Projeto Reciclart oferece Oficina de Papel gratuitamente

O projeto Reciclart mantém viva a iniciativa do reaproveitamento de objetos, através da Oficina de Papel. Localizado dentro do Parque Augusto Franco (Sementeira) e sob responsabilidade da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), a iniciativa existe desde 1997, comprovando que com criatividade e capricho, todo tipo de material reciclável pode ser reaproveitado, se transformando em algo bonito e utilitário. Através das mãos das artesãs e dos voluntários que integram esta iniciativa ecologicamente correta, diariamente são produzidos diversos produtos oriundos de papel reaproveitado.

“Aqui fazemos de tudo, de bandejas a lixeiras, cestas, chapéus, leques, luminárias, objetos de decoração, como mesas de centro e baús, etc. Antigamente, o Reciclart funcionava num galpão aqui mesmo dentro do Parque da Sementeira, mas há 15 anos passou a ser realizado num ateliê específico, localizado também dentro da Sementeira (logo após a Guarda Municipal). É um projeto sem fins lucrativos e o resultado de tanto empenho é direcionado aos órgãos públicos da Prefeitura de Aracaju, em forma de utensílios de escritório, podendo também ser adquirido pela sociedade em geral e pelos turistas”, explicou o coordenador e voluntário Murilo Alves.

Com a escassez da matéria-prima para a confecção dos produtos (visto que a base vem de doações de objetos recicláveis como revistas velhas e garrafas peti), os integrantes do Projeto Reciclart vêm fazendo parceria com os cidadãos que têm interesse em adquirir peças. “Trabalhamos de portas abertas, recebendo doação de matéria-prima para a confecção de canutilhos de papel. Quando alguém quer algum objeto, nós fazemos uma avaliação dos produtos que serão utilizados na confecção (cola, tinta, etc) e repassamos para que sejam comprados e trazidos até o ateliê pelo futuro dono da peça. Assim que nossas artesãs acabam de confeccionar, ligamos para que a pessoa venha buscar a encomenda. Ninguém pega
nada pela mão-de-obra de nossas artesãs, porém, temos necessidade de produtos para acabamentos das obras e esta demanda fica a cargo de quem deseja o objeto”, explicou.

Desde que passou a integrar o Reciclarte, a vida da ex-guarda municipal Eliane Rodrigues Nascimento ganhou outro foco. “Fiz parte da Guarda Municipal há muitos anos, quando trabalhávamos apenas com proteção do patrimônio público, mas desde que passei a integrar o projeto de reciclagem não me vejo fazendo outra coisa. Trabalho praticamente desde o início do Reciclart e aprendi a ser artesã na labuta diária, buscando aperfeiçoar o trabalho, descobrindo novas formas de produzir as peças. Tanto eu quanto as outras artesãs nos empenhamos nesse trabalho, fazendo com dedicação e amor cada peça produzida”, pontuou.

Oficina de papel

Para participar da Oficina de Papel, basta que o voluntário passe para conhecer o projeto Reciclart e agende os dias de suas participações. Segundo a assistente social da Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade (APABB) contou que buscou a parceria com o Reciclart com o propósito de vincular terapia ocupacional à produção de arte, integrando os atendidos à Oficina de Papel.

“Passei a conhecer o projeto, através de um convite da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) e desde então trago os integrantes da APABB duas vezes por semana para o ateliê da Reciclart como forma de atividade recreativa e aprendizado. A ideia deu muito certo e estamos notando um envolvimento positivo entre eles e o trabalho realizado aqui pelas artesãs. Todos estão adorando participar da Oficina de Papel, pois aprendem e se sentem úteis ao mesmo tempo”, contou.

Resumo

Quem pode participar da Oficina de Papel: adultos e crianças.

Itens obrigatórios: criatividade e conscientização ambiental.

Onde: Parque Augusto Franco (Sementeira), ateliê do Projeto Reciclart (localizado após a Guarda Municipal).

Horário de funcionamento: de segunda a sexta (horário comercial).

Comente: