“Jackson foi fundamental para garantir a nossa vitória”, diz Edvaldo Nogueira

Governador Jackson Barreto participa da posse dos novos prefeito e vice-prefeita de Aracaju, na sede do Tribunal de Justiça de Sergipe

O governador do Estado de Sergipe, Jackson Barreto, participou, na tarde do dia 1º de janeiro, da posse do novo prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, e da vice-prefeita eleita, Eliane Aquino, perante a Câmara Municipal, para o mandato de 2017 a 2020. A solenidade ocorreu no Auditório Governador José Rollemberg Leite, no Tribunal de Justiça de Sergipe – TJSE, localizado na Praça Fausto Cardoso, e contou com a presença de diversas lideranças políticas e da população aracajuana.

De acordo com o governador, a tarefa do prefeito eleito não será nada fácil. “Vim hoje prestigiar a posse de Edvaldo Nogueira, pedindo a Deus e ao Bom Jesus dos Navegantes, muita alegria, tranquilidade, paz e serenidade para o novo prefeito. Que ele possa fazer uma boa administração e que, junto à equipe que escolheu, possa ter sucesso, pois ele vai precisar de muita paciência para enfrentar todos os desafios que estão por vir”, analisou.

Entretanto, Jackson disse que o bom diálogo com a Câmara é um sinal de que com união, qualquer desafio pode ser cumprido. “A eleição de Nitinho para presidente da Câmara é uma prova de que uma boa relação é sempre benéfica para a sociedade. A escolha da chapa para o comando da casa levou em conta a pluralidade, e a sociedade também deve seguir esse exemplo e se unir. Chaga de discursos de ódio e de apontar as diferenças. O momento agora é de juntar as forças e trabalhar muito em prol da nossa querida Aracaju”, declarou.

Declaração que o prefeito Edvaldo reforçou. “A mesa diretora da câmara é nossa aliada. Mas, apesar do vereador Nitinho estar na nossa coligação, há também dentro do comando vereadores não faziam parte desse apoio, o que é algo importante, já que a mesa não pode ser apenas de um partido. Ela tem que ser plural, refletindo a composição da Câmara. Fico feliz com os diálogos que já foram feitos, pois tenho certeza que a partir deles, haverá uma grande parceria entre a Prefeitura de Aracaju e a Câmara Municipal, sempre mantendo a independência em relação ao poder executivo, o que é vital para o bom funcionamento do nosso legislativo”, ressaltou.

Reconhecimento

Segundo Edvaldo Nogueira, o retorno dele à prefeitura significa que a população de Aracaju aprovou sua antiga gestão e seus novos projetos. “O povo reconheceu que eu trabalhei muito em benefício da nossa cidade, que sempre agi com ética, e que consegui melhorar vida da cidade de Aracaju. Infelizmente, nesses últimos quatro anos, houve um grande declínio e o caos tomou conta da cidade. Mas o povo decidiu pela minha volta, acreditando que eu sou capaz de reconstruir a Capital da qualidade de vida”, disse.

O prefeito eleito afirmou que, além disso, não teria conseguido êxito nesse projeto se não fosse pelo apoio de Jackson. “A capacidade de liderança, a sabedoria política, o potencial de trabalho e a humildade do governador foram fundamentais para unir nosso agrupamento político em torno do meu nome, e para garantir a nossa vitória em um tempo especialmente difícil para as forças progressistas. A militância incansável que ele demonstrou, indo de porta em porta, foram essenciais para assegurar que a cidade, que outrora ele governou de forma inesquecível, não caísse, mais uma vez, em mãos erradas. Eu só tenho a agradecer ao meu querido amigo Jackson Barreto”, elogiou.

Nova Equipe

Para a vice-prefeita eleita, Eliane Aquino, todos que farão parte da nova gerência municipal pretendem se esforçar ao máximo. “Estamos começando uma nova etapa de trabalho, de vida e de gestão. Montamos uma equipe muito coesa, que está com muita vontade de trabalhar e que tem muito otimismo. Sabemos de todas as dificuldades, mas estamos prontos para enfrentá-las. Lutaremos para arrumar a casa, pois como o orçamente é muito curto, é preciso muito empenho e criatividade para vencer o abandono em que se encontra a nossa cidade”, afirmou.

Quanto a escolha do secretariado do município, o governador afirmou que Edvaldo tem a experiência necessária para selecionar aqueles que querem o melhor para a Capital. “Edvaldo escolheu uma boa equipe de secretários, mas ele sabe que para funcionar de forma efetiva, uma equipe depende muito do seu comandante. Tenho certeza que ele comandará muito bem, pois experiência e vontade de trabalhar é o que não faltam. A palavra de ordem no momento é trabalho”, avaliou.

Secretariado do qual a própria Eliane fará parte, assumindo a Secretaria Municipal da Família e da Assistência Social (Semfas). “Eu gosto muito da área que envolve ações sociais, onde já atuei durante anos e tenho bastante experiência. Vou fazer o melhor possível e o meu principal projeto, a partir de agora, é cuidar das pessoas. Precisamos unir foças com toda a sociedade para que juntos possamos cuidar uns dos outros. Obras são essenciais, mas o ser humano é mais importante que qualquer outra coisa”, ponderou.

União que o prefeito Edvaldo também acredita ser vital para a resolução dos problemas que a Capital enfrentará. “Sei que as dificuldades serão imensas e que não vai ser fácil governar, mas eu tenho certeza que junto com a equipe que formei e com nossos aliados, gradativamente, vamos recuperar a dignidade do povo aracajuano. Pode demorar, mas nós vamos conseguir”, prognosticou.

Edvaldo Nogueira

Edvaldo Nogueira Filho nasceu em 25 de janeiro de 1961, em Pão de Açúcar, Alagoas, filho de Edvaldo Nogueira e de Dona Lourdes. É casado com Danusa Silva, pai de Maurício e avô de Julieta.

Aos 15 anos, Edvaldo mudou-se para Aracaju para cursar o segundo grau no Colégio Salesiano. Aprovado no vestibular para medicina, ingressou na Universidade Federal de Sergipe (UFS), e logo se destacou no curso, integrando a equipe do Dr. José Teles, cirurgião cardíaco respeitado em todo o país.

No entanto, a UFS lhe abriu outro caminho: o da luta social. O Brasil vivia sob a ditadura militar e a universidade era um foco de resistência democrática. Ingressou no PCdoB, destacando-se como liderança do movimento estudantil e, em 1984, foi eleito presidente do DCE. Essas convicções levaram Edvaldo, já no quinto ano de medicina, a deixar o curso para abraçar a luta popular. Em 1988, Edvaldo foi eleito vereador de Aracaju, e reeleito em 1992.

Em 2000, foi eleito vice-prefeito de Marcelo Déda para a Prefeitura de Aracaju, e reeleito em 2004. Em 2006, quando Déda se afastou para concorrer ao governo do estado, Edvaldo assumiu a Prefeitura.

Edvaldo deu continuidade ao projeto iniciado por Déda e foi reeleito no primeiro turno das eleições de 2008. Seu mandato foi marcado por obras importantes como a criação do bairro 17 de Março; o Viaduto do DIA; a Orla Pôr do Sol; a construção de 100 km de ciclovias e o cuidado com a cidade, tanto na zona Norte, como na zona Sul. Além disso, deixou concluída a nova ponte sobre o rio Poxim e iniciou a construção do Complexo Viário Marcelo Déda. Seu trabalho fez com que Aracaju fosse eleita como a Capital de melhor qualidade de vida no Brasil.

Entre 2015 e 2016, já no Governo do Estado, ele foi presidente da Agência Reguladora de Serviços de Sergipe (Agrese). Agora, ele voltou a se eleger Prefeito de Aracaju, tendo como Vice Eliane Aquino, com 146.271 votos, representando 52,11% do eleitorado.

Eliane Aquino

A vice-prefeita Eliane Aquino Custódio nasceu em Brasília, em 16 de fevereiro de 1971. É mãe de João Marcelo e Mateus. Quando era repórter fotográfica, trabalhou em assessorias da Câmara e do Senado Federal e conheceu Marcelo Déda Chagas, então deputado federal, em agosto de 1997.

Em 2000, quando Marcelo Déda se elegeu prefeito, mudou-se para Aracaju, onde iniciou o trabalho social da ‘Missão Criança’, ONG que se destacava em Brasília na promoção de ações em defesa e inclusão social de crianças, adolescentes e suas famílias. Em 2001, com o apoio do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Eliane Aquino passa a presidir a ONG ‘Missão Criança Aracaju’, que posteriormente tornou-se a OSCIP ‘Instituto Recriando’.

Seu trabalho social atendeu a milhares de meninos e meninas em situação de vulnerabilidade social, bem como suas famílias, a maior parte residente em áreas em situação de risco, com destaque para o bairro Santa Maria. Em 2006, durante o primeiro mandato de Marcelo Déda Chagas no Governo do Estado, afastou-se do Instituto.

No governo Marcelo Déda, Eliane assumiu a coordenação de um Gabinete Integrado, que articulava ações e desenvolvia projetos de inclusão social. Em 2010, na segunda gestão do governador, assumiu a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e do Desenvolvimento Social, na qual permaneceu até janeiro de 2015.

Após o falecimento de Marcelo Déda, fundou, em abril de 2014, o Instituto Marcelo Déda. No final do primeiro semestre de 2016, afastou-se do Instituto em virtude da campanha eleitoral, disputa em que saiu vitoriosa ao lado do atual prefeito, Edvaldo Nogueira.

Presenças

Durante a cerimônia de posse, estiveram presentes a deputada federal do PCdoB de Santa Catarina, Angela Albino, a presidente nacional do PCdoB, deputada Luciana Santos, o deputado federal Fábio Mitidieri, o novo presidente da Câmara Municipal de Aracaju, o vereador Nitinho, o reitor da Universidade Federal de Sergipe, Angelo Roberto Antoniolli, o secretário de Estado de Sergipe, Benedito Figueiredo, o vice-prefeito de Aracaju, José Carlos Machado, além de outras lideranças políticas e o padre Marcelo Conceição, representando o arcebispo de Aracaju, Dom José Palmeira Lessa.

Comente: