Fundat estimula ingresso da pessoa com deficiência no mercado de trabalho

A acessibilidade da pessoa com deficiência (PCD) ao mercado de trabalho ainda é um direito que encontra muitas barreiras para ser efetivado. Visando apoiar e ampliar o acesso do PCD no campo profissional, a Fundação Municipal de Formação para o Trabalho (Fundat) ofereceu nesta quarta-feira, 7, o serviço de intermediação de mão de obra através do cadastro de currículo, na segunda edição do ‘SuperAção’.

O evento, que aconteceu das 8h às 17h na praça Fausto Cardoso, é organizado pelo Fórum Estadual de Inserção das Pessoas com Deficiência no Mercado com objetivo de reunir órgãos públicos e privados para juntas promoverem ações de apoio e oportunidade de emprego à pessoa com deficiência.

Além da participação da Fundat, também houve outros serviços como a emissão de Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), cadastro de contribuinte individual, cadastro de currículo com outras instituições, divulgação de cursos, apresentações artísticas e oficinas de currículo, braile, libras e confecção de livros sensoriais.

De acordo com a coordenadora do Fórum, Urcelina Porto, explica que a ideia é unir forças com parceiros que também estão focados em facilitar a entrada destes cidadãos ao mercado trabalho. “Nesta edição estamos com uma novidade que é a exposição de um modelo de ônibus com acessibilidade, além das oficinas de currículo, libras e braile, conta Urcelina, reforçando o a proposta da ação. “O nosso intuito é trazer para eles autoestima e liberdade através do trabalho porque acreditamos que ele promove dignidade para qualquer ser humano”, finaliza.

A diretora de Empreendedorismo e Cooperativismo da Fundat, Rosana Amaral, comemora a participação da Fundat no evento e enfatiza a importância da atuação conjunta de órgãos que podem efetivamente transformar a vida destas pessoas. “Nós, como um dos integrantes do Fórum percebemos em cada reunião o quanto é necessário tratarmos da questão do acesso da pessoa com deficiência à vida profissional, afinal todos, sem restrição, têm esse direito garantido pela constituição”, avalia.

Para o presidente do Conselho da Pessoa com Deficiência em Aracaju, Romário Vieira, é uma satisfação colaborar com a execução de algo em benefícios às pessoas que muitas vezes sofrem discriminação profissional em virtude de alguma deficiência física. “A expectativa dos resultados é sempre a melhor possível porque a gente faz com que tudo dê certo”, afirma Romário.

Intertítulo

Joice Pereira, 18, e Tainara Melo, 18, são alunas do Instituto Pedagógico de Apoio à Educação dos Surdos de Sergipe (Ipaese). Durante o evento, elas cadastraram o currículo na Fundat e estão confiantes que em breve conseguirão o primeiro emprego. “É uma boa oportunidade de aprender e começar a trabalhar como jovem aprendiz”, acredita Joyce. “Tenho muita vontade de trabalhar para adquirir experiência já que ainda não tenho”, completa Tainara.

Eliane Duarte tem 42 anos e possui deficiência visual. Atualmente, ela encontra-se desempregada e veio cadastrar o currículo em busca de uma nova porta de trabalho. “Estou gostando, é a primeira vez que participo de um evento como esse, as pessoas são muito receptivas, acho essencial porque está faltando eventos assim, porque o mercado visa mais as pessoas ditas como “normais” e aqui é bom para o PCD porque tem muito a oferecer”, relata Eliane.

Comente: