Morte de policial é elucidada em menos de 12h

c8a5bff9-5c18-c82aNa noite desse sábado, 8, policiais civis do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), prenderam em flagrante Andrea Santos Coelho, pelo homicídio cometido contra o policial militar Jeová Santos, ocorrido no Parque dos Faróis, e apreenderam  o filho dela de 12 anos pela prática de ato infracional análogo ao mesmo crime.

 

Segundo as investigações conduzidas pela delegada Juliana Alcofarado, a vítima e a esposa Andréa enfrentavam crise conjugal por conta de traições. Essa, havia sido a motivação para arquitetar com os filhos a morte do cônjugue. Cleverton Coelho Santos, 19, contumaz em prática de assaltos e traficante de drogas, filho de Andréa com outro companheiro, saiu da casa da vítima expulso há cerca de dois meses por causa de seu mau comportamento.

Foragido Cleverton Santos“Ele apenas visitava a Sra. Andréa escondido quando Jeová não estava em casa, e então, após notícia de um empurrão que a mãe supostamente tomou há alguns dias, planejou com a mesma e seu irmão de apenas 12 anos a morte do padrasto. Eles combinaram que Cleverton adentraria a casa para executá-lo num dia em que ele se encontrasse sob efeito de álcool e dormindo. Acordaram que o portão da frente ficaria aberto e que a fuga se daria pelos fundos, onde uma escada já estava a postos para facilitar a subida pelo muro alto”, detalha a delegada.

Policiais civis, da 4ª Divisão do DHPP, perceberam ao analisar o local do crime, que o executor conhecia bem a rotina da residência e o local onde a arma da vítima ficava guardada. Passaram então, a questioná-los e ambos admitiram a prática criminosa e todo o planejamento da mesma junto com o Cleverton, que não foi localizado.

Ainda de acordo com os relatos de Juliana Alcoforado, na tarde do sábado, 8, a vítima saiu para beber e somente retornou por volta das 17 horas, deitando-se na cama para dormir. A suspeita então esperou o filho menor chegar em casa e mandou que fosse até o irmão Cleverton comunicá-lo de que o plano poderia ser executado naquele momento. O adolescente foi em busca do irmão numa “boca de fumo” ali perto, onde ele vinha pernoitando e o avisou, então aguardou a consumação do crime.

“Cleverton entrou na casa fazendo uso de um revólver supostamente emprestado e executou a vítima deitada na cama, dormindo, sem qualquer chance de defesa. Em seguida, ele subtraiu a arma, pistola .40, da vítima, que ficava guardada no guarda-roupas, e se evadiu pelos fundos, como combinado. A Sra. Andréa então saiu pelas ruas pedindo ajuda aos vizinhos fingindo um suposto assalto. O menor só retornou para a casa alguns instantes depois”, relata a coordenadora do DHPP.

Após horas de interrogatório, a dupla confessou a prática criminosa, e a mulher justificou que foi motivada pelo fato de não querer a separação.

A Polícia Civil enfatiza que a população pode utilizar o canal do Disque-Denúncia (181), para denunciar anonimamente sobre a localização de Cleverton Santos.

Comente: