Obras públicas realizadas à noite custam mais caro e podem causar prejuízos

As principais avenidas de Aracaju passam por obras de recapeamento asfáltico e, com isso, a mobilidade urbana acaba sendo afetada diretamente. Trechos das vias são interrompidos provisoriamente e, consequentemente, o fluxo do trânsito tende a ficar mais lento nos horários de pico, quando a circulação de veículos é maior.

Diante disso, surge o questionamento acerca dos motivos pelos quais a Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb) – executora de tais serviços em Aracaju -, não realiza essas obras durante o período noturno, quando o fluxo nas vias é reduzido.

Uma das principais razões para a não realização de obras de recapeamento à noite é a qualidade da execução do serviço.  Falta de iluminação durante à noite, por exemplo, dificulta a visibilidade e pode causar prejuízos no acabamento do asfalto e em diversas instalações, especialmente das redes de drenagem.Além da preocupação técnica com a execução da obra, há o receio em não incomodar a população que reside no entorno dos locais onde são executadas. A Lei Municipal 2.410, de 17 de junho de 1996, proíbe qualquer emissão de ruídos que atrapalhem o bem-estar dos cidadãos.

Outro ponto contrário é o considerável aumento dos custos financeiros para execução dos serviços nesse turno. Ao licitar um obra de recapeamento, considera-se o custo da mão de obra empregada durante o horário comercial, mais barata que a disponibilizada no período noturno.

Por isso, somente em casos  que requerem urgência ou em situação atípicas, a Prefeitura de Aracaju executa serviços de recapeamento à noite, o que não é o caso, por exemplo, dos serviços nas avenidas Francisco Porto e Gonçalo Rollemerbg Leite (Nova Saneamento), finalizados nesta semana, e das obras dos corredores de transportes Beira Mar, Centro/Jardins e Augusto Franco.

De acordo com o secretário municipal da Infraestrutura, Sérgio Ferrari, apesar de todo o transtorno que obras como essas podem causar, o beneficio, ao final, é bem maior. Deste modo, para minimizar os transtornos temporários, a Prefeitura mantém, nas avenidas que estão sendo recapeadas, agentes de trânsito para orientar condutores e pedestres.

O prefeito Edvaldo Nogueira, ao acompanhar o início do recapeamento na Nova Saneamento, em agosto, pediu clareza aos cidadãos. “Causa um transtorno grande essas obras, mas pedimos a compreensão da população. Atuaremos para minimizar o impacto no trânsito e em breve, com a conclusão das obras, teremos um grande benefício para todos”, ressaltou.

Comente: