Investimentos no loteamento Pantanal representam o resgate da cidadania

Os investimentos feitos pela Prefeitura de Aracaju em infraestrutura e outras obras colocou a cidade na liderança das capitais que mais aplicou recursos em obras, projetos e serviços destinados à melhoria de vida dos cidadãos. O levantamento foi feito pelo portal de notícias G1 e repercutiu no Brasil inteiro por fazer um comparativo entre metrópoles que têm um maior poder econômico, mas que não investiu o suficiente, e foram desbancadas por capitais de médio porte, como Aracaju. O portal informou algo que os aracajuanos vêm acompanhando e aprovando nas políticas públicas adotadas pelo prefeito Edvaldo Nogueira em pouco mais de um ano e meio de gestão.

As obras estruturantes se espalham de norte a sul da cidade como, por exemplo, nos bairros Cidade Nova, Japãozinho, Coqueiral, Coroa do Meio, Atalaia, Santa Maria e 17 de Março. Em cada local, as marcas de uma administração comprometida com a qualidade de vida da população e de resolver os problemas relacionados à infraestrutura, saneamento básico, mobilidade e acessibilidade.

No loteamento Pantanal, localizado às margens do rio Poxim e parte do bairro Inácio Barbosa, a Prefeitura executa uma obra que pode ressignificar o ambiente socioeconômico do local, além de transformar antigas vielas em ruas pavimentadas e arejadas. Estão sendo implantadas rede de drenagem, distribuição de água e esgotamento sanitário, totalizando investimentos de mais de R$ 3,6 milhões em recursos conveniados entre a administração municipal e o Governo Federal. Também serão executadas a terraplenagem, pavimentação asfáltica de 12 ruas e construção de calçadas, melhorando a mobilidade dos veículos e a acessibilidade dos moradores.

Embora situado numa região valorizada, entre o Distrito Industrial de Aracaju (D.I.A) e a avenida Paulo VI, o local historicamente abriga uma população socialmente vulnerável e acaba por apresentar demandas que exigem do poder público maior compromisso com o local.

De acordo com Sérgio Ferrari, secretário municipal de Infraestrutura, a obra executada no Pantanal será imprescindível para correções estruturais que terão impactos na vida das pessoas. “Apesar do Pantanal ser classificado como Unidades de Assentamento Subnormais (UAS), fruto de um processo de loteamento irregular efetivado em terras que antes pertenciam à União, as 12 ruas do loteamento serão atendidas com equipamentos urbanos que mudarão a paisagem e vida daquelas pessoas”, afirma o secretário, completando que o Pantanal possui duas etapas: a mais antiga é conhecida como Vila do Rato e acompanha a margem direita do Poxim, enquanto na segunda, os traços de urbanização são mais evidentes.

Comente: