Revitalização do Centro de Turismo preservará cultura e história da capital sergipana

Obra do Governo do Estado proporcionará, por meio do Prodetur, investimento de R$ 1.036.157,81

Na área central de Aracaju, ao lado da Catedral Metropolitana, um prédio, datado de 1911, com contornos arquitetônicos de elementos que vão do romântico ao neoclássico, ganhará novo realce. O Centro de Turismo passará por reforma e proporcionará que 29 lojistas e artesãos, além de seus visitantes, tenham acesso a um espaço revitalizado, com melhoria da estrutura elétrica, telhado, esgotamento, drenagem, pintura e acesso, proporcionando que pessoas com deficiência e idosos possam circular sem transtornos pelo local. A obra do Governo do Estado, por meio do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), recebe investimento de R$ 1.036.157,81 e começará assim que a licitação, que já está em fase final, seja encerrada.

Das cerâmicas de Santana do São Francisco às rendas irlandesas de Divina Pastora. Esses são alguns dos artesanatos que podem ser encontrados no Centro de Turismo. O coordenador de infraestrutura do Prodetur, Rafael Corona, explica que, tanto as peças expostas e comercializadas, quanto o prédio, não terão suas estruturas danificadas com a revitalização. O projeto foi pensado para valorizar o local e promover mais conforto, qualidade de trabalho e acesso para os visitantes.

“Vamos reformar o prédio inteiro. Alguns dos destaques da obra são a melhoria do telhado, individualização da parte elétrica de cada loja, de modo que cada comerciante vai pagar sua conta de energia, e promoção de acessibilidade para lojistas e visitantes. Outro detalhe é que vamos fazer intervenção de esgotamento e drenagem, pois às vezes, quando chove, aqui enche. Proporcionaremos mais acesso, conforto e qualidade de trabalho para os artesãos. Iremos melhorar, também, a estrutura dos banheiros. Além disso, a faixada do prédio contará com iluminação à noite”, relatou Rafael.

Para o comerciante Ismael Feitosa, é um privilégio trabalhar em um prédio histórico e em localização centralizada. “A reforma é muito bem vinda e nos trará benefícios a longo prazo. Estou muito contente e tenho certeza que todo mundo vai gostar. Vai proporcionar melhoria de nossa renda e movimentar toda uma cadeia. Por exemplo: o nosso público é de turistas. Se o fluxo deles aumenta, compramos mais artesanato do interior e isso proporciona uma mobilização de uma grande rede”.

Problemas de infiltração e danificação do forro e da alvenaria serão resolvidos com a reforma, segundo informa o coordenador de infraestrutura do Prodetur. Além disso, o assoalho e forro de madeira serão recuperados. A obra de revitalização do local contemplará, ainda, o Museu do Artesanato e o Centro de Informações turísticas. A previsão é que a intervenção dure oito meses.
A comerciante Maria Ednalda Machado aprova a revitalização. “Aqui necessita de pintura e melhoria nos banheiros. A intervenção é importante”, comentou a lojista, que disponibiliza em seu box artesanatos como as rendas de bilro, renascença, redendê, richelieu, ponto cruz e crivo ou labirinto.

A turista do Rio de Janeiro, Regina Daflon, veio à Aracaju pela segunda vez e, apesar de já ter conhecido o Centro de Turismo na primeira visita, decidiu retornar. O motivo: ter gostando do que viu. “Gosto da arquitetura daqui, acho bonita e creio que deve ser restaurada, de modo que não perca sua essência”. Já dona Helena Alves, comerciante local, conta que há 45 anos vê os turistas chegando e saindo. “Aqui é uma maravilha. Se a estrutura agora já é bonita, vai ficar melhor ainda, de modo que as pessoas vão querer visitar mais o Centro”, acrescentou.

Centro de Turismo

O prédio ocupado atualmente pelo Centro de Turismo foi construído para sediar a Escola Normal de Aracaju. Atualmente, como ponto de difusão da cultura sergipana, expõe bordados, cerâmicas, couros, palhas e outros produtos típicos. O imóvel secular ainda mantém sua estrutura original.

A comerciante Maria Ednalda Machado começou a comercializar artesanato no Centro desde sua inauguração. “Fiquei velha aqui e tenho muita história para contar. Esse Centro é minha distração. A arquitetura daqui é linda e, cada vez mais, aumenta o número de turistas. Estes, quando vierem aqui depois da reforma, vão elogiar muito”, destacou.

O vendedor Robson Freitas, por sua vez, além de vender artesanato, aproveita para contar para os turistas alguns relatos sobre o prédio. “Sou formado em História e isso faz com que eu enriqueça as informações sobre a parte cultural desse imóvel. Quando os turistas perguntam, falo sobre nosso artesanato, e em minha loja busco valorizar a cultura sergipana. Aqui trago peças de Beto Pezão, um dos artistas mais consagrados que temos, além de cerâmica envelhecida, licores e cachaças. Temos que preservar nosso patrimônio. É importante valorizarmos o que é nosso. Sinto orgulho em trabalhar em um local de arquitetura antiga. É algo que nos enriquece”.

O espaço turístico é um dos pontos históricos do centro de Aracaju que pode ser visitado a pé por quem está no entorno. Com a reforma desse espaço, o processo de reocupação de vários monumentos antigos localizados na proximidade será complementado. Além dele, já passaram por intervenções o Restaurante Cacique Chá, o Palácio Museu Olímpio Campos e o Prédio da Procuradoria Geral do Estado.

Prodetur

O Programa de Desenvolvimento do Turismo é uma linha de crédito entre o Governo do Estado e o Banco Interamericano de Desenvolvimento no Brasil (BID) no valor de US$ 100 milhões (mais de R$ 300 milhões) para o desenvolvimento do turismo em Sergipe, no âmbito do Prodetur Nacional. Cabe ao BID o financiamento de US$ 60 milhões, sendo US$ 40 milhões de contrapartida estadual.

Por meio do programa, serão contemplados investimentos na construção e recuperação de orlas e equipamentos turísticos, patrimônio histórico, qualificação da mão-de-obra, infraestrutura de apoio e fortalecimento institucional do turismo. Além do Centro de Turismo, em Aracaju, estão previstos dois atracadouros no povoado Caibrós e na Ilha Mém de Sá, em Itaporanga; construção da orlinha do povoado Curralinho, em Poço Redondo; as reformas da Orla Pôr do Sol e da nova Orla de Aracaju, entre outros investimentos que irão transformar significativamente o setor econômico do turismo em Sergipe.

 

Por Monique Garcez, repórter da ASN

Deixe uma resposta