Mutirões da Prefeitura para combater o Aedes têm reduzido risco de infestações nos bairros

Por intermédio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), a Prefeitura de Aracaju, realiza, todos os sábados, mutirões de combate ao Aedes aegypti, mobilização que faz parte do Plano de Intensificação das Ações de Combate ao mosquito, lançado em junho deste ano.

Dentro desse plano, foram estabelecidas cerca de 20 diretrizes que objetivam, sobretudo, prevenir e controlar processos epidêmicos e evitar a ocorrência de mortes e complicações derivadas de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Na linha de frente das ações, os mutirões têm trazido resultados expressivos para a redução dos índices de infestação (presença do mosquito) e incidência das doenças.

Até o momento, foram realizadas atividades em 27 bairros de Aracaju, sendo que 13.050 imóveis foram visitados, nos quais foram eliminados 761 criadouros e 289 foram tratados. A escolha do bairro que vai receber o mutirão tem como critério de seleção no mínimo uma notificação de caso de dengue confirmado e o valor do Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa).

No mais recente LIRAa do ano, divulgado pelo prefeito Edvaldo Nogueira no dia 13 deste mês, foi registrada uma queda de 46% em relação ao anterior, apresentado no mês de julho. Esse quinto levantamento foi o primeiro compilado mais expressivo depois que a gestão municipal deu início ao Plano de Intensificação de Combate ao Aedes aegypti.

De acordo com o quinto LIRAa, o índice de infestação na capital sergipana passou de 2,6, em julho, para 1,4, em setembro, o que ainda é considerado médio risco. Dos 43 bairros, 18 estão com baixo risco de infestação (42%) e 25 estão com médio risco.

Diferente do levantamento anterior, nenhum bairro está com alto risco de infestação. No quarto LIRAa, os bairros Olaria, José Conrado de Araújo, Industrial, Santo Antônio, Dom Luciano e Pereira Lobo apresentaram o índice predial acima de 4, considerado de alto risco. Os índices registrados nestes bairros foram de 7,2; 7,2; 7; 7; 4,1 e 4, respectivamente.

Já no último levantamento, os resultados foram mais estimulantes. Em setembro, foi registrado o índice de 0,2 no bairro Olaria; 1,4 no bairro José Conrado de Araújo; 3,3 no bairro Santo Antônio; 3,2 no bairro Industrial; 2,0 no Dom Luciano; e apenas no Pereira Lobo a redução não foi tão expressiva e foi registrado o índice de 3,5.

A redução apresentada é resultado, justamente, da intensificação das ações, sobretudo dos mutirões realizados aos sábados, em especial nos bairros que, no quarto LIRAa, apresentaram alto risco de infestação. De julho até o final de agosto, os mutirões passaram pelos bairros Japãozinho, Santa Maria, Olaria, José Conrado de Araújo, Santo Antônio, bairro Industrial, Dom Luciano, Pereira Lobo e Cidade Nova.

Mesmo com redução registrada no LIRAa, a Prefeitura segue intensificando as ações e, no último sábado (21), as equipes voltaram ao bairro Pereira Lobo. A escolha do bairro, pela segunda vez, se deve aos últimos dados que apontam um índice de médio risco na localidade, fazendo-se necessário mais um mutirão de ações para tentar baixar este indicador.

Parceria intersetorial

Parte do resultado positivo é fruto da ação intersetorial. A cada sábado, além da SMS, os mutirões contam com equipes da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), que atua com agentes de limpeza; a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema) que utiliza a tecnologia para monitorar a região que recebe os mutirões, com auxilio de um drone; a Secretaria Municipal da Defesa Social (Semdec), presente por meio da Defesa Civil de Aracaju e da Guarda Municipal de Aracaju (GMA); como também outras secretarias e órgãos municipais que participam cedendo funcionários e servidores para auxiliarem na tarefa de conscientização, por meio da panfletagem.

Comente: