mostram que a obra, paga pelas gestões de Gilberto Kassab (PSD) e Fernando Haddad (PT), só teve 5% dos serviços executados. A empresa responsável pela obra e os ex-prefeitos negam irregularidades. (Cotidiano B1)

Ex-governadores Amazonino e Braga disputarão 2° turno no Amazonas (poder A10)


Ataque a base deixa 2 mortos na Venezuela, diz o Exército

O Exército da Venezuela afirmou que duas pessoas morreram e oito foram detidas ao tentarem atacar uma base militar no norte do país. A oposição exigiu que a ditadura “diga a verdade”. No Brasil, Michel Temer comentou a suspensão do país do Mercosul: “Não há mais espaço para alternativas não democráticas na América do Sul”. (Mundo A11)

Celso Rocha de Barros

Mudar sistema político é sinal de que direita não tem candidato

Eufórico por ter escapado de mais uma, Temer já defendeu o parlamentarismo. Eu gosto do sistema, mas não se enganem: só quer dizer que estão com o controle do Congresso, mas não têm candidatos a presidente que resistam a uma campanha. Se o que vimos na última quarta tiver sido só o espasmo final de uma elite doente, menos mal. O risco é que tenha sido o sinal do início de alguma coisa. (Poder A6)

Ronaldo Lemos

Urna eletrônica é um computador como os outros

Em conferência de hackers nos EUA, todos os modelos de urnas eletrônicas, inclusive o da fabricante das brasileiras, foram invadidos. Ou acreditamos que as urnas brasileiras são máquinas singulares ou constatamos que são computadores como quaisquer outros. (Mercado A16)

Editoriais

Leia “Revolução 4.0”, sobre ocupação de postos de trabalho por robôs, e “Seleção migratória”, a respeito de regras para obter residência nos EUA. (Opinião a2)

————————————————————————————

Deixe uma resposta