Retomada de obras marca compromisso de Edvaldo com aracajuanos

Após assinar, no início de abril, a ordem de serviço para construção da maternidade no bairro 17 de Março, o prefeito Edvaldo Nogueira retomou todos os 24 projetos deixados por ele no seu mandato anterior pela Prefeitura de Aracaju. O investimento de aproximadamente R$ 145 milhões, entre obras inauguradas e em andamento, por toda a cidade, foi uma promessa de campanha. Para alcançar esse resultado, a gestão executou um grande esforço para recuperar recursos, contando com a liderança do prefeito para transformar a capital em uma cidade mais inteligente, humana e criativa.  Para conseguir o espaço orçamentário necessário para reiniciar as obras paralisadas pela gestão anterior, foi preciso executar disciplinadamente um Planejamento Estratégico que remodelou a forma de gerir a Prefeitura de Aracaju, dando ênfase à qualificação técnica para acessar as verbas, sejam de programas do Governo Federal ou emendas parlamentares. “Este é um tema sobre o qual é muito importante falar, pois, quando na campanha eleitoral, eu afirmava que deixei as obras com os recursos assegurados, muitos não acreditavam. Então, ao ver todas estes projetos retomados e parte deles já entregue, eu me sinto muito feliz, na certeza de que honrei a promessa que fiz aos aracajuanos, que confiaram em mim e me recolocaram na condução da cidade”, afirma o prefeito. Edvaldo ressalta, no entanto, que “não foi um trabalho fácil”. “Tivemos que correr atrás do prejuízo. Mas, todo o esforço valeu muito a pena. O trabalho de remodelação dos projetos, a competência da nossa equipe, o apoio de parlamentares federais e a aprovação do projeto de contrapartida pelos vereadores foram essenciais para que déssemos grandes passos na reconstrução da cidade”, completou. Obras nos quatro cantos da cidade O resultado pode ser observado nos quatro cantos da cidade. Desde a infraestrutura e urbanização do Jardim Petrópolis, no bairro Santo Antônio, primeira obra inaugurada, ainda em 2017, até a complementação da pavimentação e drenagem das avenidas Caçula Barreto e Dr. Tarcísio Daniel dos Santos, conhecidas como Canal 3, no Augusto Franco, a mais recente.  Dos R$ 145 milhões investidos, R$ 60 milhões são de projetos já inaugurados. Assim, ganham destaques necessidades e apelos antigos dos aracajuanos, como é o caso da construção da Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) José Calumby Filho, e da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) José Souza de Jesus, ambas no 17 de Março, onde foram gastos quase R$ 6 milhões para disponibilizar uma infraestrutura de ponta, com uso intensivo da tecnologia, e com a adoção da pedagogia Waldorf, de maneira inovadora na rede pública.     Desta maneira, as ações da administração municipal levam uma nova perspectiva para aracajuanos como a autônoma Tatiana Andreza da Silva, que tem seus dois filhos estudando na Emef José Souza de Jesus. “Era o nosso maior desejo ver essa escola construída. Meus filhos moram e estudam no mesmo bairro, sem a necessidade de se deslocar para longe, pagar transporte. Com isso eu fico mais tranquila. É muito bom ver esse trabalho feito”, conta.  Além do investimento em Educação, como forma, sobretudo, de transformar a realidade social dos bairros mais vulneráveis, a gestão se debruça também sobre as demandas de urbanização e esgotamento sanitário. Para a pavimentação asfáltica do loteamento Aruana, por exemplo, R$ 13 milhões foram utilizados para revitalizar uma área importantíssima, aumentando a qualidade de vida dos moradores e, ao mesmo tempo, melhorando a infraestrutura de uma área turística.  Esforço conjunto  Para retomar as obras, a administração precisou readequar todos os 24 projetos, de forma que cumprissem as especificações de cada Ministério aos quais estavam ligados. Uma verba federal para uma iniciativa qualquer é liberada de acordo com o desenvolvimento da obra. Ou seja, uma paralisação significa o impedimento de acessar os recursos. O dinheiro continua em conta, mas não é corrigido pela inflação do período. Desta forma, a nova propositura precisa atualizar os valores, ter amparo jurídico nas normas e leis, e ser feito em tempo hábil.   O esforço técnico-administrativo precisa andar em paralelo com a articulação política. Por isso, o prefeito se reuniu com lideranças em Brasília, na intenção de priorizar a capital sergipana como destino de parcerias. E deu certo.  No que diz respeito ao nível municipal, ganha destaque a construção de uma base aliada ampla e comprometida na Câmara de Vereadores de Aracaju, que auxilia a gestão e, por consequência, o povo aracajuano ao aprovar os Projetos de Lei do Executivo, como por exemplo a aprovação de empréstimos junto a Caixa Econômica Federal e ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), garantindo as contrapartidas municipais essenciais para as retomadas.   Os valores passam pela análise técnica das instituições financeiras que avaliam, entre outras coisas, o grau de endividamento da administração municipal, bem como seu histórico econômico. Desta forma, ao arrumar as contas, pagando as dívidas deixadas e propondo gastos mais eficientes, a Prefeitura consegue se adequar a programas de incentivo e adquirir crédito com juros abaixo da média.  Foi este o trabalho que o atual governo municipal desenvolveu para conseguir transformar Aracaju num canteiro de obras, por isso o êxito alcançado é um marco.  “É motivo de grande satisfação a retomada de todas as obras que estavam paralisadas, refletindo um trabalho que foi feito desde o início da gestão, um grande esforço para redimensionar os projetos, construir novos orçamentos e condições de pagamento. A ação do prefeito Edvaldo Nogueira foi fundamental, em consonância com os vereadores da Câmara, ao conseguir um empréstimo junto à Caixa Econômica Federal, garantindo o pagamento das contrapartidas. Tivemos que correr contra o tempo, uma vez que o Governo Federal cancela os contratos após quatro anos de paralisação.  Ao fim, tudo deu certo, e a população aracajuana sai ganhando”, ressalta o presidente da Emurb, Sérgio Ferrari.   Muito por vir      A assinatura da ordem de serviço da maternidade do bairro 17 de Março, orçada em aproximadamente R$ 16 milhões, marca o cumprimento integral da promessa do prefeito Edvaldo Nogueira. Com o desenvolvimento desse projeto, o bairro vai sendo remodelado, recebendo atenção especial do poder público.  No mesmo local, a Prefeitura fez a complementação da infraestrutura da área externa de 16 blocos de apartamentos, aumentando o conforto dos moradores e permitindo que eles desfrutem de uma comunidade que atende às suas necessidades. Lá, a atual gestão também urbanizou 37 ruas, construiu um canal e inaugurou, no início deste mês, a primeira unidade básica de saúde da localidade.  Da mesma forma, executou a infraestrutura da comunidade Pantanal, no bairro Inácio Barbosa, onde os moradores viram ficar para trás a realidade difícil, quando não era raro os casos de alagamentos e lama invadindo as casas em épocas de chuva. A atual gestão também opera uma transformação no loteamento Barroso, na Farolândia, dotando a região de completa infraestrutura. A obra deve ser finalizada ainda neste ano.  Outro grande projeto, que tem chamado a atenção dos aracajuanos, é a obra de construção do canal Beira Mar, entre os bairros Aeroporto e Atalaia. Fruto de um investimento de quase R$ 9 milhões, a área, antes tomada por esgoto, lixo e muita lama, cede espaço para uma grande avenida, com ciclovia e calçada, todo o serviço de esgotamento sanitário realizado em 14 ruas, além de duas lagoas de amortização, que evitarão alagamentos.  As máquinas e os trabalhadores se empenham também em adequar a infraestrutura do loteamento Marivan, uma região que tem atraído investimentos privados por conta do aumento de sua densidade populacional. Ela contará com 53 ruas pavimentadas e com esgotamento sanitário, bem como passeios e ciclovia.  Um investimento de cerca de R$ 12 milhões que altera drasticamente, para melhor, a vida de um grande número de aracajuanos. Além disso, ajuda a desenvolver a economia municipal.  As obras já entregues apenas reforçam a confiança dos aracajuanos no trabalho que continua em desenvolvimento, uma vez que eles podem conferir de perto o cumprimento das promessas de campanha.  “A gente sempre espera que melhorias cheguem ao lugar que a gente mora e é uma alegria quando fica tudo pronto. Toda vez que muda a gestão, as pessoas esperam que o que foi prometido seja cumprido e eu tenho visto a cidade melhor. Sentia falta de algumas obras e estou vendo agora”, atesta a aposentada Luciane Montalvão. São muitos os projetos retomados, além da execução de novas obras – mais de dez – de forma que Aracaju correr atrás do tempo perdido e se aproxima a cada entrega de uma cidade referência no cuidado com os seus cidadãos. 

Comente: