Hora do Planeta acontece neste sábado

Em sua 9ª edição, o ato simbólico promovido pela Rede World Wide Found for Nature (WWF), “Hora do Planeta”, pretende mais uma vez mobilizar a sociedade para as questões relacionadas ao aquecimento global, apagando suas luzes por 60 minutos. O ato acontece neste próximo sábado, dia 25 de março, às 20h30.
Aqui na capital, dois locais terão suas luzes apagadas: a sede da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Sema), situada na Avenida Pedro Paes de Azevedo, nº 853, Bairro Salgado Filho; e o Mirante da Treze de Julho, situado na Avenida Beira-Mar, Bairro Treze de Julho.
O secretário do Meio Ambiente, Cesar Viana, assinou a carta de adesão que oficializa a participação da cidade de Aracaju no ato. “É importante participarmos de um ato em que todos simbolizam sua preocupação com as questões ambientais, principalmente com o aquecimento global. Queremos que todos os aracajuanos também participem apagando as luzes de suas residências por 1h”, solicita o secretário.
O ato simbólico desperta o interesse das pessoas a cuidarem melhor do planeta, levando uma reflexão sobre a necessidade de combater o aquecimento global. Por isso é importante a participação de todos neste sábado, apagando suas luzes.
Histórico
De acordo com a WWF, em 2012, o “Hora do Planeta” alcançou um número recorde de mais de 6.525 cidades e municípios em 150 países e territórios. No Brasil, 580 monumentos tiveram as luzes apagadas em 133 cidades. No Nordeste, Aracaju foi a segunda capital a aderir ao alerta global, no ano de 2013.
Já no ano de 2015, as luzes de 626 ícones foram apagadas, reunindo mais de 4 mil pessoas em seu evento oficial na praia de Ipanema, Rio de Janeiro. A adesão de 185 municípios, incluindo todas as capitais e o Distrito Federal, marcou um novo recorde de participação de cidades brasileiras e foi a maior desde que a campanha começou a ser realizada no Brasil, em 2009.
Ainda segundo a WWF, no ano de 2016, os municípios brasileiros apagaram mais de 505 ícones (entre monumentos, espaços públicos e prédios históricos) e se juntaram a 7000 cidades participantes em centenas de países.