Sua Sala é o Cinema: Prefeitura exibe na internet produções audiovisuais locais

Pela quarta semana consecutiva, a Prefeitura de Aracaju segue oferecendo aos aracajuanos mais uma programação do ‘Sua Sala é o Cinema’, projeto realizado pela Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju) com filmes fomentados com recursos da Lei Aldir Blanc, via edital Janelas Para as Artes, resultado da aplicação de R$650 mil.

Inicialmente, três curtas-metragens permanecem em cartaz no canal da Funcaju no YouTube (https://www.youtube.com/channel/UCBl_YUUljW9qLSGq1h7YQJg), durante 15 dias, conforme a data de estreia de cada filme.

“O Sua Sala é o Cinema é a primeira das grandes entregas do audiovisual pela Lei Aldir Blanc em Aracaju. Junto com as produções pequenas, médias e longas que fomentamos com recursos da LAB, que estão em fase de produção, são mais de R$650 mil investidos nessa importante cadeia produtiva. Depois de cumprir o objetivo social, vamos dar à população o melhor do cinema feito em Aracaju”, ressalta o presidente da Funcaju, Luciano Correia.

Ao todo, foram produzidos dez filmes em 2020, produções que abordam o contexto vivenciado durante a pandemia da covid-19, visando estimular o lado criativo dos produtores da área audiovisual da capital, diante do isolamento social.

Programação
Na sexta-feira (22), estreou o curta “Pedalando à Contramão”, dirigido por Ravi Aynore, que conta a história de dois amigos que se perdem em uma conversa, enquanto novos universos são criados.

No sábado, 23, entrou em cartaz o curta ‘Corpo Infamiliar’, dirigido por Jéssica Dias, cuja narrativa visa criar um paralelo entre o corpo que vivencia a pandemia do novo coronavírus e a descrição do inconsciente no texto de Freud, tendo como plano de fundo o contexto político e social brasileiro.

E desde domingo (24) está disponível no canal da Funcaju o filme Aracajoubert, da diretora Jade Moraes. Trata-se de um documentário sobre a vida e obra do multifacetado artista Joubert Moraes. O filme é recheado de depoimentos da categoria artística que produz música, dança, poesia e fotografia desde a década de 1970 em Sergipe. O documentário é um importante registro para a memória da pintura, escultura e música do Estado.

Somado aos filmes contemplados pelo primeiro edital Janela para as Artes, cerca de 29 obras foram licenciadas para este fim, no edital Janelas Para as Artes da Lei Aldir Blanc (LAB), o que mantém uma grade planejada até o final de março, mês de comemoração do aniversário da cidade.

Comente: