Prefeitura alerta para o risco de doenças no inverno

A estação mais fria do ano exige uma atenção especial com a saúde. Essa é a orientação da Prefeitura Municipal de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). É que durante esse período, as pessoas estão mais suscetíveis a infecções e doenças respiratórias. As vilãs e mais comuns são a sinusite, rinite, influenza (gripe), resfriado e bronquite. Essas doenças surgem com maior frequência nesse período, pois à medida que o frio aumenta e o teor de umidade diminui, há uma maior concentração de poluentes no ar. Além do fato dos ambientes fechados serem mais propícios para a espalhar vírus e bactérias.

Segundo o médico infectologista da Vigilância Epidemiológica de Aracaju, Thiago Mendes, é preciso tomas alguns cuidados durante o inverno. “No dia a dia, a pessoa precisa higienizar bem as mãos e evitar lugares fechados com muita gente. Para quem está doente, proteger boca e nariz com lenço ou próprio braço quando for espirrar para não contaminar outras pessoas”, colocou.

O infectologista chama a atenção também para um erro comum nesse período: a automedicação. “As pessoas precisam procurar um especialista e não simplesmente comprar medicamentos nas farmácias sem saber de fato o que tem. Os sintomas de algumas dessas doenças são parecidos e uma avaliação médica é necessária para definir o diagnóstico.”, alertou.

Influenza (gripe)

De janeiro a maio do ano passado, a Secretaria Municipal da Saúde notificou nove casos de influenza. Este ano, no mesmo período, foram cinco casos. Gestantes, idosos e crianças com até cinco anos de idade estão mais vulneráveis por apresentarem fatores de risco. No caso de sentir algum desconforto, a pessoa deve procurar o posto de saúde do bairro onde mora ou as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) Nestor Piva e Fernando Franco para receber o atendimento adequado.

Leptospirose

O risco de leptospirose, doença transmitida pela urina de ratos contaminados pela bactéria Leptospira interrogans, aumenta com as chuvas. A bactéria fica retida em poças de água devido à capacidade de sobreviver no meio aquático. Caso a pessoa tenha contato com a água contaminada, pode adquirir a doença através da pele, mesmo que não haja lesões.  De acordo com dados da Secretaria Municipal da Saúde, em 2016 foram identificados nove casos de leptospirose em Aracaju. De janeiro a junho deste ano, três casos foram registrados.

“Precisamos redobrar nossa atenção. Muita gente não se cuida e tem contato com essa água contaminada. Os homens são os mais acometidos pela doença. É importante proteger bem os pés ao transitarem nas ruas com poças de água e lavá-los bem com água limpa e sabão para evitar contaminação”, explicou o médico infectologista Thiago Mendes.

Comente: