Junto aos feirantes, Emsurb reforça necessidade do uso adequado de balcões frigoríficos

Nesta terça-feira, 23, fiscais da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb) estiveram na feira livre do bairro 13 de Julho (Batistão), zona Sul da cidade, para fazer a entrega de comunicado aos feirantes com orientações para o cumprimento de medidas sanitárias por meio do correto acondicionamento dos produtos de origem animal e laticínios. 
Esta ação ocorrerá nas feiras da cidade, administradas pela Prefeitura de Aracaju, que já se apresentam com novo formato e equipamentos: Aruana (Costa Nova), 18 do Forte, Jabotiana, Grageru, Santos Dumont, Suíssa, Coqueiral, dos conjuntos Castelo Branco e Orlando Dantas.
Desde o início do implantação da nova estrutura das feiras, em 10 de março passado, alguns feirantes apresentaram resistência à forma de adequação dos produtos dentro dos balcões frigoríficos. Diante da situação, a Emsurb começou a adotar medidas mais rígidas e, a partir da entrega deste comunicado, caso persista o não atendimento das orientações, o alvará de comercialização será cassado, impossibilitando a negociação de produtos, pelo respectivo feirante, em qualquer umas das feiras realizadas em espaços públicos da capital.
O presidente da Emsurb, Luiz Roberto Dantas, ressaltou que, o processo de readequação das feiras representa a preocupação, por parte da gestão municipal, em oferecer mais segurança e condições sanitárias aos próprios comerciantes e também para os consumidores. “A iniciativa tem atendido às expectativas de grande parte da população. Além disso, é a concretização do trabalho de reorganização desses centros de compras ao ar livre, iniciado pela gestão do prefeito Edvaldo Nogueira, ainda em 2018”, ressaltou o presidente. 
A negociante  de carnes, Alda Maria Valença, se comprometeu em adequar os itens de sua banca dentro dos balcões frigoríficos e reconheceu a importância da nova estrutura. Ela comercializa nas feiras do Batistão e do bairro Suíssa. “Os clientes aprovaram a iniciativa. Então quem vende precisa se organizar”, disse Roberto José dos Santos, feirante há 30 anos. 
Frequentadora assídua da feira livre do Batistão, dona Sônia Rosa Nogueira fez elogios à nova estruturação promovida no espaço. “Agora, com os balcões, fico mais tranquila na hora de comprar carne, frango e outros produtos. Também me sinto mais segura com relação às providências tomadas para prevenir a disseminação pelo novo coronavírus. De um modo geral, a feira está um espetáculo, chegou a um nível de 100%”, disse.

Comente: