Emurb duplica equipes e atua durante todo o fim de semana

Depois de um longo período de estiagem volta a chover forte neste mês de maio na maior parte do Nordeste. Capitais como Maceió e Recife estão sofrendo por conta dos altos índices pluviométricos chegando a serem registrados casos de desabamentos e forçando pessoas a abandonarem suas casas. Em Aracaju, embora as chuvas estejam na média esperada para este período, as chuvas provocaram alagamentos em pontos com históricos de ocorrência e, sobretudo, por conta do longo tempo em que ficou sem limpeza de canais e desobstrução sistêmica de toda a rede de drenagem da cidade.

Nos últimos dias, o prefeito Edvaldo Nogueira pessoalmente tem vistoriado os locais mais atingidos buscado dialogar com os moradores destas áreas a fim de dar soluções e restabelecer a normalidade. Por determinação do prefeito uma verdadeira força-tarefa envolvendo a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Defesa Civil e a Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), além das secretarias de Ação Social, Meio Ambiente e Comunicação, atuaram de forma articulada durante os últimos dias para minimizar os efeitos das chuvas.

Durante a semana que passou e nas primeiras horas de manhã de sábado, 27, as equipes da Emurb atendiam as demandas mais urgentes e o número de profissionais foram ampliados, criando equipes volantes e atendendo os bairros com pontos de alagamentos.

Na zona Norte, os loteamentos Moema Mary, Jardim Bahia, loteamento Goré, Pau Ferro e a avenida Euclides Figueiredo, próximo a um local conhecido por Maria Gorda, apresentaram problemas de escoamento das águas, motivo pelo qual o órgão municipal permaneceu durante todo o sábado e domingo limpado os canais que cortam estes locais e limpando as bocas de lobo.

Os engenheiros da Emurb identificaram dois fatores principais que prejudicaram estas áreas, como explica o presidente Sérgio Ferrari. “Tanto nos canais como as galerias pluviais foram recolhidos durante a limpeza uma quantidade de lixo doméstico e dejetos que, de fato, inviabilizavam o escoamento das chuvas. Mas não foi só isso: a falta de uma manutenção regular nos últimos quatro anos foi determinante para ampliar as dimensões desses alagamentos”, declarou Ferrari.

Já na zona Oeste, notadamente no bairro Jabotiana, os problemas aumentaram no período posterior às chuvas. Nos conjuntos JK, Sol Nascentes e no Largo da Aparecida os pontos críticos foram sanados ainda com a permanência das chuvas. Ocorre que mesmo com o clima ameno, as ruas voltaram a ficar alagadas pelo aumento do volume das águas do rio Poxim, fenômeno ocorrido em vários municípios banhados por este rio.

Na região do Centro e dos bairros Jardins, Salgado Filho, São José e 13 de Julho, alguns canais transbordaram ou apresentaram altos volumes de águas, principalmente o que corta a avenida Anísio Azevedo, Pedro Valadares, Coelho e Campos, por conta do aumento da maré neste fim de semana, chegando a 2,2 metros.

Trabalho prossegue nesta segunda

De forma preventiva, a empresa municipal mantém seu cronograma de trabalho nesta segunda-feira, 29, com previsão de atender aos bairros 18 do Forte, Aeroporto, Bairro América, Cidade Nova, Grageru, Jardins, José Conrado de Araújo, Santo Antônio, Ponto Novo, Porto Dantas, Santa Maria, povoado Areia Branca, Zona de Expansão, e no loteamento Areias, Castelo Branco, Franco Freire, Horto do Carvalho, Marivan, Leite Neto e Paraíso do Sul.

Comente: