Prefeitura moderniza feiras livres da capital

flA Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) avança no processo de revitalização das feiras livres.  Através da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) e em conjunto com a empresa concessionária, o poder público está padronizando esteticamente o espaço, otimizando o espaço e facilitando a fiscalização para que os serviços e produtos sejam da melhor qualidade. A tradicional feira do bairro São José, situada nos arredores do Estádio Lourival Batista ,conhecido como Batistão, foi a pioneira do projeto e nesta terça-feira, 21, feirantes e frequentadores puderam ver e vivenciar a novidade.

Segundo o assessor especial da Emsurb, Edvaldo Fernandes, o novo modelo de feiras livres representa mais que uma transformação no modo de comercializar produtos ao ar livre. Trata-se de uma evolução da dinâmica típica das feiras livres. “Mudou-se totalmente, da água para o vinho. Abolimos tudo que comprometia a atividade e comercialização dos insumos e substituímos por estruturas e medidas mais seguras e eficazes”, ressalta. Ele salienta que “todas as feiras livres da capital serão padronizadas e, ainda esta semana, mais três serão concluídas e postas em atividade”.

Toldos próprios para suportar as ações da chuva e proteger do sol escaldante, bancas padronizadas e forradas, balcões refrigerados para comercialização de carnes e laticínios e lavatórios com água potável, além de comerciantes uniformizados, deram lugar ao antigo modelo que poderiam dar ares de insalubridade.  Feirantes vivenciam a nova fase e a época em que tinha que “se virar” com lonas furadas e se “espremer” pelos cantos ficou na memória e no passado.

Dona Sirley Andrade, não é moradora do bairro São José, mas, sempre gostou de fazer sua feira da semana no local. Hoje ela foi a região com a mesma intenção de sempre para realizar suas compras, mas, ao chegar no lugar teve uma surpresa com a mudança das bancas. “A mudança foi total. Esses toldos nos protegem tanto sol quanto da chuva. Gosto de comparar em feiras, mas, não dá para negar que o lado ruim disso é que elas ficam na rua e o tempo pode atrapalhar as compras. Agora do jeito que está ficou muito mais cômodo para transitar e comprar”, observa.

Há mais de duas décadas que o senhor Roberto José dos Santos atua no ramo dos laticínios e frutos secos na feira do bairro São José. O feirante aprova as modificações e compreende que a padronização representa uma evolução no modo de organizar as feiras livres. “Tanta coisa muda no mundo, tantas coisas são descobertas. Nós temos que acompanhar as mudanças e tentar colaborar para qualificar nossos serviços. Vejo essa padronização como uma nova fase no modo de atuar na feira e, se for para melhor servir o cliente, eu aprovo”, endossa.

O senhor Roberto Rodrigues mora no bairro 13 de Julho e sempre compra frutas, verduras e legumes na feira do Batistão. Na avaliação do aposentado, o espaço ficou mais harmônico e melhor para circular. Além disso, o que mais chamou a atenção dele foi a higiene com que os alimentos são comercializados. “Só tenho que reconhecer e elogiar a mudança. Ficou muito mais organizado, o aspecto é bem mais limpo e a simpatia dos comerciantes é a de sempre”, declara.

Quase uma década de atuação e muita satisfação ao perceber que o ambiente ao qual comercializa ganhou nova aparência e melhorou a dinâmica de suas atividades. “Acho que do jeito que está, muita gente que não gostava de frequentar as feiras terão vontade de vir comprar aqui. Temos nosso espaço de comercialização garantido, tudo igual. Nem melhor nem pior que o do outro. Os clientes também tem mais espaço para circular com suas sacolas ou acompanhados dos carregadores. Antes era tudo apertado e hoje, esses novos corredores facilitou o trânsito de gente”, compara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *