Para fazer cumprir decreto, Prefeitura mantém intensificadas as fiscalizações no comércio

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Defesa Social e da Cidadania (Semdec), mantém intensificadas as ações diárias de fiscalização para o cumprimento dos decretos de enfrentamento à covid-19, estabelecidas em decreto, que determina o não funcionamento de estabelecimentos comerciais que não são essenciais, como bares, restaurantes e mercearias. 
De modo estratégico, as ações começaram no final de março e, até segunda-feira (18), 676 estabelecimentos comerciais foram fiscalizados, sendo que, desses, 133 foram interditados, 331 receberam orientações para corrigir algum tipo de conduta, e 128 foram notificados e receberam ordem para fechar e corrigir comportamentos que infringem os decretos. 
Entre as localidades onde a ação já foi desenvolvida estão os shoppings localizados nos bairros Jardins e Coroa do Meio, além dos bairros Jabotiana, Centro, Jardins, Siqueira Campos, Farolândia, São Conrado, Bugio, Aruana, dentre outros.
Toda a ação é realizada pela Defesa Civil e Guarda Municipal, em parceria com as equipes do Programa Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon Aracaju) e da Vigilância Sanitária, o que facilita a ampliação das ações de fiscalização e orientação à população sobre as medidas previstas para evitar aglomerações e reduzir a circulação de pessoas na cidade.
Critério O secretário da Defesa Social e da Cidadania, Luís Fernando Almeida, explica que a escolha dos bairros é feita seguindo os resultados do Boletim Epidemiológico divulgado diariamente pela Secretaria Municipal de Saúde, além das localidades onde há uma aglomeração maior de pessoas. “A escolha é sempre feita na véspera, levando em consideração o Boletim Epidemiológico, os locais onde já visitamos e os locais onde há grandes aglomerações, como o Centro Comercial de Aracaju”.
Nesta terça-feira, 19, revela o secretário, a fiscalização ocorreu no bairro Siqueira Campos, na zona Oeste da capital, onde há uma atividade comercial relevante. “Hoje, nós estivemos no bairro Siqueira Campos, utilizando, inclusive, um drone para observar algum tipo de aglomeração”, diz, ao sublinhar que não está havendo resistência das pessoas na hora da fiscalização, no entanto, o que chama a atenção é a reincidência das notificações. 
“Nós não vemos resistência por parte da população, ou seja, não há conflito, até porque a gente chega com a Guarda Municipal, o Procon, e conversa, fazendo as devidas orientações. Mas há muita reincidência, ou seja, a pessoa fecha o estabelecimento no momento da fiscalização e, no dia seguinte, abre novamente”, relata Luís Fernando, ao lembrar que, em duas inspeções, a Semdec recebeu apoio da Polícia Militar.
O secretário afirma ainda que, enquanto os decretos emergenciais estiverem em vigor, as ações seguem de forma intensificada e planejada, sempre em sincronia com os demais órgãos subordinados à Semdec. 
“A população precisa dar cumprimento ao decreto tanto estadual quanto municipal para evitar aglomerações. A importância disso é diminuir a taxa de contágio para que as autoridades de saúde consigam dar um tratamento adequado. Nós pedimos a compreensão da população para diminuir a curva de contágio do vírus. Que as pessoas fiquem em casa”.  

Comente: