“Não se pode fazer política com o sofrimento alheio”, diz Jackson ao autorizar construção do Hospital do Câncer

O investimento na obra é de quase R$ 60 milhões. Já foram investidos outros R$ 14 milhões com a terraplanagem. Ao final, o investimento total será superior a R$ 126 milhões, quando somado ao montante o valor dos equipamentos necessários para funcionamento da unidade especializada.

 

O investimento de R$ 59.699.504,74 no Hospital do Câncer proporcionará que usuários do Sistema Único de Saúde tenham acesso a tratamento ampliado, com recursos tecnológicos mais modernos, e atendimento mais humanizado

O governador Jackson Barreto escreve um novo capítulo na história do tratamento oncológico em Sergipe com a assinatura, realizada nesta quinta-feira, 16, de ordem de serviço para construção do Hospital do Câncer Governador Marcelo Déda Chagas. O investimento de R$ 59.699.504,74 proporcionará que usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) tenham acesso a tratamento ampliado, com recursos tecnológicos mais modernos, e atendimento mais humanizado.  No total, são mais de R$ 126 milhões investidos no projeto, terraplanagem, prédio e equipamentos.

Os ensinamentos do Papa Francisco permearam o discurso do governador Jackson Barreto durante a solenidade. “Estamos falando de misericórdia, de amor à vida, de fraternidade. Ninguém fez mais pelo combate ao câncer que os grupos que estão aqui reunidos. Esses grupos fazem com o coração e por amor ao próximo e praticam os ensinamentos cristãos do Papa, que coloca misericórdia em primeiro plano. Hoje é um dia histórico para Sergipe. Uma obra há muito tempo esperada e sonhada pela população sergipana, principalmente aquelas pessoas que sofrem desse terrível mal que é o câncer. É uma luta muito grande, uma caminhada demorada e sofrida, mas hoje estou aqui feliz por, graças a Deus, lançarmos essa obra, que já teve o início dos trabalhos com a terraplanagem, através de investimentos de cerca de R$ 14 milhões. Agora, com os recursos já definidos através de duas emendas da bancada federal de senadores e deputados, vamos dar a ordem e serviço. A construção já começa hoje, de forma imediata. É um investimento de quase R$ 60 milhões para que esse hospital seja concluído. Com todos os equipamentos necessários, teremos que ter mais investimentos, cerca de R$ 51 milhões. Ou seja, ao final, o hospital pronto e equipado será resultado de investimento de R$ 126 milhões. Teremos uma obra extremamente moderna. É um projeto que considero extremamente revolucionário”.

Jackson destacou que a obra homenageará Marcelo Déda. “O hospital levará o nome do saudoso Marcelo Déda. Sou testemunha de como essa doença humilha as pessoas, pois convivi com esse problema na minha casa, com o meu saudoso irmão, Jugurta Barreto. Espero poder chegar até o final do mandato com essa obra bastante avançada. Hoje, a vitória é de todos que sonharam para que Sergipe tivesse o Hospital do Câncer. Esse hospital é um sonho do Essa luta é em favor da vida, não pertence ao governador do Estado, nem a nenhum político. Pertence a quem tem solidariedade. Não se pode fazer política com o sofrimento alheio. A luta contra o câncer é a luta da solidariedade, é a luta do amor. Aqueles que têm coração precisam compreender que na hora do sofrimento, os partidos, os políticos, as siglas, as eleições ficam de fora e se discute a vida. Por isso que estamos aqui”.

Acompanhado de representantes do Gacc, Amo, Case e outras instituições filantrópicas que trabalham com pacientes oncológicos, o governador destacou a importância das entidades. “Dedicamos esse ato aos profissionais da oncologia e a todos os representantes de instituições filantrópicas que cuidam de pacientes com câncer”.

O Hospital do Câncer terá dois aceleradores lineares, dois bunkers de radioterapia, e tratamento em braquiterapia, ampliando o atendimento e suporte oncológico ofertados em Sergipe. Serão disponibilizados, também, unidade para internação para adultos e crianças com capacidade para 120 e 30 leitos, respectivamente, Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e de quimioterapia adulta e infantil com capacidade para 10, 41 e 20 leitos, cada. Haverá, ainda, seis centros cirúrgicos. Dos 46.300 m² de área do hospital, 27.800 m² serão de espaço construído, com cinco pavimentos.

Para o secretário de Estado da Saúde, Almeida Lima, o Governo do Estado marca um grande tento em benefício da sociedade com a assinatura desta manhã. “A construção dessa unidade hospitalar é da mais alta importância para todos. Vivemos uma problemática muito grave, não apenas em Sergipe, como em todo país, que é a falta de estrutura médico hospitalar para atendimento dos pacientes que padecem do câncer. Uma unidade especializada desta grandeza é, sem dúvida, motivo para regozijo e para estarmos alegres, tendo em vista que estamos nos preparando cada vez mais para o enfrentamento dessas questões graves de saúde, sobretudo do estado de Sergipe”.

A vice-prefeita de Aracaju, Eliane Aquino, que, no evento, representou o prefeito Edvaldo Nogueira, falou da alegria ao presenciar o primeiro passo para concretização da obra do hospital. Eliane, viúva de Marcelo Déda, por coincidência, faz aniversário neste dia e considerou a assinatura da obra como um presente.

“Quero agradecer esse grande presente. Você, mais uma vez me dá o maior presente que eu poderia ganhar. Hoje seria extremamente egoísta se eu falasse apenas como vice-prefeita ou simplesmente pela família de Déda. Hoje estou falando como população e pelas famílias que vivenciam ou vivenciaram a doença. Quando eu vi que a data seria hoje, pensei que daria certo. A honra e a garra de Déda para que isso se materializasse vai estar na alma de cada operário. Esse hospital vai trazer muitas bênçãos e saúde para nosso povo. Acredito que esta será uma grande obra, mas não só do ponto de vista físico, como de vida, de saúde. É um local onde teremos vários profissionais extremamente competentes e que farão, aqui, a salvação de muitas vidas. Espero que o mais breve possível estejamos aqui para inaugurar essa obra. Estou muito feliz. Tenho certeza que onde quer que Déda esteja, estará muito feliz”.

Para a coordenadora da oncologia do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), Meire Jane Oliveira, com as melhorias na área da saúde em Sergipe, haverá assistência ampliada, além de atendimento mais humanizado. “Percebemos que o Governo do Estado está se mobilizando e quer fazer o Hospital do Câncer acontecer, e estamos muito felizes por ver esse momento da assinatura da ordem de serviço. Para nós, é uma realização de um sonho, de modo que estamos torcendo por essa obra. Nessa unidade de atendimento oncológico, teremos estrutura física bem mais adequada e com conforto”, pontuou.

A física-médica do setor de Radioterapia do Huse, Katiucia Bomfim, acredita que o Hospital do Câncer será uma unidade de saúde modelo. “Essa estrutura do Hospital do Câncer vai acrescentar, e muito, aos tratamentos dos pacientes oncológicos. Com a construção dele, vamos atender muito mais gente. Vai ser um local composto não só pela área de radioterapia, como de oncologia clínica, internamento, atendimento de urgência de pacientes da casa, enfim, vai ser algo maravilhoso”, comentou.

A variedade de serviços que serão oferecidos pelo Hospital Especializado em Câncer Governador Marcelo Déda Chagas, realmente, será ampla. A unidade de saúde terá ambulatório de todas as especialidades; unidades de emergência, fisioterapia, ambulatorial e laboratorial; centro de tecnologia para transplante de medula; ressonância magnética; unidades de cintilografia e mamografia, tomógrafo e radiografia. Serão três andares destinados a internamento, dois para adultos e um para crianças, que contará com espaço lúdico e brinquedoteca. O hospital funcionará como porta de urgência para pacientes oncológicos e todos os usuários com complicações terão acesso direto à unidade.

Ao fim da construção das instalações físicas, o Governo do Estado efetuará a aquisição dos equipamentos para o funcionamento do hospital. A Secretaria da Saúde estima que será necessário investimento de R$ 51.237.122 e já começa viabilizar os recursos para equipamentos e custeio.

Representantes de instituições consagradas no estado pelo atendimento aos pacientes com câncer, como a Avosos, Amo, Gacc, Legião Feminina, Mulheres de Peito e Aaacase estiveram na solenidade e explicaram o valor que esta obra tem para todos que enfrentam ou têm familiares com a doença.  “É um Hospital esperado há muito tempo. Viemos para aplaudir, fiscalizar e cobrar e para que obra saia realmente saia no prazo. Com certeza esse hospital vai ser referência no estado. Vamos ter o Huse, o Cirrurgia e o Hospital do Câncer”, disse a representante do grupo Mulheres de Peito, Sheyla Galba.

A presidente da Associação de Apoio aos Adultos com Câncer do Estado de Sergipe (Aaacase), Neide dos Santos, falou da necessidade de o tratamento ser tratado com mais seriedade. “O Hospital vem em boa hora. Esse é um dia feliz para toda a população sergipana. Espero que não seja só esse dia alegre e que esse hospital venha trazer muita felicidade para todos , que realmente essa construção aconteça e que seja rápida, pois são muitas as necessidades. A população está clamando pelo tratamento do câncer, pois o câncer está crescendo de maneira assustadora.

Hospital

A assinatura da ordem de serviço é o segundo passo para concretizar a implantação do Hospital do Câncer. A primeira etapa teve início com a realização das obras de terraplenagem do terreno, localizado no Centro Administrativo Governador Augusto Franco. Esta fase correspondeu a um investimento total de R$ 14.532.861,24, recursos do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados (Proinveste).

A realização da terraplenagem dotou o terreno de condições para receber fundações profundas em estaca, onde será erguido o hospital com estrutura em concreto armado e alvenaria. O revestimento da unidade hospitalar será em cerâmica, com pisos de alta resistência, conforme o ambiente. Todo o hospital será climatizado.

De acordo com o secretário de Estado da Infraestrutura, Valmor Barbosa, a previsão é que a obra do Hospital Especializado em Câncer Governador Marcelo Déda Chagas, seja finalizada em três anos. “Hoje, damos ordem de serviço para construção dessa obra, com previsão de duração para três anos. Todo mundo sabe os problemas e obstáculos que enfrentamos, que no Brasil a burocracia é além do necessário. Mas não vamos olhar, hoje, para o retrovisor. O importante é que temos um dia novo. Uma etapa nova, e vamos aproveitar essa oportunidade para que possamos acelerar essa obra e, no prazo estipulado, ou até antes, entregar essa intervenção. Vamos chamar essa etapa de segunda fase. A primeira foi a terraplanagem. Transportamos material do Morro do Avião, que foi necessário tirar para ampliar a pista do aeroporto, fizemos todo o tratamento do solo, com substituição em área pouco estável, e todo o tratamento dessa área”.

Valmor ressaltou que pela representatividade da obra, esse projeto de governo terá uma atenção ainda maior. “Esta obra tem uma característica sentimental. Nosso desafio maior e a expectativa da população é entregá-la dentro do cronograma ou até antes. Tenho 30 anos de serviço público e formação em Engenharia Civil, já enfrentei muitos problemas e obras maiores, mas, do ponto de vista social, do ser humano, da cobrança e do sentimento da população, essa é a maior obra. Não podíamos adiantar o processo, iniciá-la ultrapassando os limites da legalidade e as normas legais. Vamos trabalhar para cumprir o cronograma. Peço ajuda de todos para que não tenhamos problemas pela frente”.

O secretário lembrou ainda que a obra, cujo projeto inicial foi idealizado por Marcelo Déda, dialogará com outra obra que está sendo finalizada pelo Governo do Estado na região da Zona Oeste da capital: o Sistema Viário do Centro Administrativo Governador Augusto Franco, um investimentos no valor de R$ 18.726.873,43, também oriundos do Proinveste. “É uma das obras mais importantes do governo. Estamos realizando o sonho de Marcelo Déda. Uma obra moderna, que dialoga com o Centro Administrativo e que amenizará o sofrimento dos pacientes”, destacou.

O acesso ao Hospital do Câncer será pavimentado com asfalto e o estacionamento contará com 560 vagas para veículos, 120 para motos, 15 destinadas a pessoas com deficiência e cinco para táxis. O Hospital terá, ainda, um auditório com capacidade para 110 pessoas, unidade de ensino e pesquisa, cozinha industrial e refeitório com capacidade para 130 pessoas, almoxarifado e central de abastecimento farmacêutico.

Para suprir o hospital da infraestrutura necessária para seu funcionamento, será implantada uma rede de distribuição de água com dois reservatórios com capacidade total para 700.000 litros. Será instalada uma subestação de energia, além de sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA), sistema de prevenção e combate a incêndio e circuito fechado de televisão.

Bunker

Para colaborar de forma mais rápida no tratamento de pacientes oncológicos, o Governo do Estado finaliza a construção do novo bunker, espaço onde será instalado mais um acelerador linear do Hospital de Urgência de Sergipe. O investimento é de R$ 2.129.997,03, recursos do Ministério da Saúde. Com isso, o Centro de Oncologia do Huse receberá mais um equipamento de radioterapia que irá juntar-se ao atual aparelho 3D, instalado há mais de 16 anos.

Durante a solenidade, o governador Jackson Barreto explicou o atraso na conclusão do projeto.“Estamos há dois anos lutando para implantar um novo bunker no Huse. Quando o ministro da Saúde esteve aqui, mês passado, prometeu mandar a base do acelerador linear e me disse pessoalmente que tinha duas e enviaria uma. Estamos aguardamos porque os equipamentos são todos do Ministério da Saúde. É bom explicar para que todos saibam porque a obra não anda. Estamos fazendo nossa parte”, afirmou.

Segundo a coordenadora da oncologia do Huse, o novo aparelho é aguardado não só pelos usuários, como pelo corpo clínico do hospital. “Torcemos tanto quanto os pacientes. Acredito que esse bunker vai ser um marco na história de Sergipe na área de saúde”. Já para Katiucia Bomfim, a chegada de novo equipamento abre possibilidade para diminuição da fila de espera no tratamento em radioterapia.

A construção do bunker já está em fase conclusão, atingindo 70% da parte civil. De acordo com a coordenadora de infraestrutura da Fundação Hospitalar de Saúde (FHS), Claudimara Carvalho, as últimas etapas são o acabamento e a chegada de equipamentos. A previsão de entrega da obra é para o final do primeiro ou início do segundo semestre deste ano.

No último dia 09 de fevereiro, o governador Jackson Barreto esteve com o secretário executivo do Ministério da Saúde, Antônio Carlos Nardi, e solicitou o envio da base do acelerador linear, que está sendo construído no Huse, e dois tomógrafos para o setor de Radiologia do Hospital de Urgências de Sergipe. Na ocasião, Nardi se comprometeu a auxiliar Sergipe em seus pleitos.

Huse

Referência em Sergipe no atendimento oncológico, o Huse realizou, em 2016, nesse setor, 31.395 atendimentos gerais, envolvendo tratamento em radioterapia, quimioterapia, realização de consultas, exames e cirurgias, sendo uma média de 2.612 atendimentos por mês. As estatísticas foram informadas pela coordenadora da oncologia do hospital, que acrescenta que, houve aumento de 20% de tratamento ofertado com relação aos anos de 2015 e 2016.

Também, em 2016, conforme dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES), foram realizadas, no Huse, através do Sistema Único de Saúde (SUS), 11.230 sessões de radioterapia, 253 de braquiterapia, 534 cirurgias oncológicas e 12.438 sessões de quimioterapia em adultos e 1.611 em crianças.

A coordenadora Meire Jane conta que o setor de oncologia conta com corpo profissional multidisciplinar, contendo, por exemplo, servidores das áreas de Fisioterapia, Serviço Social, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia e Terapia Ocupacional. Ela ainda destacou que, para o tratamento em quimioterapia, não há fila de espera.

O Hospital de Urgências de Sergipe registrou, nos últimos anos, investimento de mais de R$ 40 milhões em reformas e adequações, com intervenções que incluíram o Centro de Oncologia e Radiologia. Com essa reestruturação, por exemplo, o número de leitos para quimioterapia para adultos foi de 20 a 27. A quimioterapia infantil tem sete leitos.

Comente: