Planejamento Estratégico segue rumo a uma cidade inteligente, humana e criativa

O Planejamento Estratégico da administração do prefeito Edvaldo Nogueira, construído no início da gestão, é composto por quatro eixos principais e 49 projetos estruturantes, que estão alinhados à diretriz de tornar Aracaju uma cidade humana, inteligente e criativa. Ao longo dos últimos 21 meses, o plano de gerenciamento foi elaborado, implementado, e segue cumprindo as fases previstas para o desenvolvimento da capital.

A primeira etapa já foi concluída, entre junho de 2017 e junho de 2018, com foco na reconstrução da cidade. Inicialmente, foram definidos cinco focos estratégicos e um portfólio de 65 projetos, mas na transição entre a primeira e segunda fase houve uma adequação com o ritmo da administração, que já está mais madura, com maior domínio dos recursos disponíveis e ciente daquilo que realmente será possível executar.

Atualmente, o planejamento se encontra em sua segunda etapa, que começou em julho de 2018 e vai até dezembro de 2020. Para o consultor e coordenador geral do Planejamento Estratégico da Prefeitura de Aracaju, Júlio Filgueira, o planejamento é uma atividade contínua e permanente. “Quando um ciclo está acabando, se deve planejar o próximo. Então pensando prospectivamente teremos uma tarefa em 2020, que é de estabelecer as bases, e as diretrizes dos resultados esperados para o ciclo seguinte. Em 2020, teremos os elementos e indicativos suficientes, que nos permitam elaborar o próximo ciclo, o planejamento vai se retroalimentando a cada ciclo”, afirma.

Planejar para gerir melhor

O Planejamento Estratégico (PE) é parte da implantação de um Sistema de Gestão Integrada (SGI), e é considerado um dos principais elementos, pois dá o direcionamento e as orientações para uma administração. Segundo o consultor da Prefeitura de Aracaju, Julio Filgueira, o PE tem como objetivo contribuir na correta administração dos recursos disponíveis e na eficiência dos serviços públicos.

“O principal benefício é organizar os recursos disponíveis – financeiros, estruturais e humanos – para não ter dispersão e uso irracional na utilização destes recursos, que invariavelmente são escassos, porque permanentemente a Prefeitura de Aracaju lida com a escassez. Nesse sentido, o planejamento contribui para otimizar e melhorar a qualidade do uso dos recursos disponíveis”, afirmou.

De acordo com a coordenadora de Planejamento Estratégico da Prefeitura de Aracaju, Fernanda Moura, o PE permite antecipar e prevenir situações de risco e ameaças, que podem comprometer as ações de um programa de governo e, ao mesmo tempo, desenvolver ações de mitigação e ações de resposta a problemas emergentes.

“Quando uma instituição não tem um PE, toda a gestão seria de crise, só para reagir e atuar sobre problemas e fenômenos emergentes, inclusive problemas por mau planejamento, ou seja, tudo seria urgente e a Prefeitura não teria como programar as ações de governo”, disse.

Sistema de Gestão Integrada

Além do PE, há outros elementos fundamentais no SGI. O primeiro é o sistema de monitoramento do plano, que permite acompanhar e avaliar constantemente todos os processos de execução dos projetos. O objetivo é que os gestores saibam para onde está indo o plano, que medidas corretivas devem ser feitas, conhecer o alcance daquilo que se pretende fazer, e se a Prefeitura está mantendo o alinhamento com aquilo que é estratégico.

O segundo elemento é capacitação, formação e aperfeiçoamento das pessoas envolvidas. Há uma constante preocupação pela instrução profissional dos funcionários da Prefeitura. Este processo já envolveu mais de 100 oficinas, entre reuniões, palestras, seminários e cursos, entre outras atividades.

O terceiro elemento é o suporte ao processo de decisão da Prefeitura de Aracaju, que funciona basicamente para assessorar ao prefeito na acertada tomada de decisões. Nesse aspecto, o consultor Júlio Filgueira destaca o compromisso do prefeito Edvaldo Nogueira, e sua equipe de trabalho com o planejamento da cidade.

“Eu afirmo, sem dúvida nenhuma que a experiência de Aracaju é de uma cidade madura, pois já colhemos os primeiros frutos. Há uma empolgação dos gestores com processos de planejamento, sincronia total e engajamento das equipes da Prefeitura. Não duvido que o trabalho que está sendo feito aqui vai se irradiar para outras cidades, e Aracaju será referência no país”, ressaltou o consultor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *