Vigilância Sanitária estadual monitora bares e ambulantes que comercializam no Arraiá do Povo

O objetivo é observar a atuação dos profissionais no manuseio dos alimentos, bebidas, bem como no armazenamento e descarte dos produtos alimentício

Diariamente, das 19 às 23 horas, a Diretoria de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado da Saúde( Divisa/SES), tem atuado através da Gerência de Meio Ambiente, no Arraiá do Povo, Orla de Atalaia. Além de um stand fixo para atender denúncias e passar orientações sobre higiene alimentícia e ambiental, a equipe realiza pelo menos três vezes por noite rondas por todos os bares e entre os ambulantes que comercializam no local.

De acordo com a gerente da área, Márcia Dantas Ferreira de Santana, o objetivo é observar a atuação dos profissionais no manuseio dos alimentos, bebidas, bem como no armazenamento e descarte dos produtos alimentício. A Vigilância tem importante papel, também,  no monitoramento da higiene dos banheiros, o correto descarte do lixo e também a qualidade da água. “Monitoramos o uso das tocas na cabeça já que muito ainda esquecem; das lixeiras com pedais para não haver o contato com as mãos, já que as pessoas trabalham na manipulação dos alimentos. Outra orientação é sobre o gelo. Alguns insistem em colocar as embalagens de bebida fechadas no gelo e elas comumente estão em contato com o chão, com sujeiras diversas, insetos, ratos e isso faz com que contaminem o gelo e essa é uma das partes que monitoramos com atenção redobrada”, observa.

Elizângela Maria da Silva é pernambucana e, para ela, ter a presença de uma equipe garantindo a higienização de alimentos, bebidas e o correto armazenamento dos insumos alimentícios é benéfico para a saúde dos forrozeiros. “Eu acho importantíssima a presença da Vigilância Sanitária em festas como esta que envolvem tantas pessoas. Muitas vezes a gente só se preocupa em matar a fome, a sede e nem olha ao redor como a limpeza e o armazenamento dos produtos. O gelo, por exemplo, quantas pessoas já consumiram gelos impróprios e não estão preocupadas com as conseqüências disso? Essa parceria com os donos de bares e ambulantes garantem que os profissionais estejam conscientes e evitem maus hábitos garantindo, assim, a saúde pública”, explica.

Nilton Severo Gomes é baiano e está em Sergipe para curtir os festejos juninos. Ele aprova a fiscalização. “É preciso que se garanta a organização do evento não somente antes, mas também quando ele está acontecendo. A cada ano a festa melhora mais em estrutura e organização e ao meu ver isso se deve ao trabalho em conjunto dos comerciantes, órgãos fiscalizadores do Governo do Estado com a contribuição da própria população”, acredita o turista.

Claudice Brito dos Santos montou uma barraca para a venda de alimentos e bebidas a fim de garantir uma renda extra nos festejos. Para ela, a presença da Vigilância é uma importante parceria em prol da sociedade. “ Todos os profissionais da Vigilância são muito educados e estão aqui com o intuito de nos ajudar. Muitas vezes falhamos pela grande demanda que nos envolve e aí recebemos algumas advertências que só demonstra a seriedade e o compromisso deles com a saúde pública”, conta.

Comente: