Prefeito acompanha obras de Unidades de Saúde no Ponto Novo e Bugio

Em breve o município de Aracaju vai contar com novas Unidades de Saúde da Família (USF) para dinamizar ainda mais o atendimento ao cidadão. Uma será no bairro Ponto Novo e outra no Bugio, atendendo antigos anseios da população. Os postos estão em fase final de construção e foram visitados pelo prefeito João Alves Filho nesta quarta-feira, 13.

Orçado em aproximadamente R$ 1 milhão, conveniados entre a Prefeitura e o Governo Federal, o novo prédio da USF Max Carvalho (Ponto Novo) conta com dois pavimentos, nove salas para consultas, farmácia, consultório odontológico, ambientes climatizados, salas específicas para vacinação e uma vasta recepção em cada piso. Terá também rampas para facilitar o acesso de pessoas portadoras de deficiência, elevador e um amplo estacionamento.

De acordo com o prefeito de Aracaju, a região destinada à construção de uma unidade de saúde no Ponto Novo estava tomada por dependentes químicos e traficantes. Segundo ele, a intenção é ampliar a grade de serviços e também melhorar o cenário social. “Neste local funcionava uma lavanderia que estava servindo como ponto para uso e comercialização de drogas. As pessoas tinham receio de passar por aqui. E a demanda de serviços na saúde também aumentou na localidade, então, agregamos duas questões e resolvemos o problema. Demos uma nova função ao espaço para atender a população”, relata o prefeito João Alves Filho.

No Bugio, cerca de R$ 963 mil, em recursos municipais e federais, estão sendo investidos na nova Unidade de Saúde. A obra se compõe um prédio de dois pavimentos com uma área total de 950 metros quadrados, nove consultórios, salas de esterilização, vacina, acolhimento, observação, curativos, nebulização e ventilação, além de um consultório odontológico amplo e moderno, com uma área de 52 metros quadrados.

Segundo o secretário municipal da Saúde, Antônio Saraiva, tanto o bairro Ponto Novo quanto o  Bugio já contam com unidades de saúde. Ele explica que as novas instalações foram criadas para dar mais comodidade ao cidadão e reduzir a dependência do poder público em relação a prédios que foram alugados para prestar os serviços. “A demanda aumentou, mas, as instalações sendo alugadas dão menos liberdade para a secretaria fazer as alterações necessárias para atender o cidadão. Então, as novas unidades foram pensadas para servirmos mais e melhor a população”, menciona.

Até o momento as Unidades de Saúde da Família já existentes permanecem em pleno funcionamento e somente quando as novas instalações forem inauguradas é que os serviços serão transferidos para o novo espaço.

 

Comente: