Transporte social é exemplo de humanização no SUS

“Transportamos vidas com amor”. Com este lema o Serviço de Transporte Social da Secretaria Municipal de Saúde realiza as remoções de pacientes acamados e que tenham dificuldades de locomoção para consultas, exames e tratamentos médicos. É um serviço ofertado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) da capital sergipana.
“Este é um trabalho de humanização muito importante porque atende as pessoas que não têm condições físicas e financeiras para chegarem às unidades de saúde para tratamento”, disse Luzinete de Lima, coordenadora municipal de Transporte Social.

O setor de Transporte Social, ligado à Rede de Urgência e Emergência (REUE), possui 10 vans e cinco ambulâncias. As vans fazem o transporte de pacientes e seus respectivos acompanhantes de renais crônicos para tratamento de hemodiálise e fisioterapia. “As ambulâncias são para remoções simples de pessoas acamadas, mas estáveis, que necessitam ir às consultas médicas, fazer exames e revisões de cirurgias, bem como pacientes oncológicos, renais crônicos que não podem subir nas vans e crianças com microcefalia”, informou a coordenadora.

“As crianças com microcefalia são levadas junto com às mães para o tratamento de fisioterapia, terapia ocupacional e psicólogo nas clínicas credenciadas”, esclareceu Luzinete. Ela acrescentou que o transporte também é realizado para pacientes estáveis que estão nos hospitais municipais e precisam ir ao Hospital de Urgências de Sergipe (Huse) e Hospital de Cirurgia, por exemplo. “Quando este tipo de paciente recebe alta hospitalar nós fazemos a remoção até as suas residências”, completou.

Agendamento

De acordo com a coordenadora, o serviço é ofertado ao cidadão através de agendamento diário das 8 h às 12 horas e das 14 h às 17 horas por meio dos telefones: 3179-1049 e 3179-1086. “Nós fazemos um roteiro diário para o atendimento, mas para isso, precisamos que o cidadão agende o horário com duas semanas de antecedência”, explicou informando que o cidadão deve fazer um cadastro com solicitação do profissional de saúde ou da unidade de saúde com dados clínicos referentes ao paciente, com local, dias e horários do tratamento, cópia da identidade, comprovante de residência e cartão do SUS.

Segundo Luzinete, existem três turnos para as vans: o primeiro é das 7 h às 12 horas; o segundo é das 12 h às 16 horas e o terceiro turno é das 17 h às 21 horas. “Nós temos um sistema de monitoramento para saber onde estão os veículos, mas os nossos motoristas são muito solícitos e compromissados com o serviço”, falou. Ela disse ainda que cada motorista leva e traz em média 6 pacientes por dia. “Os motoristas circulam cerca de 200 km pela capital todos os dias, transportando vidas”, enfatizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *