Prefeitura inaugura Hospital de Campanha Cleovansóstenes Pereira Aguiar

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), inaugurou neste sábado, 16, o Hospital de Campanha Cleovansóstenes Pereira Aguiar, montado no Estádio João Hora de Oliveira, no bairro Siqueira Campos. A estrutura, que conta 152 leitos, visa ampliar a capacidade de atendimento da rede municipal de saúde da capital para fazer frente à pandemia de covid-19. 
“Estamos entregando hoje, oficialmente, o hospital de campanha, denominado Cleovansóstenes Pereira Aguiar, em homenagem ao ex-prefeito e um dos fundadores do curso de medicina da Universidade Federal de Sergipe. Agora continuaremos a orientar os servidores sobre os fluxos de entrada e saída e a fazer a ambientação destes profissionais”, explica a secretária municipal da Saúde de Aracaju, Waneska Barboza. 
A expectativa é que na próxima quinta-feira, dia 21, a unidade receba seus primeiros pacientes. Dos 152 leitos do Hospital de Campanha Cleovansóstenes Pereira Aguiar, 52 serão destinado aos casos suspeitos da doença, caso os 20 leitos instalados no Caps Jael já estejam totalmente ocupados. “A estrutura amplia substancialmente a capacidade do município em internar pacientes em leitos clínicos. Ela faz parte do planejamento que está sendo executado pela Prefeitura de Aracaju desde que a Organização Mundial da Saúde decretou o início da pandemia, em um cronograma rígido que tem permitido que a capital tenha o número de leitos adequados”, aponta o secretário da Fazenda, Jefferson Passos.   
A equipe responsável por atender aos aracajuanos é composta por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos, assistentes sociais e técnicos de enfermagem. Para isso, a administração municipal antecipou as convocações do PSS da Saúde e tem contratado para atuação imediata profissionais médicos por meio de Chamamento Público. 
Todos esses profissionais estão sendo capacitados para abordagem, identificação, manejo clínico e tratamento de pacientes com covid-19, conforme Protocolo do Ministério da Saúde. Além disso, com disponibilidade suficiente de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), a Saúde de Aracaju também assegura esse insumo a todos os seus profissionais.
A médica Milena Gama, por exemplo, é uma das pessoas que já atenderam à solicitação da administração municipal, passou por treinamento e agora está apta para os atendimentos. “Eu me disponibilizei para trabalhar no hospital de campanha por ser uma situação única, de pandemia, uma novidade para a medicina toda. Então, acho que é um experiência importante para a evolução pessoal e profissional de todos que se envolverem”, conta.  
Da mesma maneira, o médico Caio Cardoso encara o trabalho na unidade como uma tarefa humanitária. “É um desafio muito grande, mas todos estão aprendendo juntos, enfrentando da melhor forma um trabalho que é arriscado, mas extremamente necessário”, afirma. 
O espaço conta com contêineres, nos quais serão instaladas três salas para DML; duas salas de utilidade; um necrotério, duas salas para paramentação; dois vestiários; quatro banheiros para funcionários; seis salas para descarte de paramentação; 12 banheiros para pacientes; e uma sala para abrigo de resíduos comum e infectante.
Toda a estrutura interna do hospital é climatizada e, além dos leitos, contará com seis postos de enfermagem; seis salas para prescrição médica; seis salas de enfermagem; seis salas para armazenamento de roupas limpas e seis para sujas; seis salas de equipamentos; seis farmácias satélite; uma sala de administração; uma sala de reunião; um laboratório, uma copa e um refeitório; três salas de descanso; uma sala de informática e dois almoxarifados, sendo um para farmácia e um para equipamentos.
Porta de entradaO hospital de campanha da capital se soma às demais unidades de saúde da rede municipal que já realizam o monitoramento e tratamento dos pacientes com sintomas de síndromes gripais, e que são as portas de entrada para essa unidade recém construída pela Prefeitura de Aracaju no Estádio João Hora de Oliveira -as oito Unidades Básicas de Saúde (UBS) referências e os hospitais de Urgência e Emergência (Fernando Franco e Nestor Piva).

Comente: