Reforma do Centro de Turismo será entregue dia 1° de fevereiro

O projeto de reforma preserva a arquitetura neoclássica da edificação, adicionando elementos que possam garantir a segurança, o conforto e a acessibilidade dos frequentadores.

Falta pouco para que os sergipanos possam conhecer as novas instalações do Centro de Turismo, ponto de visitação localizado na Praça Olímpio Campos, no coração de Aracaju. A obra de reforma e revitalização será inaugurada no dia 1° de fevereiro, beneficiando, além dos frequentadores e turistas, os 28 lojistas e artesãos que trabalham no local. A iniciativa é do governo de Sergipe através da Secretaria de Estado do Turismo.

O prédio histórico em que hoje se localiza o Centro de Turismo, que remonta ao início do século XX, abrigava a tradicional Escola Normal. O projeto de reforma preserva a arquitetura neoclássica da edificação, adicionando elementos que possam garantir a segurança, o conforto e a acessibilidade dos frequentadores.

A reforma compreende o Centro de Comercialização, o Museu do Artesanato e o Centro de Informações Turísticas. O imóvel, tombado pelo patrimônio histórico do Estado, foi amplamente restaurado e está recebendo os últimos retoques para a inauguração. A obra de recuperação está sendo realizada com recursos da ordem de R$ 1,345 milhão, originários do Prodetur.

Para o comerciante Esmael Feitosa Rocha, que completa 74 anos no dia 2 de fevereiro, sendo 21 deles dedicados ao Centro de Turismo, a inauguração das novas instalações será um presente de aniversário antecipado. “Estava precisando, e muito. Para se ter uma ideia, desde 2002 que foi feito um projeto para reformar isso aqui. Foi uma longa história, por questões políticas, administrativas e financeiras, e somente agora é que está se concluindo a obra da reforma. Acredito que a gente deve receber um número maior de turistas agora, e turistas não só de outras cidades, estados e países, mas gente aqui de Aracaju também. Vai ser um presente de aniversário”, afirma.

A comerciante Josefa Oliveira da Silva, conhecida como Detinha, também se diz satisfeita com a reforma do Centro de Turismo. Aos 73 anos, ela vende artesanato no local há 40, desde que o espaço foi transformado em área de comércio. Sua história e a de sua família estão vinculadas ao local, como atesta a filha da artesã, Nara Regina Oliveira Cardoso, de 35 anos.

“É difícil não ter boas coisas para dizer, porque foi uma vida bem vivida aqui. Quando vim trabalhar aqui, nem sonhava em ter minha filha. Se eu estou aqui, é porque gosto. Já atendi muita gente de fora aqui, até artistas. Esta é a terceira reforma, assisti todas. E estava precisando mesmo, principalmente para cadeirantes. A gente espera que melhore as vendas e o movimento”, comenta dona Detinha.

Para o secretário de Estado do Turismo, Fábio Henrique, a reforma tem valor de resgate do patrimônio cultural de Sergipe. “É aqui onde se encontra todo o artesanato produzido em Sergipe, a exemplo da renda irlandesa e de tantos outros objetos que representam nossa cultura. É aqui que o turista vem. É importante que ele seja bem atendido, num local agradável e acolhedor”, frisou.

Intervenções

Segundo o arquiteto e coordenador operacional do Prodetur, Rafael Domingues Corona, todo o projeto de reforma do Centro de Turismo foi pensado de forma a manter o valor histórico da edificação. Ele lista algumas das intervenções feitas durante o processo de revitalização.

“Fizemos a individualização elétrica de todos os boxes e reformamos a fachada e as laterais do prédio, incluindo pintura e troca de vidros e esquadrias. Trocamos as luminárias e fizemos a iluminação total para que a fachada do prédio fique iluminada à noite. Fizemos também a reforma do palco, a parte de drenagem e esgotamento e reformamos os banheiros. Outra novidade é a acessibilidade total. O Centro de Turismo é agora um dos poucos prédios do Estado cem por cento acessível. Até mesmo o palco, que antes tinha escadas, agora terá rampas”, informa.

Rafael destaca que todas as intervenções foram feitas sem que as atividades no prédio fossem suspensas, o que exigiu ainda mais empenho e conhecimento técnico da equipe da obra. Até a inauguração, deve chegar ao espaço a nova cobertura tensionada do palco e do pátio central. “A cobertura tensionada é fabricada fora de Sergipe. É um desenho moderno, que vai valorizar o espaço, muito diferente dos antigos toldos. É através dela que o Centro de Turismo e a Rua do Turista serão interligados”, esclarece.

O coordenador salienta que a reforma possibilitou a reabertura do Museu do Artesanato, que permanecia fechado pelo fato de sua estrutura ter sido comprometida por infiltrações. Para tanto, as cúpulas foram renovadas. Após a inauguração e em parceira com a Secretaria de Estado da Cultura, uma das laterais do prédio será disponibilizada para intervenções artísticas em grafitti.

História

O prédio em que hoje se situa o Centro de Turismo foi inaugurado em 15 de agosto de 1911, no mandato de José Rodrigues da Costa Dórea como presidente da Província. O local abrigou a antiga Escola Normal, ficando ocioso quando da transferência da instituição para o Instituto de Educação Rui Barbosa.

Em 1966, o prédio começou a funcionar como Faculdade de Odontologia. Dez anos depois, a edificação foi passada à responsabilidade do governo do Estado, já que até então era de domínio do governo Federal. No ano seguinte, após a reforma das salas de aula para adequação dos boxes, o local tornou-se um centro de artesanato. Em 6 de janeiro de 1984, o prédio foi tombado como patrimônio histórico.

Prodetur

O Programa de Desenvolvimento do Turismo é uma linha de crédito entre o governo do Estado e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no valor de U$ 100 milhões (mais de R$ 300 milhões) para o desenvolvimento do turismo em Sergipe, no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur Nacional). Caberá ao BID o financiamento de U$ 60 milhões e o restante, U$ 40 milhões, será de contrapartida estadual.

O Prodetur tem como objetivo contribuir para o fortalecimento da política nacional de turismo e consolidar a gestão turística cooperativa e descentralizada, oportunizando um modelo de desenvolvimento turístico a partir do qual os investimentos dos governos estaduais e municipais respondam tanto às especificidades locais, quanto a uma visão integral do turismo no Brasil.

Entre as obras está a construção de dois atracadouros no povoado Caibrós e na Ilha Mem de Sá, em Itaporanga; investimentos na construção e recuperação de orlas e equipamentos turísticos, de patrimônios históricos, na qualificação da mão-de-obra, infraestrutura de apoio e fortalecimento institucional do turismo. Através desses recursos, estão previstas diversas obras como a nova Orla de Aracaju, a construção da Orla do povoado Pontal, a implantação de esgotamento e da orla do povoado Crasto, em Santa Luzia do Itanhi; a construção da orlinha do povoado Curralinho, em Poço Redondo; a reforma da Orla Pôr do Sol e a adequação urbanística das praias do litoral sul em Aracaju, a construção do esgotamento sanitário do Povoado Saúde, em Santana do São Francisco entre outros investimentos que estão transformando significativamente o setor econômico do turismo em Sergipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *